Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Matérias / Crimes

Restos mortais de 50 anos são identificados e pode ligar crime a serial killer

Susan Poole, de 15 anos, desapareceu pouco antes do natal de 1972

Fabio Previdelli Publicado em 06/06/2022, às 13h38 - Atualizado em 12/06/2022, às 07h00

Retrato de Susan Poole (dir.) e sua imagem computadorizada (esq.) - Divulgação/ Arquivo Pessoal
Retrato de Susan Poole (dir.) e sua imagem computadorizada (esq.) - Divulgação/ Arquivo Pessoal

Após quase 50 anos, os restos mortais de uma adolescente desaparecida em 1972 finalmente foram identificados. De acordo com as autoridades da Flórida, a descoberta pode estar relacionada a crimes cometidos por um serial killer

Susan Poole, de 15 anos, foi dada como desaparecida pouco antes do natal de 1972. À época, ela morava com a família em um estacionamento de trailers e como uma amiga em um apartamento perto de Fort Lauderdale. 

Ela foi amarrada nos manguezais com arame em uma árvore”, disse o detetive William Springer em entrevista coletiva concedida na última quinta-feira, 2. “Ela era restos esqueléticos. Não tinha nada ‘dela’, exceto ossos”. 

As buscas

Segundo o The New York Post, restos mortais sem identificação foram encontrados em um pântano em 1974. Até então, todos os indícios apontavam que eles seriam de Susan Poole, mas a falta de compatibilidade impossibilitou essa associação. 

O caso ultrapassou a barreira das décadas e pareceu ter tido um ponto final em 2015, quando o DNA da garota foi submetido a um banco de dados nacional de pessoas desaparecidas. Além do mais, uma composição computadorizada da vítima foi feita na tentativa de sua identificação. Mas não houve reconhecimento de Susan. Muitos viam o caso como encerrado.

A situação só foi esclarecida recentemente, quando um laboratório forense do Texas, o Othram, coletou material genético da mãe e dos irmãos da vítima. Só assim a compatibilidade com os restos mortais encontrados foi estabelecida. 

A família ficou feliz em saber o que aconteceu", disse Springer. “Você sabe que faz muito tempo que espera para ver o que aconteceu com a irmã deles.”

De acordo com a Monet, Susan teria sido vítima do serial killerGerard Schaefer. Ele foi acusado de assassinar cerca de 30 pessoas, mas só foi preso e condenado pela morte de duas meninas, de 16 e 17 anos. 

As duas foram encontradas, em abril de 1973, mutiladas e decapitadas — Poole estava em uma situação parecida quando seus restos mortais foram localizados. Schaefer era um ex-policial do condado de Marin e acabou morto na prisão em 1995.