Matérias » Personagem

Shelley Winters protagonizou um dos momentos mais vergonhosos do Oscar

Em 1951, a atriz foi centro de minutos de ilusão que quase estragaram sua noite de premiação

Alana Sousa Publicado em 25/04/2021, às 10h00

Shelley Winters no filme 'Um Lugar ao Sol' (1951)
Shelley Winters no filme 'Um Lugar ao Sol' (1951) - Divulgação/Paramount Pictures

A expectativa para o Oscar de 2021 é grande. A premiação é uma das mais assistidas e celebradas pela indústria cinematográfica, homenageando as produções de maior qualidade para a Academia.

Como todo evento, é difícil que a noite se passe sem, pelo menos, uma gafe. A confusão entre Moonlight e La La Land na edição de 2017 viralizou nas redes sociais, entrando para a história como um dos maiores fiascos do Oscar.

Cena do filme 'Um Lugar ao Sol' (1951) / Divulgação/Paramount Pictures

 

Assim, sempre que uma nova edição se aproxima deslizes antigos voltam à tona, se tornando conhecidos por aqueles que jamais haviam ouvido falar nos incidentes. Em homenagem ao Oscar, que acontecerá no próximo domingo, 25, vamos relembrar a premiação de 1952, que contou com uma cena cômica protagonizada pela atriz Shelley Winters.

Naquele ano, a edição contava com grandes obras a serem premiadas. Uma das categorias mais esperadas é sempre a de melhor atriz, que na época contou com nomes como: Jane Wyman (Ainda Há Sol em Minha Vida); Eleanor Parker (Chaga de fogo); Katharine Hepburn (The African Queen, sem tradução para o português); Vivien Leigh (Uma Rua chamada Pecado); e claro, Shelley Winters, por um Um Lugar ao Sol.

Eu ouvi meu nome?

A trama de 1951, dirigida e produzida por George Stevens, contava ainda com Elizabeth Taylor e Montgomery Clift no elenco, tornando-se um dos filmes favoritos a ganhar as mais importantes estatuetas.

Foto de Elizabeth Taylor, Montgomery Clift, Shelley Winters, na divulgação do filme de 1951 / Crédito: Divulgação

 

E de fato, a produção conquistou honrarias relevantes, como ‘Melhor Diretor’, ‘Melhor Trilha Sonora’ e ‘Melhor Fotografia - Preto e Branco’. O prêmio de melhor atriz já era dado como certo por Shelley, até que no momento da anunciação, um nome lhe pegou de surpresa.

Quando os apresentadores anunciaram o nome de Vivien Leigh como a vencedora na categoria ‘Melhor Atriz’, a plateia se surpreendeu ao ver Winters se levantar e ir em direção ao palco principal.

A atriz estava tão certa que iria levar o prêmio que ouviu seu nome ser anunciado, ainda que não passasse de ilusão. Foi graças ao seu então marido, o ator e diretor Vittorio Gassman (falecido em 2000), que o vexame foi, de certa forma, impedido.

Ao perceber que a esposa não percebera que havia perdido o prêmio, Gassman a puxou levemente pelo braço e disse “Não Shelley, É a Vivien...”, conforme repercutiu o Estadão. Assim, a artista voltou pra realidade e percebeu que todos a olhavam; Vivien, por sua vez, chegou ao palco e fez o famoso discurso de aceitação.

Vivien Leigh aceitando seu Oscar, em 1952 / Crédito: Divulgação/Youtube

 

Ainda em matéria publicada pelo Estadão, em certa ocasião Shelley explicou o que passou pela cabeça no momento fatídico: “Escutei meu nome, vou subir no palco para pegar meu prêmio”. Apesar de não existir gravações dos minutos de confusão, a história foi repercutida através dos anos.

Sua jornada no Oscar, entretanto, passou por uma reviravolta, quando em 1959 e em 1965, foi premiada com o prêmio de ‘Melhor Atriz Coadjuvante’. A lenda de Hollywood atuou por sete décadas, marcando o cinema, o teatro e ainda a televisão com seu talento.


+Saiba mais sobre o tema por meio de grandes obras disponíveis na Amazon: 

Prólogo, ato, epílogo: Memórias, de Marta Góes (2019) - https://amzn.to/3ffiE57

A odisseia do cinema brasileiro, de Laurent Desbois (2016) - https://amzn.to/3qMPptK 

História do cinema mundial, de Franthiesco Ballerini (2020) - https://amzn.to/2Weo06h

Três roteiros, de Kleber Mendonça Filho (2020) - https://amzn.to/3n6vJyZ

O que é o cinema?, de André Bazin (2018) - https://amzn.to/2Kb9Hwi

A História do Cinema para quem tem pressa, de Celso Sabadin (2018) - https://amzn.to/3gwSUjo

O Discurso cinematográfico, de Ismail Xavier (2008) - https://amzn.to/3gvP6iu

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp 

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W