Matérias » Personagem

Rebeldia e morte trágica: Kathleen 'Kick', a irmã esquecida de John F. Kennedy

A garota, que morreu aos 28 anos, teve sua morte silenciada para não prejudicar a carreira do irmão e ex-presidente dos Estados Unidos, John Fitzgerald Kennedy

Nicoli Raveli Publicado em 13/04/2020, às 16h42

Kathleen Kennedy Cavendish
Kathleen Kennedy Cavendish - Getty Images

Kathleen Kick Kennedy, irmã do ex-presidente dos Estados Unidos, John Fitzgerald Kennedy, não teve um fim digno. A garota, filha de Rose e Joseph, morreu aos 28 anos e era conhecida como a única rebelde da família.

"Se você olhar para todas as nove crianças [Kennedy], ela foi a única que não marchou pela estrada prescrita.”, afirmou Lynne McTaggart, autora do livro Kathleen Kennedy: Her Life and Times, de 1983.

Kathleen Kick, irmã do ex-presidente dos Estados Unidos, John Kennedy / Crédito: Divulgação

 

Após Joe Kennedy ser nomeado embaixador dos Estados Unidos, sua família passou a morar em Londres. Desde adolescente, a menina chamava atenção por sua beleza. "Ela era idiossincraticamente encantadora", disse uma de suas sobrinhas.

Foi em uma das festas rotineiras que ela conheceu o marquês de Hartington, William Cavendish, futuro duque de Devonshire. "Ele era um ótimo jogador e um cara legal", afirmou McTaggart. Ela acrescentou ao dizer que o garoto era muito tímido em comparação à Kick. Todavia, os dois se apaixonaram em pouco tempo.

William Cavendish e Kathleen Kick Kennedy no dia do casamento / Crédito: Divulgação 

 

Porém, em 1939, a rotina do casal passou por uma grande mudança. Depois que os nazistas invadiram a Polônia, Joe decidiu que seria mais seguro enviar sua família novamente para os Estados Unidos. Kick nunca concordou com a opinião do irmão e, mesmo implorando para ficar em Londres com William, voltou para a América com seus familiares.

De volta à Londres

Durante quatro anos, Kathleen obedeceu ao pedido de Joe e permaneceu nos Estados Unidos. Entretanto, ela sempre teve vontade de voltar ao Reino Unido para continuar seu romance com Billy, apelido que ela deu a William.

Não obstante, ela se inscreveu e começou a fazer parte da Cruz Vermelha, que já estava no processo de transportar os voluntários para a Inglaterra. Dessa maneira, ela e Billy, que era voluntário no exército britânico, reataram o relacionamento. No entanto, Rose Kennedy, sua mãe, não ficou feliz com a decisão da filha, uma vez que, além de voltar à Londres, estava acompanhada de um protestante.

A jovem Kathleen Kick Kennedy andando de bicicleta / Crédito: Divulgação

 

“Casar fora da igreja foi provavelmente o pior pecado que alguém poderia cometer. Significava viver a vida em pecado mortal e eventualmente ir para o inferno”, afirmou Kathleen. Mesmo assim, a garota ignorou os conselhos de sua mãe e casou-se com William em 1944.

Poucos meses depois do casamento, Billy foi convocado para lutar contra os nazistas, mas não teve sucesso e foi atingido no coração por um soldado do Terceiro Reich. Para Kick, o momento foi devastador. Entretanto, ela nunca chorou pela morte do marido.

Viveu o amor novamente

Após retornar à Inglaterra, Kathleen ficou mais conhecida como Lady Hartington. Logo encontrou o protestante Peter Fitzwilliam e voltou a usar o sobrenome da família.

Mais uma vez, os familiares não estavam contentes com a escolha e ameaçaram abandoná-la. "Fitzwilliam tinha muito dinheiro e era muito divertido", acrescentou. Eu acho que as chances de ele ser fiel a ela eram zero”, afirmou McTaggart.

Trágico fim

Enquanto o casal viajava para a França a fim de encontrar o pai de Kick, uma tempestade impediu a continuidade do voo, fazendo com que o avião se chocasse às montanhas. Não obstante, todos os passageiros foram mortos.

Lápide de Kathleen Kick Kennedy / Crédito; Divulgação

 

Mesmo com a morte de um membro da família Kennedy, apenas o pai de Kathleen compareceu ao funeral. De acordo com alguns historiadores, seus parentes mantiveram  a morte em silêncio. Além disso, a ausência dos familiares foi justificada pelo medo de lidar com fatos escandalosos, já que a carreira de Joe estava em ascensão.

Dessa maneira, a garota foi enterrada em 1948 no pequeno cemitério de Edensor, na Inglaterra, em um simples evento. Como ela não havia se casado com Peter, sua lápide apresenta o nome de Kathleen Cavendish, marquesa de Hartington.


+Saiba mais sobre o tema por meio das obras disponíveis na Amazon:

Os últimos dias de John f. Kennedy, Martin Dugard (2013) - https://amzn.to/35dWDfo

John F. Kennedy, Hourly History (2017) - https://amzn.to/2PAtBjx

Marilyn e JFK, François Forestier (2009) - https://amzn.to/2Pc440T

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/3b6Kk7du