Matérias » Reino Unido

Por que os chapéus da guarda real de Elizabeth II são tão grandes?

Incorporado pelo Exército britânico ainda no século 19, o exótico acessório chama a atenção de turistas do mundo inteiro

Victória Gearini Publicado em 21/02/2021, às 09h00 - Atualizado em 14/05/2021, às 07h00

Guarda real de Elizabeth II
Guarda real de Elizabeth II - Divulgação/Pixabay

Chapéus pretos altos e túnicas vermelhas compõem os uniformes da guarda real britânica. As famosas vestimentas chamam a atenção de milhares turistas ao redor do mundo. Contudo, séculos atrás, estes equipamentos eram considerados essenciais para intimidar inimigos.

Origem histórica

Durante o século 19, o Exército britânico incorporou a curiosa vestimenta com o intuito de intimidar adversários franceses durante as famosas guerras napoleônicas. Segundo o site Livescience, os soldados queriam aparentar ser mais altos do que os oponentes.

Em entrevista ao veículo, o comentarista real, Richard Fitzwilliams, disse que os oficiais britânicos queriam mostrar que eram mais perigosos e temidos, do que os franceses. No entanto, sabe-se que a Guarda Imperial de Napoleão também utilizava acessórios semelhantes.

Guarda real britânica / Crédito: Divulgação / Youtube / amerindiotv

 

De acordo com Fitzwilliams, a cor vermelha das túnicas estaria atrelada a motivos econômicos. Segundo o especialista, antigamente os soldados britânicos vestiam uniformes desta cor, pois o corante seria mais barato do que os demais. 

"Hoje em dia, parece uma cor ruim para a batalha porque iria marcá-lo, mas na fumaça e confusão da batalha, também permitia distinguir seus amigos dos inimigos e impedia que você fosse morto por seu próprio lado", disse o comentarista ao Livescience.

Debate nos dias atuais 

Mas afinal, de qual material são feitos os chapéus? De acordo com o especialista, os capacetes contam com peles de ursos negros canadenses. Por ano, uma parte dos animais são abatidos no Canadá, com o intuito de controlar o aumento da espécie no país.

Embora nenhum urso seja morto especificamente para produzir os excêntricos acessórios, nos últimos anos, o assunto tem gerado a insatisfação dos protetores de animais.

Exército real britânico / Crédito: Divulgação / Youtube / amerindiotv

 

Por ano, o Reino Unido compra entre 50 e 100 chapéus que chegam a medir até 46 centímetros. Segundo a revista britânica da alta sociedade Tatler, cada acessório chega a custar, ainda, cerca de US $ 900.

De acordo com o site Livescience, desde que o país deixou de fazer parte da União Europeia, em 2020, intensificou-se o debate para proibir totalmente o comércio de peles de animais no território. 

No entanto, atualmente, a vestimenta tornou-se um dos símbolos culturais do país, chamando a atenção de milhares de turistas de todo o mundo, que ficam fascinados com os intrigantes trajes da guarda real da majestade Elizabeth II.


+Saiba mais sobre a família real britânica por meio de obras disponíveis na Amazon:

Diana. O Último Amor de Uma Princesa, de Kate Snell (2013) - https://amzn.to/2TgHgPO

The Queen: The Life and Times of Elizabeth II (Edição Inglês), de Catherine Ryan (2018) - https://amzn.to/2RhgNA7

God save the queen - O imaginário da realeza britânica na mídia, de Almeida Vieira e Silva Renato (2015) - https://amzn.to/2xTkiGd

O Amor Da Princesa Diana, de Anna Pasternack (2018) - https://amzn.to/2xOZ8c9

A história do século XX, de Martin Gilbert (2017) - https://amzn.to/2yFZMcv

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp 

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7