Matérias » Personagem

Sobhuza II, o rei que se casou 70 vezes e teve mais de 200 filhos

Chefe supremo da Suazilândia, Sobhuza II teve o reinado mais longo de qualquer monarca na História

Joseane Pereira Publicado em 11/01/2020, às 11h00

Sobhuza II, chefe supremo da Suazilândia
Sobhuza II, chefe supremo da Suazilândia - Getty Images

Em 22 de dezembro de 1921, aos 22 anos, Sobhuza II se tornou líder supremo da Suazilândia, país no sul da África que na época era um dos territórios do Alto Comissariado da Grã-Bretanha. Até sua morte em 1982 ele reinaria supremo, fazendo alianças que lhe renderam 70 casamentos e mais de 200 filhos e ficando no poder por 82 anos e 254 dias — número que nunca foi ultrapassado por monarca algum da História.

Grande líder

Quando Sobhuza era bebê, seu pai faleceu inesperadamente enquanto dançava em um ritual da Realeza chamado Incwala. Com isso, a nação foi liderada por seu tio e sua avó, até que ele tivesse idade suficiente para tomar conta da nação Swazi.

No ano de 1968, a Suazilândia conquistava a independência da Grã-Bretanha. Cinco anos depois, com auxílio de um exército privado, Sobhuza II dissolveu o poder legislativo, suspendeu a Constituição e assumiu o poder supremo como governante. Seu reinado foi próspero pelas alianças políticas feitas entre as famílias locais, vinculando as pessoas mais importantes do país ao seu clã, os Dlamini, que constituía cerca de um quarto da população.

Algumas das esposas de Sobhuza II / Crédito: Getty Images

 

Entre os papeis diplomáticos desempenhados por Sobhuza II, está a tentativa de diálogo com o rei britânico George V, para resolver o problema da divisão de terras levada a cabo pelos britânicos em 1907. Entretanto, em 1929, ele foi derrotado pela Lei de Jurisdições Estrangeiras, não conseguindo levar a cabo seu intuito.

Nos anos 60, o líder se opôs ao papel de monarca constitucional, imposto a ele pelo governo Britânico, e formou o partido político Movimento Nacional Imbokodvo, ganhando todos os assentos nas eleições de 1967 e recebendo o título de rei no ano seguinte, quando o país alcançou sua independência.

Sobhuza II em meados de 1950 / Crédito: Getty Images

 

Segundo a Comissão Nacional da Confiança da Suazilândia, os 70 casamentos de Sobhuza II lhe renderam 210 filhos entre 1920 e 1970. Destes, 180 sobreviveram à infância e 97 foram declarados vivos no ano 2000. Em 1982, ano de sua morte, o rei contava com cerca de mil netos. Após a morte, seu filho Mswati III assumiu o poder — estando lá até os dias atuais.


+Saiba mais sobre Sobhuza II através das obras abaixo: 

1. Sobhuza Ii, Ngwenyama and King of Swaziland: The Story of an Hereditary Ruler and His Country, de Hilda Kuper - https://amzn.to/2uBOMLc

2. A Constitutional History of the Kingdom of Eswatini (Swaziland), 1960–1982, de Hlengiwe Portia Dlamini - https://amzn.to/2uBOOTk

3. Between Sobhuza II Appellant And Miller and Others Respondents, de E.F. Hunt - https://amzn.to/305Epeg

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, assinantes Amazon Prime recebem os produtos com mais rapidez e frete grátis, e a revista Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.