Matérias » Curiosidades

Por que o número 5 'batizou' o perfume de Coco Chanel?

A maior criação de Chanel completa um século neste ano, com uma influência inconfundível que persiste até a atualidade

Isabela Barreiros, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 08/06/2021, às 17h11 - Atualizado às 17h48

Imagem meramente ilustrativa do perfume Chanel nº5
Imagem meramente ilustrativa do perfume Chanel nº5 - Imagem de CHLOE2017KD por Pixabay

Gabrielle Chanel entrou para a história sob seu apelido. Coco Chanel foi, assim, responsável por mudanças incontestáveis no mundo da moda, fazendo o minimalismo e o estilo casual se tornarem cada vez mais populares entre as mulheres. Transformações que aconteceram há mais de um século e ainda têm impacto nos dias de hoje. 

Abandonando o espartilho, a estilista trouxe à tona roupas modernas, com cortes e detalhes sutis que deixavam as moças mais confortáveis. Foi Coco também que difundiu o uso de calças femininas e o famoso pretinho básico, em um modo de se vestir mais elegante e pouco visto antes disso. 

Durante o século 20, ela elevou o padrão da moda com sua marca homônima que se expandiu para muito além de roupas. Entre joias, bolsas, perfumes e maquiagem, Gabrielle se tornou uma influência além do seu tempo: muitos dos produtos criados naquela época são vendidos até hoje. 

A importância da estilista para a moda pode ser observada por sua relevância incontestável mesmo após meio século de sua morte. Além de sua própria figura de charme clássico e estilo elegante, o perfume Chanel nº5 também se tornou um dos mais icônicos da história, cujo uso persiste ainda atualmente.

Gabrielle reinventou a moda feminina, mudando a sua realidade e a de muitas mulheres, em uma história bastante conhecida ao redor do mundo. No entanto, existe uma enorme curiosidade que cerca o que pode ser considerado sua maior obra: o Chanel nº5. Afinal, por que ele leva esse nome? O que podemos afirmar é que ele não foi decidido ao acaso.

Infância humilde

Coco Chanel no ano de 1928 / Crédito: Wikimedia Commons

 

Embora a história de sucesso da estilista seja amplamente repercutida até os dias de hoje, poucos sabem que ela teve um começo muito difícil. A hoje tão famosa Coco Chanel era filha de Eugénie Jeanne Devolle, uma lavadeira, e de Albert Chanel, um vendedor ambulante de roupas.

Aos 12 anos de idade, passou por um trauma com a morte de sua mãe. Depois disso, o pai decidiu que o melhor seria colocar a menina e a irmã em um orfanato, onde passou toda a adolescência em um sistema de disciplina rigoroso. Na instituição, porém, aprendeu coisas valiosas.

Foi no orfanato que Gabrielle aprendeu a costurar, uma habilidade que se tornaria essencial para desenvolver sua profissão, pela qual ficaria tão famosa. 

A vida de Gabrielle teve uma reviravolta quando ela deixou o orfanato e decidiu se mudar para a região de Moulins, na França. Trabalhando como empregada doméstica e cantora em um cabaré nas proximidades, ela recebeu o apelidoCoco’ por sempre cantar a música “Qui qu’a vu Coco” em suas apresentações.

No cabaré, ela também conheceu Etienne Balsan, uma nobre que a ajudou a vender chapéus em um apartamento emprestado, como relembrou a Folha de S. Paulo. Anos depois, ela abriu um ateliê e viu sua carreira como estilista ter um crescimento meteórico. Aparentemente, nada acontecia à toa na vida de Coco Chanel.

Criando o perfume

O primeiro perfume da marca Chanel começou a ser desenvolvido em 1920 pelo ex-perfumista Ernest Beaux, conhecido por trabalhar para czares da Rússia. Foram necessários meses para que ele conseguisse desenvolver as melhores fragrâncias para Gabrielle Chanel.

Ilustração da Openthedoor Estúdio (todos os direitos reservados)

 

E a superstição a acompanhou nesse processo. De acordo com a Culture Trip, os perfumes estavam enumerados de 1 a 5 e 20 a 24 quando Beaux os mostrou pela primeira vez à estilista.

Naquele momento ela escolheu a quinta fragrância, desejando boa sorte ao produto que começaria a ser vendido mais tarde e, pela superstição, acabou formando o nome do perfume. Desde criança, Gabrielle acreditava que o número cinco trazia sorte, como explica Laura Wie, especialista em História da Moda no podcast '100 anos do Chanel n° 5'.

"Era o que eu esperava. Um perfume como nada mais. Um perfume de mulher, com o cheiro de uma mulher', disse Chanel na época, conforme registra a BBC Internacional.

50 anos da morte de Coco Chanel

Chanel faleceu aos 87 anos, em 10 de janeiro de 1971, morte que completou meio século neste ano. Sua maior criação, o perfume Chanel N° 5, também comemora uma data especial em 2021: ele foi criado há 100 anos. 

Pensando nisso, o site Aventuras na História iniciou uma parceria com a especialista Laura Wie, e a Openthedoor Estúdio de Animação com o objetivo de criar a animação ‘A moda antes e depois de Gabrielle Chanel'.

Você pode conferir o vídeo a seguir. 


+Saiba mais sobre o tema por meio de grandes obras disponíveis na Amazon: 

O segredo do Chanel N° 5, de Tilar J. Mazzeo (2012) - https://amzn.to/3osWJs7

O Evangelho de Coco Chanel, de Karen Karbo (2015) - https://amzn.to/2Yogfvq

Mademoiselle Chanel e o cheiro do amor, de Marly Michelle (2018) - https://amzn.to/3aeDbCL

História social da moda, de Daniela Calanca (2008) - https://amzn.to/36lDiLW

Como compreender moda, de Fiona Ffoulkes (2012) - https://amzn.to/3prEBAi

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp 

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W