Matérias » Personagem

Palácio de tragédias: a infeliz vida da princesa Emily Ruete

Filha de um poderoso sultão, a jovem tinha uma inteligência impressionante, mas mal imaginava o sofrimento que a esperava

Pamela Malva Publicado em 15/09/2020, às 18h30

Retrato de Emily Ruete com suas ricas vestimentas
Retrato de Emily Ruete com suas ricas vestimentas - Wikimedia Commons

Casado com a concubina Jilfidan, o sultão Sayyid Said bin Sultan Al-Busaid era o homem mais respeitado em Zanzibar e Omã, onde governava. Cercado por riquezas e regalias, o líder teve um total de 36 filhos, todos herdeiros de suas fortunas.

Nascida em agosto de 1844, em Zanzibar, Sayyida Salme — ou Salama bint Said — foi a última dos descendentes do sultão. Como a mais nova de todos os irmãos, a princesa adorava estudar e cresceu sabendo falar árabe e suaíli fluentemente.

Em meados de 1851, enquanto morava com seu irmão Majid bin Said de Zanzibar, ela ainda aprendeu a cavalgar e atirar e, mais tarde, descobriu sozinha a arte da escrita — algo bastante incomum para mulheres da época.

Apesar de estudiosa e muito inteligente, a bela princesa sequer esperava por todos os conflitos que teria de superar. Sua vida, logo depois da morte do sultão Said, foi preenchida por conflitos, fugas e longos períodos de luto.

Retrato do sultão Sayyid Said bin Sultan Al-Busaid / Crédito: Wikimedia Commons

 

Castelo de luto

Em outubro de 1856, o sultão morreu, aos 65 anos. Com a tristeza de perder o pai, Sayyida também recebeu o atestado de maioridade, mesmo tendo apenas 12 anos, e a herança do governante — uma plantação e quase 5,5 mil libras.

Com o fim da dinastia, dois irmãos da jovem assumiram os territórios comandados por Said. De um lado, Sayyid Thuwaini bin Said al-Said ficou responsável por Muscat e Omã e, de outro, Majid tornou-se Sultão de Zanzibar.

Ainda assim, a situação realmente mudou quando a mãe de Sayyida faleceu, deixando três plantações para a filha mais nova, em 1859. Com a morte da mulher, Majid e Barghash bin Said, dois irmãos da garota, entraram em conflito pelo poder.

Retrato de Barghash bin Said, irmão de Sayyida / Crédito: Wikimedia Commons

 

Menina inocente

Durante toda a disputa, a pequena Sayyida viu-se em meio à um contexto que ela não entendia muito bem e sequer queria fazer parte. Por esse motivo, ainda que gostasse muito de Majid, ficou do lado de Barghash, já que sua irmã preferida fez o mesmo.

Aos 15 anos, a menina, que era facilmente influenciável, seguiu os passos da mais velha e passou a trabalhar como secretária do partido de Barghash. Todo o apoio, contudo, não foi o suficiente e o conflito logo acabou, tendo Majid como vitorioso.

Como consequência de seus atos, Barghash foi exilado e seus apoiadores tiveram de fugir para não sofrerem punições parecidas. Assim, Sayyida mudou-se para Kisimbani — pouco mais tarde, ela voltou para sua cidade e fez as pazes com Majid.

Retrato de Sayyida Salme, ou Emily Ruete / Crédito: Wikimedia Commons

 

Amor e família

Vivendo em Stone Town, Sayyida conheceu Rudolph Heinrich Ruete, um comerciante alemão por quem ela rapidamente se interessou. Em meados de 1866, a jovem de 22 anos engravidou do companheiro e os dois decidiram se casar.

A fim de escapar de possíveis retaliações pela gestação, a jovem fugiu para a colônia britânica de Aden e converteu-se ao cristianismo. Pouco depois, em maio de 1867, Sayyida e Rudolph finalmente se casaram e a jovem passou a se chamar Emily Ruete.

Saudosa de seu passado, ela revelou em cartas para uma de suas irmãs que nunca realmente seguiu os mandamentos cristãos. Sem acatar alguns dos costumes de sua nova religião, ela manteve-se muçulmana, mesmo que em segredo.

Emily com o marido e suas duas filhas / Crédito: Wikimedia Commons

 

Vida de sofrimento

No verão de 1867, Emily e seu marido decidiram mudar-se para a Alemanha e, no meio do trajeto, o pequeno herdeiro do casal acabou falecendo. Nascido em dezembro de 1866, o menino não resistiu à viagem e deu seu último suspiro em terras francesas.

Em luto profundo, os Ruete estabeleceram-se em Hamburgo, onde conquistaram a própria casa e passaram a fazer parte da sociedade alemã. Juntos, o casal teve mais três filhos, um menino e duas garotas, nascidos entre 1868 e 1870.

No mesmo ano em que a última menina veio ao mundo, Rudolph foi vítima de um acidente de bonde, deixando Emily sozinha com as três crianças. Sem qualquer fonte de renda, a família, então, ficou desamparada.

Fotografia de Emily com diversos acessórios / Crédito: Wikimedia Commons

 

Luta e superação

Foram mais de dez anos de sufoco até que Emily se lembrasse de um de seus hobbies favoritos: a escrita. Não demorou até que ela publicasse as 'Memórias de uma princesa árabe de Zanzibar' — a primeira autobiografia de uma mulher árabe já registrada.

Com a obra, Emily conseguiu recuperar o status social com o qual estava acostumada e, ao lado dos filhos, visitou sua amada Zanzibar por mais duas vezes. Entre 1889 e 1914, ela conquistou suas próprias casas no Líbano e em Israel.

Por fim, aos 79 anos, Emily foi vítima de uma grave pneumonia e não resistiu aos sintomas, falecendo em 1924, na Alemanha. Sua história e legado, então, ficaram eternizados na obra que ela mesma fez questão de escrever e publicar.


+Saiba mais sobre o tema através das obras abaixo, disponíveis na Amazon:

Memoirs of an Arabian Princess from Zanzibar (Edição em Inglês), de Emily Ruete (2017) - https://amzn.to/33APh5S

Where Humans and Spirits Meet (Edição em Inglês), de Kjersti Larsen (2008) - https://amzn.to/33zN9LA

Lonely Planet Oman, UAE & Arabian Peninsula (Edição em Inglês), de Vários autores (2019) - https://amzn.to/2Rs0FeT

Uma história dos povos árabes, de Albert Hourani (2006) - https://amzn.to/2H877WB

An Introduction to Modern Arab Culture (Edição em Inglês), de Bassam Frangieh (2018) - https://amzn.to/2ZF3MVf

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W