Matérias » Netflix

Para maratonar: Netflix revela história de mulher que foi do sucesso no veganismo a fuga

Produção foi lançada pela plataforma de streaming neste mês e chama atenção

Redação Publicado em 20/03/2022, às 00h00

Imagem promocional de 'De Rainha do Veganismo a Foragida' (2022)
Imagem promocional de 'De Rainha do Veganismo a Foragida' (2022) - Divulgação/Netflix

Nos três primeiros meses do ano, a plataforma de streaming Netflix supreendeu os assinantes com o lançamento de séries e documentários de casos que ultrapassam a bizarrice: de 'O Golpista do Tinder' a 'Inventando Anna', a companhia chocou internautas com produções que tratam de histórias reais. 

Agora, a aposta da Netflix é 'De Rainha do Veganismo a Foragida'. Na trama, conhecemos a história de Sarma Melngailis, dona do Pure Food and Wine, inaugurado em 2004 na cidade de Nova York, ao lado de investidores.

Imagem da série /Crédito: Divulgação/Netflix

Seguindo a proposta de oferecer comida vegana e crua, o estabelecimento até mesmo chamou atenção de nomes como Bill Clinton e até mesmo o astro Alec Baldwin. 

Citado em veículos especializados, o Pure Food se tornou um restaurante conceituado, que cativava o público, no entanto, foi em 2011 que a vida da dona - e consequentemente a saga da restaurante - virou de cabeça para baixo.

Tudo aconteceu quando um homem chamado Anthony Strangis entrou na vida de Sarma. Conhecendo o homem através do Twitter, eles logo se casaram. Todavia, era o início de um pesadelo.

O clima pitoresco do estabelecimento logo passou a ser de estranheza. O profissional responsável pelas operações foi desligado, e o estabelecimento contou com a atuação de uma pessoa que não tinha experiência. Logo os valores do restaurante foram desviados para a conta do casal. 

Foi o suficiente para intrigar não só os funcionários do local, - que deixaram de receber o pagamento - mas também um pedido de mandado de prisão para a dupla. Mas como isso aconteceu? Quem é culpado?

Todo o caso, que envolve até mesmo uma promessa de 'imortalidade' é relembrado e evidenciado na produção de Chris Smith, dos chocantes documentários “Fyre” e “Tiger King”.