Matérias » Idade Média

Maior descoberta da Idade Média: 10 imagens do Tesouro de Nagyszentmiklós

Quase 10 toneladas de ouro foram desenterradas no Leste Europeu no século 18, revelando valiosos artefatos de origem desconhecida

André Nogueira Publicado em 21/06/2020, às 07h00

Tigela com cabeça de touro
Tigela com cabeça de touro - Wikimedia Commons

Em 1799, encontraram na região de Banat, na Hungria, um dos mais valiosos e extasiantes tesouros medievais de toda a Europa: 23 vasilhames de ouro dentro de um baú de ferro. A descoberta foi feita em Nagy Szent-Miklós, hoje Romênia, pelo fazendeiro sérvio Neru Vuin.

Trata-se de um acúmulo de quase 10 toneladas de ouro, que ficaram conhecidos como Tesouro de Nagyszentmiklós, datado do final do século 8 (entre 795 e 803). Até hoje, os artefatos são estudados pelos cientistas, que se afundam cada vez mais em dúvidas sobre a origem daqueles pratos, assim como seus proprietários, seu uso e a razão de seu enterramento.

Detalhe de caso em ouro / Crédito: Wikimedia Commons

 

Disposição dos objetos em Viena / Crédito: Wikimedia Commons

 

Vaso com cabeça de ouro / Crédito: Wikimedia Commons

 

Os vasos de ouro possuem inscrições em uma língua ainda pouco conhecida do Leste Europeu, aumentando a dificuldade de compreender aquela cultura material. Além disso, há também trechos de grego e de runeiforme turco antigo.

Prato detalhado / Crédito: Wikimedia Commons

 

Fundo adornado de tigela / Crédito: Wikimedia Commons

 

Devido à quantidade de lacunas sobre nosso conhecimento em relação ao passado do Tesouro de Nagyszentmiklós, calorosos debates sobre suas bases históricas e empíricas são traçados entre historiadores e arqueólogos, sem que haja muita conclusão. Há quem alegue que se trata de um tesouro ávaro, e há os que afirmam que é uma obra dos búlgaros do século 9.

Vaso com detalhe / Crédito: Wikimedia Commons

 

Bacia com brilhantes / Crédito: Wikimedia Commons

 

Peças em museu / Crédito: Wikimedia Commons

 

As peças, porém, têm traços que indicam autores e mesmo datas de fabricação múltiplos. O que é fato é que o tesouro impressiona a todos que o vislumbram. Depois de descoberto, o ouro foi transferido para Viena, onde foi catalogado e exibido pelo Museu Kunsthistorisches.

Reprodução em desenho de marca em objeto com inscrissões em grego e turco antigo / Crédito: Wikimedia Commons

 

Bacia disposta em exposição / Crédito: Wikimedia Commons

+ Saiba mais sobre a Idade Média pelas obras abaixo:

Criação do Ocidente. A Religião e a Civilização Medieval, Christopher Dawson (2016) - https://amzn.to/2pZf9sp

Dicionário Analítico do Ocidente Medieval - Volumes 1 e 2, Jacques Le Goff (2017) - https://amzn.to/2L28iG4

A Idade Média: o Nascimento do Ocidente, Hilário Franco Jr., Brasiliense (2001)  - https://amzn.to/2R2fAgK

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp 

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W