Matérias » EUA

Trabalhadores estadunidenses esconderam uma estátua ofensiva em cúpula radioativa no Pacífico

Resíduos de 43 explosões nucleares foram enterrados no local. Confira a estátua, que é um aviso aos futuros visitantes

Joseane Pereira Publicado em 24/09/2019, às 07h00

None
Reprodução

Ex-trabalhadores estadunidenses que enterraram resíduos radioativos no Oceano Pacífico deixaram uma mensagem clara antes de concluir seu trabalho de limpeza: um dedo do meio.

A cúpula gigante para conter radiação foi construída no atol de Enewetak, na ilha de Runit. Mais de 8 mil pessoas trabalharam para limpar as ilhas do Pacífico, transformando solo contaminado em uma única cratera explosiva. A estátua que os funcionários deixaram lá serviria como aviso aos futuros visitantes sobre o perigo que os aguardava.

A estátua / Crédito: Reprodução

 

Segundo Paul Griego, 62 anos, que participou do projeto, "a cúpula era essa enorme estrutura no meio do oceano Pacífico, de tamanho monumental, então queríamos colocar algo lá dentro. Mas a única coisa que tínhamos eram materiais como uma luva de borracha, então a ideia de fazer uma saudação com um dedo do meio fez sentido".

Atualmente, a cúpula de concreto – que retém resíduos radioativos de 43 explosões nucleares – tem vazado esse material para o oceano. E os trabalhadores que fizeram parte de sua construção entre 1977 e 1979 sofrem com graves problemas de saúde.