Matérias » Mundo

Progeria: a trágica doença das crianças idosas

Extremamente raro, distúrbio genético também é conhecido como Doença de Benjamin Button

Joseane Pereira Publicado em 16/09/2019, às 08h00

None
Reprodução

Um dos mais curiosos e impactantes casos da medicina, a Progeria é uma doença degenerativa que afeta pouquíssimas crianças no mundo. O jovem atingido por essa enfermidade apresenta traços de envelhecimento desde o nascimento, perdendo dentes e cabelos aos quatro anos e tendo problemas como reumatismo e osteoporose pouco tempo depois.

Doença rara

Identificada pelo patologista Jonathan Hutchinson em 1886, quando ele se deparou com um paciente que apresentava ausência de cabelo na infância, a progeria se caracteriza por um rápido envelhecimento iniciado aos 18 meses de idade. Apesar de ser um caso a cada oito milhões de nascimentos, esse distúrbio gera atenção em todo o mundo por sua peculiaridade.

Nos dias atuais, apenas 100 casos de progeria são conhecidos. Queda de cabelo, rosto estreito e enrugado, cabeça grande em relação ao corpo e um nariz de bico são características marcantes de quem tem a doença. Tal aparência distinta fez com que Mickey Hays, um dos casos notáveis de pessoas com progeria, fosse escalado como um alienígena no filme norte-americano Aurora Encounter, de 1986.

Mickey Hays no filme The Aurora Encounter, de 1986 /
Crédito: Reprodução

 

Envelhecendo de oito a dez vezes mais rápido que o normal, quem apresenta esse distúrbio geralmente tem o corpo pequeno e frágil, e facilidade para perder gordura e músculo. Como não há cura conhecida, poucos são os que ultrapassam os 13 anos de idade, e ao menos 90% dos pacientes morrem de ataque cardíaco ou derrame. No Brasil, cerca de 10 casos de progeria foram identificados pela comunidade médica.