Matérias » Hollywood

Há 53 anos, Jayne Mansfield, o outro sex symbol de Hollywood, morria em um trágico acidente

Mansfield ganhou destaque após ser capa da Playboy e tinha um futuro promissor pela frente, se não fosse um triste episódio

Paola Churchill Publicado em 29/06/2020, às 10h31

Jayne Mansfield na capa da Playboy, em 1955
Jayne Mansfield na capa da Playboy, em 1955 - Divulgação/Facebook

O mundo parecia pequeno para Jayne Mansfield. Entre os anos 1950 a 1960, a jovem era a sex symbol americana com um sorriso misterioso e corpo escultural. E não era apenas a aparência deslumbrante que chamava a atenção: a loira era muito inteligente, com QI acima de 163.

Começou sua carreia fazendo pequenas participações em filmes, mas a situação mudou quando se tornou a capa da Playboy em fevereiro de 1955. Ela voltou a fazer ensaios fotográficos para a revista de conteúdo adulto mais de 30 vezes. Logo, Hollywood bateu os olhos na jovem; ela passou a se deparar com inúmeras oportunidades em produções cinematográficas. 

Ela era cotada para papéis de "loira sedutora" e sempre concorria com outra estrela da época: Marilyn Monroe. Os meios de comunicação começaram a criar uma rivalidade muito grande entre as duas, e rotulavam Jayne como "a Marylin dos pobres". 

O estrelato 

Mas a estrela nunca deixava o insólito apelido abalar ou apagar seu brilho e estrelou mais de 23 longa-metragens. Jayne fez filmes que até hoje são lembrados, e o mais famosos deles foi Em Busca de um Homem (Will Success Spoil Rock Hunter?), de 1957, no qual ela dá vida à atriz Rita Marlone que aceita fingir ser namorada do publicitário Rockwell Hunter (Tony Randall).

Pôster do filme Em Busca de um Homem (Will Success Spoil Rock Hunter?), de 1957/Crédito: Wikimedia Commons

 

A atuação no longa, fez com que a estrela em ascensão fosse indicada em várias premiações e ganhasse um Globo de Ouro por seu papel na obra cinematográfica. Mansfield. Ela tinha tudo, mas, começou a ver sua carreia entrar em decadência nos anos 1960.

O culto satânico

Com a revolução cultural e social que aconteceu na época, a ideia da mulher perfeita já estava distante. A figura da "loira bobinha" que a atriz passava em suas atuações tornou-se antiquada. 

Com a carreira em declínio, a moça se afundava cada vez mais em drogas e em meio à uma depressão profunda. E para piorar, vivia num relacionamento extremamente abusivo com Sam Brody. Foi nesse momento de escuridão que ela conheceu Anton LaVey, líder da Igreja de Satã.

Anton era extravagante e seus rituais eram amplamente divulgados pela mídia. Jayne, que toparia qualquer coisa para ser capa das manchetes, começou a frequentar o local e foi nomeada como Alta Sacerdotisa da Igreja de Satanás de São Francisco.

Jayne Mansfield e Anton LaVey na Igreja do Satã, em São Francisco/Crédito: Divulgação/Youtube 

 

Não demorou muito para que os dois começassem um relacionamento extraconjugal: o líder satanista implorava para que a atriz largasse do atual companheiro para que eles pudessem ficar juntos, Jayne afirmava que ela tinha medo de Sam fazer algo, caso cortasse relações com ele.

Foi nessa época que a atriz encontraria um trágico fim, distante do que esperava naquele momento. Em 29 de junho 1967, a atriz, seu namorado Sam Brody e três de seus quatro filhos, estavam fazendo uma viagem em família a Nova Orleans. Por volta das duas da manhã, o veículo colidiu com um caminhão da U.S. Route 90 de Louisiana.

 A batida foi tão feia, que surgiram boatos que a cabeça de Jayne foi arrancada de seu corpo, mas, não foi bem isso que aconteceu. Com o impacto da colisão, o corpo da atriz voou para fora do carro e ela foi escalpelada. Tanto que quando os policiais chegaram ao local, eles acharam que ela era careca e usava uma peruca loira. 

A estrela e seu namorado Sam que teve o corpo esmagado com a força do impacto, morreram na hora. Os filhos dela saíram ilesos, sofrendo apenas pequenos ferimentos.   

Jayne Mansfield é mãe da famosa atriz Mariska Hargitay, estrela da tv americana/Crédito: Divulgação/Instagram 

 

Uma das crianças era a garotinha Mariska Hargitay, que tinha apenas três anos de idade, igual Jayne ao presenciar a morte de seu pai. A menina decidiu seguir o legado de sua mãe e se tornou uma grande estrela da televisão: a detetive Olivia Benson da aclamada série americana Law and Order: SVU.

Até hoje, Mariska deixa o legado de Jayne vivo, frequentemente fala da mãe em entrevistas e a semelhança entre as duas é muito comentada. Mas, a relação da matriarca com o Satanismo, nunca foi mencionada.


+Saiba mais sobre Hollywood por meio de grandes obras disponíveis na Amazon:

Hollywood: 131, de Charles Bukowski (1998) - https://amzn.to/2UXDWKe

Cenas de uma revolução: o nascimento da nova Hollywood, de Mark Harris (2011) - https://amzn.to/3c6gqAr

O pacto entre Hollywood e o nazismo: Como o cinema americano colaborou com a Alemanha de Hitler, de Ben Urwand (2019) - https://amzn.to/2ViwOqO

Hollywood Babylon: The Legendary Underground Classic of Hollywood's Darkest and Best Kept Secrets (Edição Inglês), de Kenneth Anger (1981) - https://amzn.to/2RurMWU

O livro do cinema, de Vários autores (2017) - https://amzn.to/2VeOS52

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W