Matérias » Paleontologia

"Predador bizarro e monstruoso": Pesquisa analisa fósseis de gigantescos Deinosuchus

O gênero de crocodilo pré-histórico era uma criatura medonha com dentes do tamanho de bananas

Ingredi Brunato Publicado em 10/08/2020, às 16h54

Esqueleto de Deinosuchus.
Esqueleto de Deinosuchus. - Wikimedia Commons

Uma pesquisa publicada no Journal of Vertebrate Paleontology revisitou esqueletos de crocodilos pré-históricos do gênero Deinosuchus, engrossando a hipótese de que mesmo os maiores e mais ferozes dinossauros eram predados pelos animais aquáticos. 

Chegando a medir 12 metros e contando com grandes dentes, os Deinosuchus tinham força e dimensões suficientes para dominar o ecossistema em que viviam. Ou seja, como coloca a co-autora do estudo, a paleontóloga Stephanie Drumheller-Horton, “quase tudo em seu habitat estava no menu”. 

"Até agora, o animal completo era desconhecido. Esses novos espécimes que examinamos revelam um predador bizarro e monstruoso”, afirma o Dr. Adam Cossette, que liderou a pesquisa. 

O trabalho dos especialistas também revela diferenças significativas entre esses crocodilianos do passado e os atuais, quebrando o senso comum de que os crocodilos da nossa época seriam “fósseis vivos” de animais pré-históricos. 

O Deinosuchus tinha dois grandes orifícios na ponta do focinho, exclusivos do gênero da criatura, e que os pesquisadores ainda não sabem para que serve. Outro enigma sobre os enormes predadores é que eles desapareceram misteriosamente antes da extinção em massa no fim da era dos dinossauros. Para esclarecer essas e outras questões, são necessários mais estudos a respeito do espécime.