Matérias » Guerras

Ouro e sangue: há 139 anos, começava a Guerra dos Bôeres

Ocorrido entre as forças britânicas e colonos holandeses, conflito teve como objetivo a apropriação de terras ricas em ouro e diamantes

Joseane Pereira Publicado em 16/12/2019, às 09h00

Soldados holandeses na Guerra dos Bôeres, travada entre outubro de 1899 e maio de 1902
Soldados holandeses na Guerra dos Bôeres, travada entre outubro de 1899 e maio de 1902 - Getty Images

Ao contrário da maneira como agiram ao colonizar outros territórios, os holandeses que chegaram na África do Sul a partir do século 17 realmente queriam habitar aquela localidade. E isso definiu inclusive o apelido dado para eles: Bôer significa fazendeiro ou cultivador, aquele que está ligado à terra.

No dia 16 de dezembro de 1880, começava o primeiro conflito entre os britânicos e os bôeres. Acontecendo na virada do século 19 para o 20, a Guerra dos Bôeres marcaria para sempre a história do neocolonialismo no continente Africano.

Vencendo a Batalha

Se estabilizando no interior da África do Sul, os Bôeres fundaram o Estado Livre de Orange e a República Sul-Africana. Mas os colonizadores holandeses não tinham dimensão do que iriam encontrar: minas de ouro e diamante despontavam por todo o território ocupado.

Soldados representando três gerações de combatentes na Guerra dos Bôeres, África do Sul / Crédito: Getty Images

 

Isso chamou a atenção das potências europeias, principalmente do Reino Unido. No final do século 19, colonos britânicos passaram a invadir sistematicamente esses territórios, gerando o cerne de um conflito que se estendeu de dezembro de 1880 a março de 1881 e ficou conhecido como a Primeira Guerra dos Bôeres.

O estopim se deu após os holandeses atacarem um conjunto de trens britânicos em Potchefstroom, ao sul de Joannesburgo. Em cerca de 10 dias, todo o exército britânico estava cercado por soldados prontos a defender o território com unhas e dentes. Após derrotas sucessivas, as forças do Reino Unido resolveram recuar e assinar um tratado de paz com a República do Transvaal, encerrando o conflito.

O ouro desejado

Entretanto, a guerra ainda não havia terminado. Em 1887, a maior jazida de ouro do mundo foi descoberta na cidade de Pretória, então capital do Transvaal. Isso reativou o desejo de ocupação, fazendo o primeiro ministro britânico Chamberlain enviar um ultimato a Paul Kruger, presidente do Transvaal, exigindo que os britânicos tivessem direitos iguais ao metal precioso.

Kruger enviou outro ultimato que desafiava a nação inimiga, o que gerou um segundo conflito, ocorrido entre 1899 e 1902, do qual os britânicos saíram vencedores. Se rendendo por meio do tratado de Vereeniging, os bôeres acabaram tendo sua república extinta.


+Saiba mais sobre o neocolonialismo na África através das obras abaixo:

História da África e dos africanos, de Analúcia Danilevicz Pereira

link: https://amzn.to/38CxXz8

Meio sol amarelo, de Chimamanda Ngozi Adichie

link: https://amzn.to/2M1qikb

A Mulher em África Vozes de uma margem sempre presente, de Inocência Mata e Laura Cavalcante Padilha

link: https://amzn.to/36A1aZI

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, assinantes Amazon Prime recebem os produtos com mais rapidez e frete grátis, e a revista Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.