Matérias » Estados Unidos

Rivalidade e decadência: o pouco conhecido fim dos irmãos McDonald

Uma trama de disputa por fama e reconhecimento envolvendo Ray Kroc e os McDonald começa com um acordo que teria favorecido só um dos lados

Vanessa Centamori Publicado em 26/08/2020, às 09h44

Os irmãos McDonald
Os irmãos McDonald - Wikimedia Commons/Divulgação McDonald's

Você certamente já ouviu falar no McDonald's ou já comeu os lanches em uma das unidades de restaurantes da empresa. Enquanto comia, você dificilmente imaginava que, no caso da comerciante de hambúrgueres, o ovo veio antes da galinha: isto é, a história da companhia de fast food começa antes mesmo da própria existência do conceito de fast food.

Os inventores do "sistema de comida rápida" (do inglês, Speedee Service System) são os irmãos Richard e Maurice McDonald, que começaram o seu império lá de baixo. Na pequena cidade de Arcadia, na Califórnia, os dois abriram uma barraca de lanchonete que vendia hambúrgueres por uma mixaria de 10 centavos cada.

Os lanches, que eram servidos o mais rápido possível, acabaram mais tarde repercutindo na ideia de agilidade que se espalha por todas as mais de 40 mil unidades do McDonald's do planeta. 

Ray Kroc / Crédito: Wikimedia Commons 

 

Um olheiro

Os irmãos McDonald deixaram a barraca de lanches de lado em 1940. A seguir, inauguraram um restaurante em um edifício de concreto, que tinha um enorme M na fachada na cor amarela.

Não só o M de 7,5 metros, como também a ideia deles, logo começou a chamar a atenção na cidade. Em especial, quem notou o trabalho dos irmãos foi Ray Kroc — atribuído até hoje como o fundador do McDonald’s.

Mas, por que os próprios Richard e Maurice McDonald não tiveram destaque nos holofotes? a resposta para isso é bem simples. Kroc vendia máquinas de milk-shake e estava passando por grande fracasso. 

Até que viu que os irmãos McDonald estavam encomendando seis liquidificadores. Então, de olho no sucesso alheio, se candidatou para trabalhar como representante comercial da marca. 

Vingança

A ambição de Kroc era tão grande que ele queria expandir internacionalmente o McDonald's. Por outro lado, os irmãos só queriam lucrar um milhão de dólares antes dos 50 anos. Por isso, já sendo empreendedores de sucesso, aceitaram vender a empresa para o funcionário. A venda foi fechada no valor de 2,7 milhões de dólares.

Mas, o dinheiro causou intriga: Kroc se revoltou, acusando os irmãos de exigirem essa quantia grandiosa para boicotar seus planos de expansão. Mesmo assim, o acordo foi selado — e sem nenhum tipo de contrato, pois os três não queriam declarar o dinheiro na receita. 

O resultado foi que os McDonald saíram perdendo. Kroc expandiu a marca e o modelo de fast food. Além de fazer a empresa valer dezenas de milhões de dólares, ele ainda tentou comprar o restaurante original. Mas, falhou, pois os irmãos queriam deixar o estabelecimento para os funcionários que o haviam inaugurado, em 1940.

Uma antiga unidade do McDonald's / Crédito: Divulgação/Youtube/CBS Sunday Morning

 

Rivalidade

Mesmo não sendo capaz de comprar a unidade histórica que ele queria, Kroc agiu de modo vingativo mais uma vez; abriu um McDonald’s do outro lado da rua. E o único estabelecimento que ainda estava nas mãos dos irmãos McDonald nem se quer mais podia carregar o nome deles, já que o rival tinha comprado a marca. Então, ficou nomeado de The Big M — por mais contraditório que pareça. 

Além disso, o novo dono fez questão de ser registrado como o fundador do McDonald's, datando a origem da empresa em 1955, quando ele supervisionou o seu primeiro restaurante da franquia. Em outras palavras: deixou de lado completamente os irmãos McDonald. 

Somente o sobrinho deles, chamado Ronald McDonald, se tornou mais conhecido: foi por dar nome ao palhaço da propaganda da rede de fast food. Ironicamente, é ele, o homem da figura cômica, um dos grandes críticos de Kroc. Ronald acusa-lhe de forjar seu legado como o fundador oficial, pois, na verdade, ele apenas comprou a empresa mais para frente quando o sucesso começava. 

A primeira franquia do McDonald's em Fresno / Crédito: Wikimedia Commons

 

Fim decadente

Enquanto Kroc ficou famoso por sua ligação ao negócio de sucesso, Maurice McDonald sofreu com episódios de estresse e raiva, manifestando o sentimento de que fora enganado e roubado pelo rival. Acabou falecendo de um ataque cardíaco em 1971.

Richard McDonald, por sua vez, soube lidar melhor com a situação, vivendo até os 89 anos de idade. Ver o irmão falecer o fez perceber que ele não queria morrer estressado da mesma maneira.

Também dizia que não tinha arrependimento de ter vendido a empresa. “Caso contrário, teria terminado em um arranha-céu com quatro úlceras e oito promotores tentando resolver minha declaração de imposto de renda”, afirmava Richard em 1991, segundo a Forbes

De qualquer maneira, Richard McDonald teve uma vida de riqueza, deixando uma fortuna de 5,7 milhões de reais, ao falecer em 1998. Já Ray Kroc morreu 4 anos antes, com uma herança bem maior, que somava 1,6 bilhão de reais. 


Saiba mais sobre o McDonald's por meio de grandes obras disponíveis na Amazon:

1. Fome de poder: a verdadeira história do fundador do McDonald's, de Ray Kroc (2018) - https://amzn.to/2EiPT7P

2. McDonald's: Behind the Arches, de John F. Love (1995) - https://amzn.to/32sI6fr

3. Fast Food Nation. The Truth Behind Your Burger, de Eric Schlosser (2012) - https://amzn.to/3aVU9Gd

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp 

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W