Matérias » Personagem

Perdeu R$ 1,2 milhão: O homem que se deparou com um golpe ao tentar casar

James perdeu cerca de dos terços de toda sua economia quando decidiu deixar o Reino Unido para viver uma paixão na Ucrânia

Fabio Previdelli Publicado em 27/06/2021, às 11h00

Imagem ilustrativa
Imagem ilustrativa - Pixabay

Em julho de 2017, James pensou que estava realizando o maior sonho de sua vida. Cercado por 60 pessoas no terraço da Villa Ostrada, em Odessa, Ucrânia, o britânico vislumbrava a beleza da mulher que em pouco tempo seria sua esposa.  

Irina era uma pessoa típica do Leste Europeu: loira, alta e de olhos claros, que esbanjava todo um glamour por onde passava, muito em virtude de sua vaidade excessiva.

Vê-la caminhar pela a rua poderia ser um daqueles singulares casos de amor à primeira vista. Quem dirá então encontrá-la periodicamente. A paixão seria certa.   

James ao lado de Irina/ Crédito: Arquivo pessoal

 

Com James foi assim, nem mesmo a barreira linguística, ou da idade — ela era 20 anos mais nova — parecia impedir que aquele amor se concretizasse. Nessa data em questão, o britânico pensara estar vivendo um dos melhores dias de sua vida, mas isso não aconteceu, muito pelo contrário, sua experiência foi tão traumática e humilhante que ele teve que contar essa história à BBC sob um nome fictício. 

Uma viagem de trabalho 

Dois anos antes de tudo acontecer, em 2015, James saiu do Reino Unido e foi até ao leste da Ucrânia a convite de um amigo, que tinha interesse de contar com sua participação em um projeto que visava apoiar crianças que fugiam da zona de conflito no país.  

Apesar de trabalhar no exterior compreender uma experiência nova, as coisas pareciam caminhar num ritmo promissor. Por meses, o britânico combinava as obrigações de seu trabalho integral na terra da rainha com viagens para Odessa, onde tratava de seu voluntariado. Apesar dos percalços, a comunicação era facilitada com a ajuda de Julia, que servia como sua tradutora.  

Durante o inverno, quando estava na Ucrânia, uma forte tempestade de neve limitou seu trabalho por lá. Havia ganhado uma 'folga'. Foi então que Julia sugeriu que ele saísse com uma de suas amigas.  

"Ela imediatamente me contou sobre dois casamentos anteriores e por que não queria se casar com um ucraniano de novo", recorda James sobre um dos primeiros papos que teve com Irina, que tinha 32 anos na época.  

Apesar dessa diferença de idade, a noite de Odessa parecia ser o cenário perfeito para o novo casal, que saíram juntos mais algumas vezes naquela semana. Porém, a relação deles ainda era um tanto quanto limitada, afinal, por conta do idioma diferente, Julia os acompanhava para ajudar na tradução da conversa. “Foi um pouco estranho ter alguém repetindo tudo o que estava sendo dito. Mas havia uma química entre nós”, recorda o britânico.  

O flerte continuava com a troca de mensagens pelo aplicativo Viber, que possui uma função de tradução de mensagens. "Você me deu um verdadeiro conto de fadas. E muito obrigada por isso ... eu acredito em VOCÊ. Só você pode me dar essa felicidade. Eu te amo", escreveu Irina.  

Por seis meses, a dupla desfrutou de jantares caros e momentos inesquecíveis, se bem que a intimidade do casal sempre esteve totalmente exposta à Julia. Além disso, a tradutora dissera que a amiga não acreditava em sexo antes do casamento. "Eu pensei: 'Esse é um padrão moral muito alto'", recorda James, que seguiu em frente com a relação. 

Noivado para inglês ver 

Em novembro de 2016, 11 meses após o primeiro encontro, os pombinhos já tinham planos fundamentados para o futuro, tanto que o britânico preparou para Irina uma especial festa de noivado naquela ocasião. Os dois se casariam em oito meses.  

Após uma conversa com funcionários da embaixada de seu país na Ucrânia, no entanto, descobriu que uma eventual mudança de sua amada para o Reino Unido seria um processo que poderia demorar em virtude de obstáculos burocráticos. “Levaria anos”, recorda James.  

James em um jantar ao lado de Irina/ Crédito: Arquivo Pessoal

 

Assim, decidiu se arriscar e ficar no Leste Europeu junto com a mulher pela qual se apaixonou. Escolha mais errada não poderia acontecer. Logo largou seu emprego e vendeu sua casa no Reino Unido. Os dois começaram a procurar um apartamento em Odessa. 

