Matérias » Crimes

Os insólitos crimes de Tillie Klimek, a viúva negra da Polônia

A serial killer fingia prever o fim de suas vítimas, mas o que eles não sabiam era que ela estava por trás das mortes cruéis

Paola Churchill Publicado em 10/06/2020, às 19h00

A serial Killer Tillie Klimek
A serial Killer Tillie Klimek - Wikimedia Commons

Tillie Klimek tinha uma vida normal, era uma pacata dona de casa americana, no final do século 19. Seu primeiro casamento com John Mitkiewick, em 1985, só acabou em 1914, quando o homem morreu misteriosamente.

A causa da morte, segundo os legistas foi por conta de um ataque cardíaco, o que todos estranharam que apenas algumas semanas depois, Tillie havia engatado um romance com seu vizinho Joseph Ruskowski.

Mas, após um tempo da relação, Joseph pediu uma pausa do relacionamento. A viúva pareceu muito tranquila em relação ao termino, dizendo que o homem estava para morrer. Dito e feito, pouco depois da premonição macabra de Tillie, seu segundo marido teve o mesmo fim que o primeiro.

Tillie afirmava prever a morte das pessoas/Crédito: Wikimedia Commons

 

Não demorou muito, para a viúva negra se casar novamente, agora com Frank Kupczyk. Os vizinhos começaram achar que a mulher atraía a morte, pois, ela disse que ela logo estaria livre pois teve um sonho e viu que seu terceiro marido estava com os dias contados.

E mais uma vez ela estava certa, Frank adoeceu no apartamento em que moravam e não resistiu. As pessoas achavam que ela tinha algum dom sinistro de prever a morte, eles só começaram a pensar que ela estava cometendo os crimes com a morte de quarto marido, Joseph Klimek, em 1921.

Joseph depois do casamento ficou muito doente, os médicos começaram a pensar que o homem estava sendo envenenado com arsênico e os exames comprovaram isso, conseguindo salvar ele a tempo. Suspeitando que Tillie era culpada, as autoridades exumaram os corpos dos outros maridos e os exames comprovaram que eles também tinham sido envenenados.

Retrato de Nellie e Tillie/ Crédito: Wikimedia Commons

 

Klimek foi preso na mesma hora e esbravejava dentro da cadeia que os oficiais seriam “os próximos para os quais ela queria fazer um jantar”. Além de matar seus próprios companheiros, Tillie persuadia suas amigas a fazerem o mesmo, uma delas era Nellie, que dizia estar cansada de seu homem.

Tillie disse que tinha a solução e entregou a amiga uma dose de veneno dizendo que aquilo iria ajudar no seu caso. Nellie foi presa junto a serial killer. Klimek foi considerada culpada de seus crimes e condenada à prisão perpétua, enquanto Nellie foi absolvida após passar apenas um ano dentro da prisão.


+Saiba mais sobre assassinatos e psicopatia em obras disponíveis na Amazon:

Manson: A Biografia, de Jeff Guinn (2014) - https://amzn.to/34u09ln

Meu Amigo Dahmer: Estudando com um serial killer, de Derf Backderf (2017)  - https://amzn.to/37LYxW5

O Diário de Jack, O Estripador, de Shirley Harrison (2019) - https://amzn.to/34zeXze

Arquivos Serial Killers. Made in Brazil e Louco ou Cruel, de Ilana Casoy (2017) - https://amzn.to/35LVsU7

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/3b6Kk7du