Matérias » Personagem

Por que Freddie Mercury deixou quase toda a sua fortuna para a ex-namorada?

Mary Austin, a inspiração para Love Of My Life, ficou com metade da herança do vocalista do Queen

Isabela Barreiros Publicado em 04/08/2020, às 18h29

Mary Austin e Freddie Mercury em 1984
Mary Austin e Freddie Mercury em 1984 - Getty Images

Mary Austin foi o amor da vida de Freddie Mercury. Ele mesmo afirmou isso inúmeras vezes durante sua vida, mesmo quando os dois já haviam terminado o relacionamento amoroso entre eles. Disso, brotou uma bela amizade que perdurou até o fim da vida do vocalista do Queen. Ela até mesmo é a única pessoa que sabe onde estão as cinzas do artista. 

A imensa responsabilidade também foi acompanhada pelo nome escrito no testamento de Mercury. Ela foi, de fato, a maior beneficiada, escolhida essencialmente pelo coração e amor do cantor. Austin ficou com metade de sua fortuna, inicialmente estimada em nove milhões de euros (37,8 milhões de reais), sua mansão de Garden Lodge, avaliada em 22,5 milhões de euros na época (94,5 milhões de reais), e ganhos futuros com direitos autorais.

Os cálculos não são difíceis: ela ganhou muito mais que a própria família do artista e o parceiro de Freddie, Jim Hutton, com quem o cantor ficou até sua morte. Mesmo assim, a família entendeu a decisão do criador do Queen. Em entrevista ao Daily Telegraph, em 2012, a mãe de Freddie, Jer Bulsara, afirmou: “Mary era adorável. Mesmo quando terminaram, eu sabia que [ela] continuava amando meu filho. Foram amigos até o final”.

No entanto, a escolha causou certo desconforto para a ex-namorada do famoso cantor, principalmente devido às represálias. "Alguns fãs até me disseram que eu era apenas a dono da casa. Isso doeu. Eu sei que vários amigos gays de Freddie ficaram surpresos que Freddie havia deixado tanto para mim. Lá aqueles que pensavam que deveriam ter saído de casa. Era como se as pessoas me relutassem em ter o que ele havia me deixado”, explicou.

Freddie e Mary em uma festa na casa do cantor em 1977 / Crédito: Getty Images

 

A mulher até mesmo tentou convencer Mercury de transformar sua casa em um memorial, homenageando sua vida e trajetória, sendo este um local onde os fãs poderiam revisitá-lo. Mas não adiantou muita coisa, pois ele estava muito determinado.

Segundo Mary, em entrevista ao Daily Mail em 2013, quando fez essa sugestão a Freddie, pouco antes de ele morrer, o astro do Queen apenas a respondeu: "se as coisas tivessem sido diferentes, você teria sido minha esposa e essa [casa] teria sido sua de qualquer maneira”.

Em seu recente documentário, Freddie Mercury: A Life in his Own Words (Freddie Mercury: A Vida em suas Próprias Palavras, em tradução livre), o astro revelou durante seus últimos dias o porquê de deixar boa parte de sua fortuna para Austin e os gatos.

Segundo o próprio Mercury, o amor infinito pela mulher fez com que ele deixasse quase tudo a ela. “Eu vou amá-la até meu último suspiro. Caso eu vá primeiro, deixarei tudo para ela. Ninguém mais leva um centavo, apenas os meus gatos. Eu posso ter todos os problemas do mundo, mas eu tenho a Mary e isso me motiva... Eu ainda a vejo diariamente e gosto tanto dela hoje quanto sempre gostei”, explicou.

E ainda completou: “apenas dois indivíduos me deram tanto amor quanto eu dei a eles: a Mary, com quem eu tive um longo relacionamento, e nosso gato, Jerry. O meu vínculo com a Mary só parece crescer”.

Freddie Mercury e Mary Austin no Fashion Aid, em 1985 / Crédito: Getty Images

 

Por mais que viessem a ter novos relacionamentos, o amor um pelo outro não mudou quase nada. Pouco importava a sexualidade de Freddie e até mesmo o fato de que os dois passaram a se envolver com outras pessoas: a devoção e o carinho continuaram, como se nada tivesse mudado.

Mary chegou a se casar duas vezes e ainda teve dois filhos no primeiro casamento. O cantor, com a vida glamurosa, conheceu muitos homens e teve algumas relações, mas a mais intensa foi a com Jim Hutton, com quem ficou até o resto de sua vida. Em entrevista, Freddie declarou: “para mim, foi um casamento. Acreditamos um no outro. Todos os meus amantes me perguntaram por que não poderiam substituir Mary. Porque é simplesmente impossível”.

Portanto, não é estranho imaginar porque o cantor do Queen deixou para sua amada quase tudo que possuía. A atitude esteve em plena concordância tanto com suas declarações em vida quanto com seus sentimentos sobre a mulher que, com certeza, foi o amor de sua vida, conforme afirma na famosa música Love Of My Life, que foi escrita por Freddie para Mary.


+Saiba mais sobre Freddie e o Queen através dos livros abaixo

Freddie Mercury: A biografia definitiva, Lesley-Ann Jones (2013) - https://amzn.to/2RGcM9q

Queen nos bastidores,  Peter Hince (2012) - https://amzn.to/2slRCm9

Queen, Phil Sutcliffe (2011) - https://amzn.to/2Pat1tC

A Verdadeira História do Queen, Mark Blake (2015) - https://amzn.to/2EaAjaE

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W