Matérias » Personagem

Segredo traumático: a morte da mãe de Walt Disney, que o atormentou até o fim de sua vida

Flora Call Disney morreu em 1938, num acidente que levou o filho a um forte sentimento de culpa — inspirando, até mesmo, a morte da mãe do Bambi

André Nogueira Publicado em 29/04/2020, às 14h30

Elias e Flora Disney
Elias e Flora Disney - Wikimedia Commons

Você já reparou que os filmes clássicos da Disney não costumam ter a presença de mães? E que as maiores exceções, como o famoso Bambi e a Bela adormecida, mostram uma trágica morte que obriga o protagonista a crescer? Esse fato também é repetido pelo enredo de Rei Leão, mas no caso com a morte de Mufasa, o pai de Simba. O elemento do óbito parental e a ausência de mães nos enredos não são em vão: ao fim, são referências à trágica realidade da biografia de seu criador.

Walt Disney é sem dúvida o mais famoso produtor de cinema e publicitário da História. Criador do atual maior império midiático do mundo, ele fez carreira com o desenvolvimento de intrigantes e precursores desenhos e personagens de animação que marcaram gerações. Atuando, inclusive, politicamente, Disney tinha alta influência e suas obras foram usadas até para propagandas, como o combate ao nazismo, a aproximação dos EUA com a América Latina e as querelas da Guerra Fria.

Em 1937, ele entrou para a história ao criar o primeiro longa-metragem de animação, A Branca de Neve e os Sete Anões, que também marcou o audiovisual pela colorização. No fim da vida, sua empresa marcou o recorde de ter 22 duas estatuetas do Oscar e não havia um estadunidense que não conhecesse seu personagem principal, o Mickey Mouse.

Morte da mãe de Bambi / Crédito: Divulgação/Disney

 

Porém, um momento que foi fortemente marcante na história de Walt, e que ele nunca comentou em vida, foi a trágica morte de sua mãe, o que explica as características citadas de sua obra. Segundo Don Hahn, produtor executivo de obras como Malévola, Rei Leão e O Estranho Mundo de Jack, a ausência de mães na obra de Disney se explica, entre outros motivos, pelo trauma gerado por um incidente ocorrido nos anos 1930.

O fato é autenticado na biografia do animador, How to Be Like Walt: Capturing the Disney Magic Every Day of Your Life (em uma tradução livre, Como ser parecido com Walt: capturando a magia da Disney todos os dias da sua vida), que expõe que, após o inicial sucesso de Walt no cinema, ele e seu irmão decidiram comprar uma casa para os pais em Los Angeles. Porém, essa moradia traria futuros problemas.

Após um ano de presentar os pais, a casa começou a dar indícios de vazamento de gás interno, e sua mãe, Flora Call Disney, o ligou perguntando se era possível que se consertasse o forno. "Ele mandou os caras do estúdio virem consertar o forno, mas quando sua mãe e seu pai se mudaram, o forno vazou e sua mãe morreu", disse Hahn para a revista Glamour.

Na manhã seguinte à ligação, a empregada doméstica dos pais de Walt chegou na casa e descobriu os dois desacordados por conta do gás. Ela puxou ambos para o quintal e chamou paramédicos. O pai Elias foi levado ao hospital, em estado grave, mas sua mãe já estava morta. O fato traumatizou o cineasta, que nunca falou sobre isso.

Walt Disney / Crédito: Wikimedia Commons

 

O sentimento de culpa de Disney era fortíssimo, pois ele se sentia responsável pela morte, dado que tinha comprado o imóvel junto ao irmão como presente. O fato, nunca revelado ao público, não chegou aos funcionários dos estúdios Disney, então nenhum deles sabia das razões pelas quais seus trabalhos desenvolviam tão fortes cenas de luto.

O incidente correu em 26 de novembro de 1938, após o sucesso de Branca de Neve. Abalado, seu seguinte filme, Pinóquio, expõe a falta de foco causada pelo turbilhão de sentimentos de Walt com algumas falhas e um fracasso de bilheteria.

"A ideia de que ele realmente contribuiu para a morte de sua mãe foi realmente trágica. Se você gosta, pode ler sobre isso", comenta Hahn. "Não é um segredo dentro da família deles, mas é apenas uma tragédia que é tão difícil de se falar. Isso ajuda a entender o homem um pouco mais".

Flora com a família / Crédito: Walt Disney Family Museum

 

O fato perturbou Walt Disney até o fim de sua vida (morreu em 1966 por conta de um câncer de pulmão), e o produtor levou o trauma para o túmulo. A infelicidade de Walt e a insistência nos temas relativos ao luto materno e à morte de parentes no desenvolvimento de seus personagens não eram plenamente compreendidas até análises póstumas que revelaram o acidente.


+Saiba mais sobre o Walt Disney por meio de grandes obras disponíveis na Amazon:

Walt Disney: O triunfo da imaginação americana - 3ª Edição, de Neal Gabler (2020) - https://amzn.to/3eXJsEn

A magia do império Disney, de Ginha Nader (2019) - https://amzn.to/3eVVz53

Segredos de Walt Disney, de Jim Korkis (2015) - https://amzn.to/3aIzkMo

Você Conhece Walt Disney?, de Whitney Stewart e Nancy Harrison (2015) - https://amzn.to/2W6k5I7

Nos bastidores da Disney, de Tom Connellan (2010) - https://amzn.to/3eXKCzJ

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp 

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W