Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Matérias / Arqueologia

Relembre a descoberta da múmia encontrada em posição singular

O corpo mumificado com as mãos cobrindo o rosto de pelo menos 800 anos foi identificado no Peru em novembro do ano passado

Isabela Barreiros Publicado em 15/02/2022, às 17h38

A múmia descoberta em Cajamarquilla, no Peru - Divulgação/Luis Yupanqui/Facebook Revista Rumbos
A múmia descoberta em Cajamarquilla, no Peru - Divulgação/Luis Yupanqui/Facebook Revista Rumbos

Em novembro do ano passado, arqueólogos da Universidade Nacional de San Marcos (UNMSM) fizeram uma descoberta impressionante enquanto escavavam o subsolo de uma praça em uma cidade do sítio arqueológico de Cajamarquilla.

O local histórico, localizado a aproximadamente 25 quilômetros de Lima, capital do Peru, guarda uma série de tesouros do passado da região e não foi diferente na escavação realizada no final de 2021.

Na época, foi revelado que os pesquisadores encontraram nada mais nada menos que uma múmia bastante preservada que tinha uma idade estimada entre 800 e 1200 anos, com características muito peculiares.

Além de estar em um ótimo estado de conservação, o que já interessava os especialistas, a posição curiosa em que cobria o rosto com as mãos instigou.

A múmia 

Pesquisadores com a descoberta / Crédito: Divulgação/Luis Yupanqui/Facebook Revista Rumbos

A equipe, composta por cerca de 40 pessoas, começou a escavar a região nas proximidades da capital peruana em meados de outubro daquele ano. Eles foram liderados pelo pesquisador Pieter Van Dalen Luna e pela arqueóloga Yomira Huamán Santillán.

Como relatou a CNN internacional, o histórico de múmias da região é extenso e inclui tanto regiões do Peru quanto do país vizinho, o Chile. Grande parte dos corpos mumificados encontrados tem mais de mil anos e surpreende os estudiosos.

Ainda assim, quando eles se depararam com a múmia amarrada, ficaram extremamente surpresos pois não estavam esperando por esse tipo de descoberta na época. Trata-se de um achado de grande porte.

O sítio arqueológico onde os arqueólogos encontraram a múmia / Crédito: Divulgação/Luis Yupanqui/Facebook Revista Rumbos

Toda a equipe estava muito feliz porque achávamos que isso não ia acontecer”, contou Yomira Huamán Santillán à publicação quando o corpo foi encontrado. “Não esperávamos fazer uma descoberta tão importante”.

Segundo os especialistas, trata-se de uma múmia de uma jovem que morreu entre os seus 25 e 30 anos de idade que pode ter vindo da região das montanhas para Cajamarquilla, onde foi encontrada. A mudança aconteceu provavelmente porque a cidade era um antigo centro comercial na era pré-Colombo.

Para Pieter Van Dalen Luna, “a descoberta deste residente lança uma nova luz sobre as interações e relações nos tempos pré-hispânicos”, ou seja, ainda antes da civilização inca, que foi responsável por estabelecer Machu Picchu, no século 15.

Alto status

“O fato de encontrar uma múmia com estas características no meio da praça deixa claro que esta é uma pessoa de alto status”, afirmou Van Dalen Luna sobre a múmia encontrada em Cajamarquilla.

A pessoa pode ter sido um proeminente comerciante na época em que viveu, provavelmente não sendo um cidadão comum, mas alguém extremamente importante em decorrência das características de seu enterro.

“Depois que o corpo é colocado na tumba, há eventos e atividades constantes”, explicou o pesquisador “Ou seja, seus descendentes continuam voltando ao longo de muitos anos e colocando lá alimentos e oferendas, inclusive moluscos”.

Ossos e fragmentos descobertos nas proximidades da múmia / Crédito: Divulgação/Luis Yupanqui/Facebook Revista Rumbos

Fora o fato de ela estar com as mãos cobrindo o rosto, o que os especialistas acreditam ser uma prática funerária do sul peruano, a múmia também foi encontrada com alguns moluscos marinhos do lado de fora de sua tumba, assim como ossos de lhamas.

O local em que o corpo foi encontrado está a cerca de 25 km da costa, o que fez com que os arqueólogos ficassem intrigados com a descoberta de moluscos no túmulo. Quanto aos restos mortais de animais, eles podem ter sido consumidos pelas pessoas da época e seus pedaços de carne oferecidos ao morto.

Após as escavações e descoberta da múmia, mais análises especializadas deverão ser feitas no corpo para que detalhes sobre sua identidade sejam revelados, incluindo uma datação por radiocarbono para deduzir o momento da história em que a pessoa viveu.