Matérias » Putin

Putin quer ser um novo czar?

Putin iniciou seu primeiro mandato em 2000; hoje em seu 4º, ele pode concorrer em outras duas eleições e ficar no poder até 2036

Fabio Previdelli | @fabioprevidelli_ Publicado em 05/03/2022, às 00h00

O presidente russo Vladimir Putin e o Czar Nicolau II
O presidente russo Vladimir Putin e o Czar Nicolau II - Getty Images e Wikimedia Commons

De 1547 até a Revolução de 1917, a Rússia foi comandada por um sistema político chamado Czarismo. O nome é referente ao título que se dava ao Imperador russo em questão, que governavam com poder absoluto.

Como déspotas, agiam sempre visando o bem da grandeza imperial, na qual o papel do czar se confundia com o Estado, um sistema parecido com o absolutismo.

O czar, entre outras coisas, agia para retardar a modernização do país, não fornecendo condições básicas para o estabelecimento das indústrias e contribuindo para a manutenção de um sistema arcaico de produção agrícola, o que assemelhava a Rússia a uma sociedade feudal. 

Nicolau II em pintura/ Crédito: Domínio Público

O último czar russo foi Nicolau II, que teve uma gestão marcada por diversos episódios, mas quase nenhum positivos. A saga de Nicolau II no poder foi, sem dúvidas, uma das piores; terminando com sua queda e a execução de sua família — julho de 1918 — para a implantação de um governo que levasse em consideração as demandas do povo. 

Putin no poder

Em 31 de dezembro de 1999, o primeiro presidente da Rússia após o colapso da União Soviética, Boris Nikolayevich Yeltsin, anunciou que renunciaria ao cargo. Seu mandato foi marcado por diversos problemas públicos, muitos deles relacionados ao alcoolismo.

Yeltsin sugeriu que seu lugar fosse ocupado pelo ex-agente da KGB Vladimir Putin, que até então era Primeiro-Ministro da Rússia. Putin tomou posse como tal em 7 de maio de 2000, após ser eleito no primeiro turno com 53% dos votos.

Após seus dois mandatos como presidente da Rússia, entre 7 de maio de 2000 e 7 de maio de 2008, Vladimir Putin volta a ser primeiro-ministro do país, visto que a constituição russa, assim como a nossa, só permite que um candidato cumpra dois mandatos seguidos no cargo mais alto do país. 

Neste período longe da presidência, Dmitri Medvedev esteve à frente de uma das maiores nações do mundo. Atualmente, muito se debate sobre Putin ter tido, ou não, influência sobre a gestão de Medvedev; com especulações que ele era o homem que realmente tomava as decisões no país.

Em 2017, a Rede TVT exibiu uma série de quatro episódios chamada “Entrevistas com Putin”, em que o cineasta Oliver Stone entrevistou o presidente russo. Os dois se encontraram mais de dez vezes em um período de dois anos. 

Entre os assuntos tratados, o norte-americano o questionou sobre seu período que Putin passou como premiê da Rússia: “Você trabalhou com dedicação quando foi primeiro-ministro também”. 

“Sim, trabalho muito e com muito êxito, em geral”, respondeu. “Mas nessa época, o presidente da Rússia era outra pessoa, não eu. Conheço as opiniões sobre este período em nosso país e no exterior. Devo dizer que o presidente Medvedev executou suas funções de forma independente”.

Somente uma pessoa pode ser presidente do país. Aquele que é eleito pelo povo”, completou.

Putin quer ser um czar?

Pouco depois, Putin mostrou para Stone a sala do trono, onde o czar costumava ficar. O cineasta indagou: “Dizem que quer ser um czar. Isso é… que você é um novo czar. Está em capas de revistas por aí…”.

Putin riu da pergunta e respondeu: “Eles [imprensa internacional] gostam dessa ideia, é por isso que falam isso. Eles não conseguem se livrar desses velhos esteriótipos”.

Stone então recordou da vez que o presidente russo foi entrevistado por Charlie Rose, apresentador de um programa na CBS. A gravação foi realizada em 24 de setembro de 2015 e exibida dois dias depois na rede norte-americana. 

