Matérias » Personagem

Racionamento de guerra e imprevistos: os curiosos bastidores do casamento de Elizabeth II

A união do casal começou quando a atual monarca tinha 13 anos, e dura até hoje como uma das mais longas uniões da história

Caio Tortamano Publicado em 03/05/2020, às 10h00

Elizabeth e Philip após a cerimônia de coroação real
Elizabeth e Philip após a cerimônia de coroação real - Wikimedia Commons

Quando tinha apenas 13 anos, Elizabeth II confessou estar apaixonada por um rapaz que conheceu em julho de 1939, na Universidade Real da Marinha. Esse jovem era ninguém menos que Philip da Grécia e Dinamarca, que tinha 18 anos na época.

Depois disso, os dois começaram a trocar cartas e em 1946 tornaram-se secretamente noivos, quando Philip pediu a mão da moça, que tinha 20 anos, em casamento para o pai, o Rei George VI. O monarca aceitou, contanto que o pedido fosse oficializado somente quando sua filha completasse 21 anos. Assim aceitaram a condição.

Em 9 de julho de 1947, foi oficialmente anunciado que o jovem casal se casaria na Abadia de Westminster, assim como todos os outros nove casamentos de membros da família real, que também haviam sido realizados no mesmo local.

Companhia

A princesa Elizabeth casou-se na companhia de oito damas de honra, sendo a Princesa Margaret — sua irmã — uma delas, e outras primas suas, de Philip e conhecidos da família. Os pajens foram seus primos William e Michael. O padrinho foi o Marquês de Milford Haven, primo em primeiro grau de Philip.

O vestido de Elizabeth foi financiado com cupons de racionamento. Diante do contexto da guerra, as produções dos países se voltavam para criação de armamentos. Assim, o governo distribuía cupons que serviam como vale-troca para itens específicos, como se fosse dinheiro.

Elizabeth e Philip no dia da coroação / Crédito: Getty Images

 

Dessa maneira, Elizabeth conseguiu custear a confecção de seu vestido, feito pelo designer Norman Hartnell. Os sapatos da atual rainha foram feitos de cetim, com detalhes em prata e com pérolas. A maquiagem quem fez foi a própria noiva, e o buquê que carregava tinha um raminho de murta, retirado do mesmo pé que foi utilizado no buquê da Rainha Victoria.

Joias

Suas joias renderam boas histórias para a posteridade. No dia do casamento, pouco antes de partir para a abadia, ainda no Palácio de Buckingham, sua tiara estourou. O joalheiro da corte, que estava de prontidão para resolver os imprevistos, foi chamado e escoltado pela polícia britânica para reparar a peça a tempo da celebração.

Como se não bastasse a tiara, Elizabeth esqueceu um par de colar de pérolas, um presente do próprio pai, que deveria ser usado justamente na cerimônia. Então, seu secretário pessoal, Jock Colville, foi até o Palácio de St. James — uma antiga residência real — e levou para a princesa, pouco antes das fotos oficiais que iria tirar no dia.

O anel de casamento foi feito de ouro galês, extremamente raro de uma região específica ao norte do País de Gales. A música ficou sob o comando do maestro William Neil McKie, um dos mais prestigiados musicistas do mundo.

Títulos

Depois da cerimônia, os convidados de honra foram até o Palácio de Buckingham, onde puderam se deliciar com o bolo de frutas que levou mais de 600 ovos para ser feito. Muitos dos ingredientes foram importados de fora da Grã-Bretanha, uma vez que o país ainda encarava os reflexos da Grande Guerra, que tinha acabado dois anos antes.

Para entrar na família real britânica e ser consolidado como britânico de fato, Philip abriu mão de seus títulos na Grécia e na Dinamarca, além de ter se convertido para o anglicanismo. Dessa maneira, pôde ser nomeado como Duque de Edimburgo, como é conhecido até hoje.

Elizabeth II / Crédito: Getty Images

 

 

Casados há 73 anos, Elizabeth II é uma das monarcas a mais tempo no comando de uma nação de toda a história. Atualmente com 94 anos, ainda vive com marido Philip, que tem 98 e abriu mão de seu cargo real visando a aposentadoria.


+Saiba mais sobre a família real britânica por meio de grandes obras disponíveis na Amazon:

Diana. O Último Amor de Uma Princesa, de Kate Snell (2013) - https://amzn.to/2TgHgPO

The Queen: The Life and Times of Elizabeth II (Edição Inglês), de Catherine Ryan (2018) - https://amzn.to/2RhgNA7

God save the queen - O imaginário da realeza britânica na mídia, de Almeida Vieira e Silva Renato (2015) - https://amzn.to/2xTkiGd

O Amor Da Princesa Diana, de Anna Pasternack (2018) - https://amzn.to/2xOZ8c9

A história do século XX, de Martin Gilbert (2017) - https://amzn.to/2yFZMcv

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp 

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7