Matérias » Religião

Padroeiro da Internet: a saga de Carlo Acutis, que será beatificado por milagre

Morto em 2006, Carlo é conhecido por ter curado uma criança do Mato Grosso do Sul em meados de 2010

Giovanna Gomes Publicado em 06/10/2020, às 20h00

O corpo incorrupto de Carlo
O corpo incorrupto de Carlo - Divulgação/Youtube

Recentemente a Igreja Católica divulgou a beatificação do jovem devoto Carlo Acutis, marcada para o dia 10 de outubro.

Cerimônias de canonização são sempre muito comentadas e geralmente envolvem questões muito intrigantes. A história de Carlo, por exemplo, não se trata apenas de alguém que promoveu boas ações em vida e realizou milagres.

Um fato muito interessante no caso e que deixa a todos extremamente intrigados: o corpo do rapaz encontra-se no mesmo estado de quando fora enterrado, em 2006.

A vida de Carlo

Carlo Acutis nasceu em 3 de maio de 1991 na cidade de Londres, no Reino Unido. Pouco após seu nascimento, seus pais, Andrea Acutis e Antonia Salzano, que se encontravam na Inglaterra em razão de trabalho, retornaram até a Itália.

Desde muito cedo, Carlo se mostrou  devoto ao catolicismo e mantinha uma rotina de orações e confissões frequentes enquanto cursava o ensino médio no Instituto Leão XIII, colégio pertencente à rede jesuíta.

Assim como muitos meninos de sua idade, o jovem era conhecido pelo gosto por computadores e demonstrava uma grande aptidão para a tecnologia, com conhecimentos na área muito acima da média, o que surpreendia a todos ao seu redor.

Foi a partir dessa relação com a internet que Carlo inovou os métodos de evangelização. Ele mantinha um site onde catalogava todos os milagres sobre os quais obtinha conhecimento e, devido a essa obra evangelizadora, ficou conhecido como o “padroeiro da Internet”.

O corpo de Carlo ficará exposto até o dia 17 de outubro/ Divulgação

 

Infelizmente, o jovem foi diagnosticado com leucemia e faleceu em 12 de outubro de 2006, sendo enterrado em Assis. Em 23 de janeiro de 2019 seu corpo foi exumado para ser levado para uma igreja na mesma cidade. No entanto, uma surpresa em seguida: o cadáver foi apresentado sem maiores explicações por parte do Vaticano, que apenas explicou que os restos do rapaz foram "recompostos" com uma máscara de silicone.

Milagre em MS

Desde que um suposto milagre ocorrido no estado do Mato Grosso do Sul em 2010 foi atribuído ao jovem, muitos pedidos pela beatificação de Carlo foram feitos.

Aconteceu que, no ano de 2013, um menino de três anos foi curado de uma doença congênita após o avô ter tocado as vestes do rapaz que se encontravam expostas em uma paróquia na cidade de Campo Grande. A criança vomitava com frequência devido a um problema no pâncreas, mas a partir daquele momento tudo mudou.

Em abril de 2018 o Vaticano pediu uma abertura de Tribunal Eclesiástico na Arquidiocese de Campo Grande com a finalidade de verificar a veracidade do caso.

De acordo com o padre Tenório: “Foi ouvida a família e a equipe médica do Vaticano pediu novos exames e, então, em junho de 2018, ele foi considerado venerável, até que em novembro de 2019 confirmaram o suposto milagre como milagre e vai ser beatificado em 10 de outubro”.

Papa Francisco/Wikimedia Commons

 

Em 21 de fevereiro de 2020, o Papa Francisco finalmente autorizou a beatificação do jovem.

Em declaração ao Vatican News, o bispo Dom Domenico Sorrentino comentou sobre o caso: “Este rapaz foi realmente genial e muitos aspectos da sua vida representam para nós um incentivo”.

Além do caso confirmado pela Igreja, há ainda um suposto segundo milagre que vem sendo creditado a Carlo, o qual está sendo investigado pelo Vaticano. Segundo o padre Tenório, “Trata-se do jovem Gabriel Terron, nosso cerimoneário. Ele era coordenador dos Carlanis, grupo de jovem que seguia o Carlo. Certa vez ele teve cinco paradas cardíacas,o que o deixou diagnosticadamente em estado vegetativo. Eu mesmo estive com ele no hospital e toquei-o com a Sagrada Relíquia, e hoje ele está bem, em nosso meio, ajudando vez outra a a Santa Missa e os médicos não sabem explicar o ocorrido”.

O corpo ficará exposto para visita de fiéis no Santuário do Despojamento, em Assis, na Itália, até o dia 17 do mesmo mês.


++Errata: A reportagem errou ao afirmar que o corpo de Carlo foi encontrado incorrupto. A nota foi atualizada com informações do próprio Vaticano.