Matérias » Personagem

Quem herdou toda a fortuna de Freddie Mercury?

Com uma herança avaliada em cerca de 100 milhões de dólares, o cantor não teve muita dificuldade na hora de dividir seus bens

Daniela Bazi Publicado em 17/02/2020, às 15h09

Freddie Mercury faleceu em 1991 por AIDS
Freddie Mercury faleceu em 1991 por AIDS - Getty Images

Ao falecer em 1991, em decorrência da AIDS, Freddie Mercury deixou uma fortuna avaliada em aproximadamente 100 milhões de dólares, que contava com alguns imóveis, ações e direitos autorais das músicas da icônica banda Queen. Todavia, anos após a sua morte, uma pergunta instiga a mente dos fãs e admiradores do astro: quem ficou com toda a herança?

Pouco antes de morrer, após ter decidido parar de tomar os comprimidos AZT - que eram os únicos que existiam para o tratamento da doença na época - o cantor chamou o empresário da banda Jim Beach para que pudesse escrever seu testamento e dividir os valores entre as pessoas no qual realmente amava e confiava. O documento foi divulgado para o público em 1992, um ano após sua morte. 

Com isso, a herança ficou dividida para os próximos 50 anos após sua morte, com validade até o dia 24/11/2041, e seria da seguinte forma: Mary Austin, sua ex-namorada, melhor amiga e, supostamente, o verdadeiro amor de sua vida, ficaria com 50% de seus bens e imóveis, além de todos os seus direitos autorais. Em contrapartida, seus pais, Jer e Bomi, receberam 25%, assim como sua irmã Kashmira. 

Freddie Mercury e Mary Austin durante o aniversário de 38 anos do cantor, em 1984 / Crédito: Getty Images

 

Freddie também teria deixado cerca de 560 mil euros, isentos de impostos, para Jim Hutton, seu namorado, que teria usado o valor para comprar uma casa na Irlanda. O mesmo valor foi dado para seu antigo cozinheiro, Joe Fanelli, e para seu assistente pessoal Peter Freestone. Além disso, 100 mil euros foram destinados ao seu motorista, Terry, que o acompanhou em muitas consultas durante seus últimos dias de vida. 

Após a morte dos pais, os valores direcionados a dupla foram todos transferidos para Kash. Quando a data estipulada vencer, ou Mary acabar morrendo, toda a fortuna do artista deverá ser entregue ao Fundo de Pesquisa Imperial de Câncer e a Sociedade Nacional para Crianças Deficientes Mentais, localizado na Inglaterra.

Em seu recente documentário, Freddie Mercury: A Life in his Own Words (Freddie Mercury: A Vida em suas Próprias Palavras, em livre tradução), o astro revelou durante seus últimos dias o por que de deixar boa parte de sua fortuna para Austin e os gatos.

Freddie Mercury e sua gata Tiffany / Crédito: Divulgação

 

Na ocasião, Mercury disse “Eu vou amá-la até meu último suspiro. Caso eu vá primeiro, deixarei tudo para ela. Ninguém mais leva um centavo, apenas os meus gatos. Eu posso ter todos os problemas do mundo, mas eu tenho a Mary e isso me motiva... Eu ainda a vejo diariamente e gosto tanto dela hoje quanto sempre gostei”.

O vocalista do Queen ainda completou dizendo “Apenas dois indivíduos me deram tanto amor quanto eu dei a eles: a Mary, com quem eu tive um longo relacionamento, e nosso gato, Jerry. O meu vínculo com a Mary só parece crescer”.

Austin vive atualmente na mansão, antiga residência luxosa do astro, com seus dois filhos, frutos de seu antigo casamento com o empresário Piers Cameron, em Garden Lodge, Londres, avaliada na época em 22,5 milhões de euros. Ela continua recebendo todos os direitos autorais das músicas do Queen ao lado dos outros membros da banda. 


+Saiba mais sobre Freddie e o Queen através dos livros abaixo

Freddie Mercury: A biografia definitiva, Lesley-Ann Jones (2013)

link - https://amzn.to/2RGcM9q

Queen nos bastidores,  Peter Hince (2012)

link - https://amzn.to/2slRCm9

Queen, Phil Sutcliffe (2011)

link - https://amzn.to/2Pat1tC

A Verdadeira História do Queen, Mark Blake (2015)

link - https://amzn.to/2EaAjaE

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, assinantes Amazon Prime recebem os produtos com mais rapidez e frete grátis, e a revista Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.