Matérias » Idade Média

Poder sem limites: Há 473 anos, nascia o czarismo na Rússia

Substituindo o grão-ducado de Moscou, que durou 264 anos, o czarismo teve como primeiro líder Ivan IV, o Terrível

Joseane Pereira Publicado em 16/01/2020, às 08h00

Ivan IV, o Terrível
Ivan IV, o Terrível - Getty Images

Quando Ivan IV da Moscóvia foi coroado czar da Rússia, uma mensagem foi enviada para todo o mundo: o jovem de 16 anos seria o único governante daquele grande país, cuja vontade não deveria ser questionada de forma alguma.

O Governante

Ivan nasceu em 25 de agosto de 1530, nos arredores de Moscou. A cidade, que não parava de crescer, era a capital do Grande Reino de Moscóvia, governado pelo pai de Ivan, Vassili III. O território era cercado por povos tártaros, que viviam em Estados conhecidos como khanatos (comandados por líderes chamados khans). Não eram raras as guerras dos moscovitas contra os vizinhos.

Quando Vassili III caiu doente e morreu, em 1533, o pequeno Ivan foi proclamado grande príncipe, o líder do Reino de Moscóvia. Como ele era muito jovem, Elena Glinskaya, sua mãe, assumiu o trono. Em 1538 ela também morreu, provavelmente envenenada.

Na ausência de Elena, explodiram as disputas internas pelo poder no reino. Os protagonistas da briga eram os boiardos, nobres proprietários de terras que faziam parte do governo e que, de vez em quando, entravam em guerra uns contra os outros. Órfão aos 8 anos, Ivan passou a ser criado sob a supervisão dos boiardos.

Por que Czar?

Ivan, o Terrível, implorando para se tornar um monge / Crédito: Getty Images

 

No dia 16 de janeiro de 1547, Ivan se tornou o primeiro a ser coroado czar, o “grande príncipe de toda a Rússia”. Monarcas anteriores já haviam recebido o título (derivado dos “césares” de Roma), mas nenhum deles havia sido abençoado e reconhecido pela poderosa Igreja Ortodoxa.

Acredita-se que os distúrbios mentais de Ivan tenham começado justamente após sua coroação: a cerimônia fez com que ele acreditasse ser mesmo um líder enviado dos céus.

O novo título era uma junção dos poderes de Imperador Bizantino com os de tártaro Cã. Isso fez com que seu poder fosse intimamente ligado à Igreja, sendo ele considerado um líder “divino” que deveria decretar a vontade de Deus.

E o clero ajudava a consolidar essa ideia: nos textos episcopais, os monarcas do Antigo Testamento eram classificados como Czares, e Cristo teria sido o Czar celestial.

Nos primeiros anos de reinado, ele centralizou o poder em Moscou e derrubou o velho esquema medieval, em que cada nobre era soberano no seu pedaço de terra. Entretanto, o aumento de seus desequilíbrios mentais levou a Rússia a tempos tenebrosos: Vilas inteiras eram eliminadas e trabalhadores abandonavam os campos agrícolas.

Até a nobreza e o clero passaram a temer os ataques de loucura do czar, que acabou ficando conhecido como Ivan, o Terrível.


Saiba mais sobre esse tema através das obras abaixo:

1. Ivan o Terrível, de Henri Troyat - https://amzn.to/2Nw04Hc

2. Do Czarismo ao Comunismo. As Revoluções Russas do Início Século XX: as Revoluções Russas do Início do Século XX, de Marcel Novaes - https://amzn.to/2TrfGj4

3. Pedro, o Grande: Sua vida e seu mundo, de Robert K. Massie - https://amzn.to/2TpdaKm

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, assinantes Amazon Prime recebem os produtos com mais rapidez e frete grátis, e a revista Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.