Vladimir Putin, presidente da Rússia/ Crédito: Getty Images

"Como você sabe, alguns chamam-no de czar”, falou Rose na ocasião. “E daí? As pessoas me chamam de várias formas”, retrucou o russo. “E o nome não corresponde?”, prosseguiu o apresentador. 

Não, não combina comigo. Não é importante como me chamam, sejam meus partidários, amigos, ou opositores políticos. O importante é o que você pensa de você mesmo, o que tem de fazer pelo interesse do país que confiou em você e colocou você à frente do Estado russo", disse Putin

Sobre a entrevista, Stone relembrou: “Mas você deixou Charlie Rose fazer um comentário no qual dizia: ‘Você tem todo o poder, pode fazer o que quiser’. Ele deixou isso muito claro, porque é assim que muitos americanos pensam, que não há um sistema aqui. E você não o corrigiu". 

“A questão é”, respondeu Putin. “Não se trata de ter muito poder, mas de usar todo esse poder da forma correta. Stone então rebateu: “Bom, então você deveria demitir o intérprete também”, e se surpreende ao descobrir que era a mesma pessoa que o auxiliava nas conversas com Putin

“Porque diz isso?”, indagou o profissional. “Acho que ele não entendeu a pergunta que Rose estava fazendo. Era em inglês, soava como se ele fosse o czar, e tomou por certo que ele era czar”, explicou o cineasta. 

Ele, provavelmente, estava tentando debater, iniciar um debate, mas eu não quis discutir com ele”, se explica Putin sobre o episódio. 

Putin no poder até 2036?

Em novembro de 2008, uma das primeiras emendas propostas pelo recém-eleito Dimitri Medvedev dizia respeito ao artigo 81, que aumentaria o mandato presidencial russo de quatro para seis anos. 

"Para Putin, foi ótimo, porque, oficialmente, quem propôs isso foi Medvedev, e não ele", explica Vladimir Gel'man, expatriado russo que ensina política russa na Universidade de Helsinque (Finlândia), em entrevista à BBC. "Putin estava à sombra, mas foi o maior beneficiário dessa mudança”.

Essa mudança deu à Putin, quando foi reeleito para seu terceiro mandato, que aconteceu de 2012 a 2018, a possibilidade de ficar no poder, por mais 12 anos — o que se concretizou quando ele venceu seu quarto pleito presidencial em 2018, recebendo mais de 76% dos votos. Com isso, seu quarto mandato, que está em curso, teria que durar até 2024. 

Vladimir Putin, presidente russo/ Crédito: Getty Images

Porém, conforme noticiado pela equipe do site do Aventuras na História em maio do ano passado, Putin assinou uma lei que garante algo recorrente: sua manutenção no poder. Afinal, com a medida assinada, ele poderá concorrer por mais dois mandatos. Assim, caso fosse reeleito nas duas próximas vezes, ele manteria-se no poder da Rússia até o ano de 2036. 

Mas será que Putin quer realmente governar até 2036? Em entrevista à BBC, Ben Noble, professor de política russa da University College de Londres (UCL), questiona o fato: "Talvez nem Putin o saiba".

"O que sabemos é que Putin apoia a emenda (...) porque ela oferece uma espécie de solução provisória para o problema de 2024", que é quando acaba, de fato, seu mandato.


+Saiba mais sobre Vladimir Putin por meio de grandes obras disponíveis na Amazon:

O novo Czar: ascensão e reinado de Vladimir Putin, de Steven Lee Myers (2018) - https://amzn.to/35X2oxy

As entrevistas de Putin, de Oliver Stone (2017) - https://amzn.to/2TBxgAX

Todos os homens do Kremlin: Os bastidores do poder na Rússia de Vladimir Putin, de Mikhail Zygar (2018) - https://amzn.to/30AAiqH

Putin : A face oculta do Czar, de Masha Gessen (2012) - https://amzn.to/2NDsHTb

Inside the Mind of Vladimir Putin, de Michel Eltchaninoff (2018) - https://amzn.to/38eYjWY

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W