Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Matérias / Amber Heard

Os próximos passos de Amber Heard após derrota em disputa com Johnny Depp

Atriz perdeu processo por difamação movido pelo ex-marido, a quem deverá pagar milhões de dólares

Redação Publicado em 02/06/2022, às 09h25

Amber Heard após decisão do júri a favor de Johnny Depp - Getty Images
Amber Heard após decisão do júri a favor de Johnny Depp - Getty Images

A defesa de Amber Heardafirmou que a atriz está planejando um recurso contra o veredito a favor de Johnny Depp, divulgado na última quarta-feira, 1°, no processo em que ela foi condenada por difamação ao ex-marido por acusações de abuso doméstico.

Segundo relatou Alafair Hall, porta-voz de Heard, ao New York Times, repercutido pelo jornal britânico The Guardian, a artista pretende apelar da decisão, em que deve pagar US$ 15 milhões ao ex-companheiro, um valor reduzido para US$ 10,35 milhões pelo juiz.

Além da condenação por difamação da atriz em decorrência do artigo publicado pelo jornal Washington Post em 2018, o astro de “Piratas do Caribe” também deverá indenizar a ex-esposa em US$ 2 milhões.

O que disse Amber

Em um comunicado emitido após o anúncio da derrota, a atriz de “Aquaman” declarou estar com o coração “partido”, dizendo ainda que o veredito é um “retrocesso” para outras mulheres.

"Estou com o coração partido que a montanha de evidências ainda não foi suficiente para resistir ao poder, influência e influência desproporcionais do meu ex-marido", afirmou.

Ela continuou: "Estou ainda mais desapontada com o que esse veredito significa para outras mulheres. É um retrocesso. Atrasa o relógio para uma época em que uma mulher que se manifestou pudesse ser envergonhada e humilhada publicamente. Afasta a ideia de que a violência contra as mulheres deve ser levada a sério".

"Acredito que os advogados de Johnny conseguiram fazer com que o júri ignorasse a questão-chave da liberdade de expressão e ignorasse evidências tão conclusivas que vencemos no Reino Unido. Estou triste por ter perdido este caso. Mas estou ainda mais triste porque sinto ter perdido um direito que pensava ter como americano, o de falar livre e abertamente", ressaltou ela.