Porém, os problemas estavam só começando. O principal deles é que transferir dinheiro da Inglaterra para a Ucrânia não era tão simples assim, já que casos de corrupção e lavagem de dinheiro são constantes por lá, e transferir grandes quantias sempre gera desconfiança.  

Assim, Irina o convenceu a transferir os 200 mil dólares da compra do apartamento para a conta de uma amiga, Kristina, que havia sido contratada para planejar o casamento. Contudo, outro percalço surgiu: Irina disse que o dinheiro só poderia ser liberado caso James fosse legalmente casado com sua amiga.  

Apesar da maluquice, ela o convenceu a fazer isso. Uma união no cartório levaria 10 minutos e poderia ser cancelada posteriormente. Além disso, a mulher o ameaçava com o cancelamento do casamento, dizendo que uma união sem um lugar para morar faria com que seus pais a vissem como “uma prostituta”.  

“Eu estava sendo ameaçado com a ideia de 60 convidados no casamento, incluindo a família dela”, disse James. "Todos eles viriam me espancando, se eu não prosseguisse com o casamento porque estava decepcionando Irina”. 

Após o casamento de mentirinha, o dinheiro foi liberado naquele mesmo 10 de julho de 2017 e, até então, o britânico pensava que os 200 mil foram gastos com a compra do apartamento. Mais tarde, no entanto, descobriu que sua nova casa só havia custado 60 mil e a propriedade era conjunta com sua 'esposa' Kristina.  

Casamento falso e o choque de realidade

Mas as coisas não param por aí. James, que havia gastado mais 20 mil com a festança, descobriu, posteriormente, que os preços foram inflacionados. Além disso, os 60 convidados, provavelmente, estavam pagos para estarem lá — até mesmo os pais de Irina eram 'falsos'. 

Outro ponto é que, segundo descobriu a BBC, Irina era casada com Andriy Sykov desde agosto de 2015, três meses antes de conhecer James. Kristina também tinha uma união, com um homem chamado Denys, mas os dois haviam se ‘divorciado’ três semanas antes dela se casar com James.  

Durante a cerimônia, o britânico também alega que foi drogado por uma pessoa que achava ser mãe de Irina. "Ela estava me enchendo de bebidas e agora tenho certeza de que foi adulterada, comecei a tremer violentamente e tive que ser levado para fora”. 

No dia seguinte, sua amada o acusou de humilhá-la na frente de seus familiares. Além disso, nas semanas seguintes, disse que estava com problemas médicos e que, pelo fato dos dois não serem casados, ele não poderia visitá-la — já que o hospital só permitia a entrada de familiares. Para ajudar com as despesas, ele transferiu cerca de 12 mil para Irina.  

Nesse meio tempo, um ucraniano lhe parou e contou toda a verdade, principalmente sobre o fato de que seu apartamento havia custado pouco mais de um quarto do valor que pensara. James havia percebido que foi enganado. A ficha caiu. 

Agora, o britânico ainda luta para que a justiça ucraniana o ajude a recuperar seu dinheiro. Com o péssimo hábito de combater o crime, as autoridades locais não costumam tratar os golpes de casamento como uma prioridade. "Às vezes, eles riam da minha cara", diz James sobre as vezes que contou seu caso para alguns investigadores.  

“Há casos aqui em que a polícia não faz nada e não se move”, diz Anna Kozerga, a advogada do homem enganado. "Temos que continuar pedindo a eles que ajam”. Até o momento, o único progresso no caso é que James conseguiu ser nomeado como único dono do apartamento que comprou.  

Imagem do apartamento que James comprou/ Crédito: Arquivo Pessoal

 

Apesar de toda humilhação que passou e do golpe que o tirou cerca de dois terços de toda a economia que guardou durante sua vida, James não contou nada sobre o caso para seus familiares e amigos. “Isso iria perturbá-los”. 

Irina, por sua vez, jamais respondeu as mensagens que lhe foram enviadas posteriormente pelas pessoas que tentam ajudar o britânico. No entanto, descobriu-se que ela permanece com um perfil ativo em um site de namoro.  

Questionado o que diria caso alguém soubesse de sua história e dissesse que ele foi idiota, James é direto: “Eles estariam certos”.


+Saiba mais sobre traições históricas por meio de grandes obras  disponíveis na Amazon:

Amantes: Uma história da outra, de Elizabeth Abbott (2016) - https://amzn.to/2SZ0HvO

Amantes: Histórias reais de sedução, poder e ambição, de Leigh Eduardo (2011) - https://amzn.to/3fNPnfK

A amante do rei, de Emma Campion (2013) - https://amzn.to/2YYEKko

O amante da virgem, de Philippa Gregory (2006) - https://amzn.to/3bwIb4p

O amante de Lady Chatterley, de D. H. Lawrence (2010) - https://amzn.to/2LmHoIC

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W