Matérias » Personagem

Olho por olho: o assassinato sem solução de Bugsy Siegel

Em meados de 1947, o mafioso conhecido por financiar grandes comércios de Las Vegas foi alvo de um homicídio impiedoso

Pamela Malva Publicado em 25/11/2020, às 20h30 - Atualizado às 20h43

Mugshots do mafioso Benjamin "Bugsy" Siegel
Mugshots do mafioso Benjamin "Bugsy" Siegel - Wikimedia Commons

Conhecida pelos cassinos, pelos pomposos hotéis e pelas luzes megalomaníacas, Las Vegas nem sempre foi um lugar luxuoso. Isso porque o desenvolvimento da Las Vegas Strip, por exemplo, foi movimentado por grandes figurões da máfia.

Um desses agentes que criou a Las Vegas que conhecemos hoje foi Benjamin "Bugsy" Siegel, um mafioso nascido no Brooklyn, em Nova York. Membro influente do Crime organizado judaico-americano, ele ainda fez parte da Máfia ítalo-americana e do Sindicato Nacional do Crime Judaico-Italiano.

Tido como um homem carismático por seus companheiros da máfia, Bugsy logo tomou conta dos jornais da época, como um gângster celebridade. Toda essa influência, no entanto, não foi o suficiente para impedir sua morte impiedosa e misteriosa.

Alex Rocco como o personagem Moe Greene, inspirado em Bugsy, no filme Poderoso Chefão / Crédito: Wikimedia Commons

 

Máfia em construção

Bugsy começou a atuar na cena do crime norte-americano desde muito jovem. Tendo abandonado a escola ainda menino, ele fez parte de uma gangue de Manhattan, onde cometia principalmente roubos, até conhecer Moe Sedway.

Juntos, os gângster começaram a construir sua longa ficha criminal. A de Bugsy, por exemplo, contava com denúncias de assalto à mão armada, estupro e assassinato. Tudo isso quando ele ainda era um adolescente.

Mais tarde, Bugsy conheceu Meyer Lansky, com quem fundou a Murder, Incorporated, me meados da década de 1920. Nos anos seguintes, o gângster trabalhou como contrabandista durante a Lei Seca e como assassino — ele chegou a ser preso em 1939, pelo assassinato do mafioso Harry Greenberg, mas foi absolvido em 1942.

Os mafiosos Meyer Lansky e Moe Sedway, respectivamente / Crédito: Wikimedia Commons

 

O fim de um gângster

Tendo financiado cassinos e o famoso Hotel Flamingo, Bugsy encontrou seu fim no dia 20 de junho de 1947. Naquela noite, enquanto lia uma edição do jornal Los Angeles Times, ele foi atingido por diversas balas de uma carabina M1 militar calibre .30.

Na ocasião, o mafioso estava acompanhado de seu sócio, Allen Smiley, em sua casa em Beverly Hills. Alvo de nove tiros, Bugsy foi atingido por um total de cinco balas. As outras quatro, segundo os relatórios da investigação, atingiram os móveis atrás do mafioso.

Ainda que tenha sido assassinado em casa, a morte do gângster foi estampada em dezenas de jornais, trazendo a reputação de Las Vegas consigo. Foi assim, inclusive, que a região lotada de hotéis e cassinos foi tomada por holofotes.

Kid Twist e Bugsy em antiga fotografia / Crédito: Reprodução

 

Um crime violento

De acordo com a autópsia feita no corpo de Bugsy, o mafioso foi atingido duas vezes na cabeça. A pressão criada por uma das balas, que entrou por sua bochecha, fez com que o olho esquerdo do homem fosse arrancado de sua órbita.

Mais tarde, a condição em que o corpo foi encontrado tornou-se uma forma de morte tradicional na máfia. O tiro no olho ficou conhecido como 'Moe Greene especial', em homenagem ao personagem baseado em Bugsy no filme Poderoso Chefão.

Ainda que ele não tenha sido realmente atingido no olho, como muitas pessoas passaram a acreditar, o mafioso recebeu duas balas no pulmão. Segundo o relatório do legista, contudo, a causa da morte foi uma hemorragia cerebral.

Placa memorial de Bugsy Siegel na Sinagoga Bialystoker / Crédito: Wikimedia Commons

 

Mafioso sem vingança

Tão misteriosa quanto a própria vítima, entretanto, a morte de Bugsy nunca foi solucionada. Teorias afirmam, por exemplo, que ele foi assassinado por ter roubado dinheiro da máfia, gastando uma enorme quantia para fins pessoais.

Outros dizem que ele estaria ameaçando seu antigo companheiro, Moe Sedway, e, por isso, acabou morto. O ex-chefe da máfia da Filadélfia, Ralph Natale, por sua vez, afirmava que o mafioso Frankie Carbo teria atirado em Bugsy a mando de Meyer Lansky. 

Dessa forma, por mais que o assassinato do gângster realmente tenha dominado as manchetes da época, ninguém nunca foi culpado pela morte de Bugsy. No final, poucas provas foram encontradas e o caso permanece em aberto até hoje.


+Saiba mais sobre o tema através das obras abaixo, disponíveis na Amazon:

A República da Máfia: a Maldição do Crime em Itália, de John Dickie (2016) - https://amzn.to/2X6nqbG

A História Máfia, de Jo Durden Smith (2014) - https://amzn.to/36Amek4

Cosa Nostra: História da Máfia Siciliana, de John Dickie (2010) - https://amzn.to/2ZKF9HI

Irmandades de Sangue: as Origens das Máfias Italianas, de John Dickie (2016) - https://amzn.to/3cg27Jn

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W