Matérias » Pré-História

A saga do neandertal que sobreviveu graças a amigos

Estudo de 2017 reforçou a "humanidade básica" desses ancestrais

Isabela Barreiros Publicado em 27/11/2021, às 08h00

Representação de neandertal
Representação de neandertal - Neanderthal-Museum via Wikimedia Commons

A espécie humana conhecida como Neandertal surgiu na Europa e no Oriente Médio há aproximadamente 400 mil anos e sua cultura, identificada como musteriense, é estudada pela ciência para que se saiba mais sobre o passado da humanidade.

Eles foram extintos há cerca de 28 mil anos, mas ainda possuem vestígios nos dias de hoje: o homem do Período Paleolítico compartilha com os humanos atuais 99,7% do seu DNA, o que deixa essa relação clara.

Os hábitos dessa espécie continuam sendo investigados por pesquisadores, que descobriram em 2017 informações importantes sobre os comportamentos sociais e de cooperação entre os hominídeos.

Cientistas da Universidade Washington em St. Louis, nos Estados Unidos, investigaram o esqueleto de um neandertal que viveu há mais de 50 mil anos e perceberam que ele provavelmente só sobreviveu graças a sua comunidade, ou seja, seus amigos.

O neandertal Shanidar 1

Crânio do neandertal analisado pelos pesquisadores / Crédito: Divulgação/Erik Trinkaus

 

O indivíduo foi encontrado na caverna Shanidar, no Iraque, pelo arqueólogo americano Ralph Solecki, professor emérito da Universidade de Columbia. Os restos mortais foram batizados de Shanidar 1 em homenagem ao local onde eles foram descobertos.

Análises realizadas no esqueleto revelaram que ele apresentava múltiplas lesões — mais do que o permitiriam sobreviver sozinho em um ambiente hostil e difícil para os seres humanos.

Como relatou na época o portal científico Science Daily, Shanidar 1 apresentava ferimentos relacionados a um golpe lateral na face, ferimentos na perna direita, fraturas e posterior amputação do braço direito no cotovelo e, inclusive, um quadro degenerativo sistemático.

No entanto, as dificuldades encontradas pelo indivíduo para a sobrevivência não eram apenas externas e de locomoção, por exemplo. Uma investigação mais profunda foi feita por cientistas do Centro Nacional Francês de Pesquisa Científica.

A pesquisa posterior revelou que os crescimentos ósseos nos canais auditivos do indivíduo teriam feito com que ele tivesse uma grande perda auditiva, o que o tornaria ainda mais vulnerável em pleno contexto pleistoceno.

"Mais do que a perda de um antebraço, claudicação e outros ferimentos, sua surdez o teria tornado uma presa fácil para os carnívoros onipresentes em seu ambiente e dependente de outros membros de seu grupo social para sobreviver", explicou Erik Trinkaus, co-autor do estudo e professor de antropologia da Universidade Washington.

A privação sensorial e as debilitações teriam feito com que ele se tornasse bastante vulnerável, mas os pesquisadores perceberam que o indivíduo viveu até cerca de 40 anos de idade porque provavelmente se tornou “protegido” na comunidade.

Segundo Trinkaus, a ajuda dos outros hominídeos foi essencial para que ele pudesse sobreviver por esse período relativamente longo para a espécie, a partir dos laços de cooperação e básicos de “humanidade” desenvolvidos por eles já naquele período.

O pesquisador, que é especialista no estudo de neandertais, ressaltou ainda que não foi a primeira vez que esse tipo de comportamento foi identificado entre a espécie, o que indica que esses vínculos podem ter sido mais comuns que imaginamos.

"As debilidades de Shanidar 1, e especialmente sua perda auditiva, reforçam assim a humanidade básica desses humanos arcaicos muito difamados, os Neandertais", concluiu Trinkaus.

O estudo completo sobre o neandertal foi publicado na revista científica PLOS ONE


+Saiba mais sobre os Neandertais por meio de grandes obras disponíveis na Amazon:

Neandertal, nosso irmão: Uma breve história do homem, de Silvana Condemi e François Savatier (2018) - https://amzn.to/2WUyusD

Os neandertais e Cro-Magnon: a história e o legado do primeiro povo a migrar para a Europa, de Charles River Editors (2018) - https://amzn.to/36lNRx2

Neandertais: A História dos Humanos Extintos Contemporâneos do Homo Sapiens na Europa, de Charles River Editors (2018) - https://amzn.to/2M3G269

The Neanderthals: The History of the Extinct Humans Who Were Contemporaries of Homo Sapiens in Europe (Edição Inglês) - https://amzn.to/2ZsziGF

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W