Matérias » Personagem

Refém do glamour: a conturbada carreira de Natalie Wood e sua morte misteriosa

A atriz, que ganhou as telas do cinema no início da década de 1940, foi vítima de um acidente sem respostas

Nicoli Raveli Publicado em 18/03/2020, às 09h58

Natalie Wood no filme Clamor do sexo, 1961
Natalie Wood no filme Clamor do sexo, 1961 - Wikimedia Commons

Natalia Nikolaevna Zakharenko começou sua carreira muito jovem, realizando diversos trabalhos que receberam destaque ao longo dos anos. No entanto, seu sucesso escondia os bastidores da sua vida, que glamourosa não tinha nada. Há quase 40 anos, a artista teve um fim trágico, que ainda representa um dos maiores mistérios de Hollywood.

O começo de sua carreira cinematográfica se deu em 1943, aos quatro anos de idade, com o filme Filho Querido (1943). Com a ascensão, a atriz foi contratada pela produtora Rko e teve que mudar seu nome para Natalie Wood, uma forma legível e americanizada.

[Colocar ALT]
Atriz Natalie Wood em 1947 / Crédito: Wikimedia Commons

Maria Stepanova, mãe da artista, foi essencial para que a menina ganhasse destaque nos cinemas. Após alguns anos, Natalie chamou mais atenção ao fazer parte dos filmes O Amanhã é Eterno, de 1946, e O Fantasma Apaixonado (1947).

No mesmo ano, ela foi chamada para trabalhar em um dos filmes mais importantes da sua carreira, De Ilusão Também se Vive, de 1947, que é mais conhecido pela refilmagem em 1994, intitulado Milagre na Rua 34.

Com diversos papeis importantes, sua mãe já se mostrava orgulhosa. Quando Natalie era pequena, foi previsto que a atriz morreria afogada, o que gerou um medo gigante na garota. O ato se tornou mais macabro quando, ao longo da sua vida, a artista passou por diversos afogamentos.

O pavor cresceu aos dez anos, no set de gravação. A personagem que a atriz estava interpretando precisava atravessar uma ponte para ajudar carneiros, a estrutura quebrou, fazendo com que a artista caísse na água. A jovem quebrou um dos punhos e desenvolveu um trauma por toda sua vida, já que o diretor, William D. Russel, encarou seu desespero como uma atuação de primeira.

Vida conturbada

Depois dos 15 anos, Natalie começou a sentir que fazia parte da grande indústria do cinema e enfrentou as primeiras pressões de sua mãe, como a restrição a relacionamentos e a vida de adolescente, já que sua vida pessoal era moldada em uma imagem mais séria, o que não era adequado para sua idade.

A famosa foi forçada a terminar seu romance com Jimmy e se envolveu com o diretor Nicholas Ray, 27 anos mais velho que ela. No filme produzido por sua irmã, intitulado O Mistério de Natalie Wood, é possível observar que a jovem foi forçada pela mãe a jantar na casa de Frank Sinatra que, na época, tinha 40 anos.

Dentre diversos relacionamentos, destaca-se o de Wood e Harvey Weinstein. O boato era de que ele havia abusado de Natalie, assim como de outras jovens atrizes. Em 1957, Natalie casou-se com Robert Wagner, mas o casal se divorciou em 1962. Tal união preocupou a mãe da famosa, já que ela havia casado aos 19 anos. Com isso, Maria fez com que a filha prometesse que não teria filhos, o que poderia atrapalhar a sua carreira.

Na década de 1960, o casal trabalhou no filme Apaixonados Impetuosos, que foi um fracasso. Seu método de trabalho se diferencia em O Clamor do Sexo, também dos anos 60. Nele, Natalie aparece segura e não é mais uma moça indefesa.

Já nos anos 70, Wood despertou desinteresse pelo cinema. Após diversas tentativas de suicídio, ela decidiu que se dedicaria à terapia. Em 1970, a artista e Gregson tiveram um filho, o que fez com que seus últimos anos fossem divididos entre sua vida pessoal e profissional. Nesse meio tempo, seu relacionamento terminou e, em 1972, reatou o romance com Robert Wagner.

Robert Wagner e Nalie Wood / Crédito: Wikimedia Commons

 

A partir desse momento, Natalie caminhava para uma vida mais tranquila até que, no dia de Ação de Graças de 1981, ela estava de férias das filmagens do filme Projeto Brainstorm e decidiu que faria uma viagem de iate com o marido e com um colega de trabalho, Christopher Walken. Até hoje, tudo o que aconteceu naquela noite ainda é um mistério.

Acidente?

A única informação exata é de que Wood caiu na água e se afogou e, quando foi encontrada, já estava sem vida. De acordo com Wagner, eles haviam brigado horas antes dela desaparecer. Walken, amigo do casal, nunca comentou sobre o ocorrido. O caso foi aberto diversas vezes, mas não houve conclusão sobre a situação.

Já em 2018, Robert tornou-se o principal suspeito do caso, mas recusou-se a falar com os investigadores em 2018. No mesmo ano, um relatório do IML de Los Angeles informou que a artista teria sido estrangulada antes de falecer. Em entrevista, Natasha, filha de Natalie, comentou que não acreditava que Wagner fosse o responsável pelo ocorrido.


+Saiba mais sobre o tema através das obras abaixo:

Natalie Wood: Reflections on a Legendary Life, Manoah Bowman (2016) - https://amzn.to/38R9EMU
 
Natalie Wood: The Complete Biography,  Suzanne Finstad (2020) - https://amzn.to/2UdwCsn
 
Natalie Wood, Gavin Lambert (2012) -  https://amzn.to/2Ue1fxB
 

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, assinantes Amazon Prime recebem os produtos com mais rapidez e frete grátis, e a revista Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.