Matérias » Esporte

Olímpiadas de 1968: O protesto de Tommie Smith e John Carlos contra o racismo eternizado na História

Na ocasião, os atletas manifestaram à favor dos direitos civis e contra a segregação racial nos Estados Unidos

Victória Gearini | @victoriagearini Publicado em 07/06/2021, às 16h21

Gravação do momento do protesto de Tommie Smith e John Carlos
Gravação do momento do protesto de Tommie Smith e John Carlos - Divulgação / Youtube / Telemundo Deportes

No dia 16 de outubro de 1968, os atletas Tommie Smith e John Carlos foram contemplados com as medalhas de ouro e bronze, respectivamente. Todavia, durante a premiação olímpica que ocorreu na Cidade do México, os esportistas tiveram um ato inesperado. 

Na ocasião, ambos subiram ao pódio e protestaram contra o racismo nas Olimpíadas. Com crachás contendo a frase "Projeto Olímpico pelos Direitos Humanos", os atletas escandalizaram a sociedade, ao mesmo tempo que denunciaram o preconceito racial no âmbito esportivo. 

Contexto histórico 

Nos meses que antecederam os protestos, o mundo passava por fortes tensões políticas e sociais, nos mais diversos campos. Em abril de 1968, Martin Luther King Jr.foi assassinado e dois meses depois o senador Robert F. Kennedy teve o mesmo fim. 

Nos Estados Unidos, as tensões só aumentavam. Milhares de pessoas protestavam contra a segregação racial e a Guerra do Vietnã. 

 

Já em outros países, o cenário não era muito diferente. Na França, por exemplo, diversos estudantes foram às ruas protestar contra o governo da época. Na União Soviética, as autoridades reprimiram uma rebelião tchecoslovaca. 

Um dos casos mais emblemáticos aconteceu 10 dias antes da Cerimônia de Abertura Olímpica. Segundo o Mentalfloss, poucos dias antes dos jogos, militares mexicanos executaram brutalmente estudantes, durante um comício.

Ato revolucionário

Durante o hino nacional dos Estados Unidos, Tommie Smith e John Carlos ergueram os punhos, utilizando luvas pretas. Mais tarde, Smith revelou que o gesto foi uma saudação para reforçar os direitos humanos. 

Momento que antecedeu o protesto nos jogos de 1968 / Crédito: Divulgação / Youtube / Telemundo Deportes

 

Por um momento, o local foi tomado por um silêncio profundo, mas segundo o The Washington Post, logo em seguida a premiação olímpica foi tomada por vaias em represália ao gesto dos atletas. Em pouco tempo, ambos foram repreendidos e levados para fora da Vila Olímpica. 

Na época, em entrevista à ABC Howard Cosell, Smith revelou que o ato foi para reforçar o poder na América negra, diante dos constantes casos de racismo eminentes no país. 

A idealização do protesto

Antes mesmo do protesto do dia 16 de outubro de 1968, Tommie Smith, John Carlos e outros atletas já tinham usado os Jogos Olímpicos de Verão para lutar em prol dos direitos civis.

Um ano antes, o Dr. Harry Edwards, por exemplo, tinha fundado o Projeto Olímpico dos Direitos Humanos (OPHR), com o objetivo de lutar contra a segregação racial. 

Conforme a Global Sport Matters, Smith e Carlos foram um dos primeiros atletas a ingressarem no projeto. Além disso, na época, a organização chegou a exigir que a África do Sul — até então sob o apartheid — contratasse mais treinadores negros e que o presidente do Comitê Olímpico Internacional, Avery Brundage, renunciasse ao cargo. 

Momento exato do protesto realizado nas Olimpíadas de 1968 / Crédito: Divulgação / Youtube / Telemundo Deportes

 

Conhecido por não ter condenado o regime nazista durante as Olimpíadas de 1936, Brundage renunciou pouco tempo depois. Já a África do Sul foi impedida de participar das Olimpíadas em 1968. 

A repercussão e desfecho 

O protesto que ocorreu na Vila Olímpica foi amplamente repercutido. Entre críticas e elogios, o ato foi noticiado pela imprensa internacional. No entanto, segundo o Mentalfloss, um repórter do Los Angeles Sentinel Griffin chegou a dizer que as Olimpíadas não eram espaços para solucionar problemas sociais. 

Por outro lado, o ato fortaleceu o movimento negro que lutava pelos direitos civis. Segundo o The Undefeated, na época, diversas pessoas se reuniram para recepcionar John Carlos, assim que ele retornou para os Estados Unidos. 

Embora a repercussão positiva entre os manifestantes, os oficiais olímpicos tomaram a decisão de suspender os atletas da equipe de corrida estadunidense, conforme revelou o Mentalfloss.

O medalhista de prata, Peter Norman, também foi punido pelo protesto. Na ocasião, ele carregava um distintivo do Projeto Olímpico pelos Direitos Humanos. Tal fato o levou a não ser convidado para competir pela Austrália, nas Olimpíadas de 1972. 

Depois do fato, Carlos e Smith atuaram como treinadores de atletismo. Atualmente, são considerados símbolos na luta pelos direitos civis no âmbito esportivo. Em 2019, ambos foram homenageados, sendo incluídos no Hall da Fama dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos dos Estados Unidos.


+Assista ao momento histórico: 


+Saiba mais sobre o tema por meio de grandes obras disponíveis na Amazon:

The Revolt of the Black Athlete (Edição Inglês), de Harry Edwards (2018) - https://amzn.to/2SkqIse

Before the Eyes of the World: Mexico and the 1968 Olympic Games (Edição Inglês), de Kevin Witherspoon (2014) - https://amzn.to/3uZ652h

O movimento negro educador: Saberes construídos nas lutas por emancipação, de Nilma Lino Gomes (2017) - https://amzn.to/2AFfCFm

Ganhadores: A greve negra de 1857 na Bahia, de João José Reis (2019) - https://amzn.to/3eTrwdz

Caminhos trilhados na luta antirracista, de Zélia Amador de Deus (2020) - https://amzn.to/36YpZjn

Olhares Negros. Raça e Representação, de Bell Hooks (2019) - https://amzn.to/2z5XRP2

Cultura em movimento: matrizes africanas e ativismo negro no Brasil, de Elisa Larkin Nascimento (2008) - https://amzn.to/3czWUMh

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W