Matérias » Brasil

Traficantes de escravos e torturadores: Brasil possui outros monumentos controversos

Além de Borba Gato, no país há outras homenagens a figuras históricas controversas

Victória Gearini | @victoriagearini Publicado em 03/08/2021, às 19h26

Estátua do bandeirante Borba Gato em chamas
Estátua do bandeirante Borba Gato em chamas - Divulgação / Youtube / UOL

No dia 24 de julho deste ano, a imagem da estátua do bandeirante Borba Gatopegando fogo viralizou nas redes sociais. Localizado em Santo Amaro, na Zona Sul de São Paulo, o monumento foi incendiado por ativistas durante um protesto político, conforme noticiou o portal G1.   

A partir disso, levantou-se debates nas redes sociais e na esfera política sobre monumentos homenageando pessoas controversas da História, como é o caso de Borba Gato — apontado pelos manifestantes como um dos responsáveis por inúmeras mortes de indígenas. 

No entanto, ao redor do Brasil existem, ainda, outros monumentos, que assim como o do bandeirante, homenageiam figuras históricas controversas. 

Homenagem a bandeirantes 

Assim como Borba Gato, Bartolomeu Bueno da Silva foi um bandeirante que viveu entre 1672 e 1740. Segundo a Revista Galileu, ele ficou conhecido como Anhanguera devido as atrocidades que cometeu contra os povos indígenas — traduzindo o nome, significa o ‘diabo velho’ ou ‘espírito maligno’. 

Estátua Borba Gato durante incêndio / Crédito: Divulgação / Twitter / @MonicaSeixas

 

Contudo, mesmo tendo causado sofrimento a muitos indígenas, ele recebeu diversas homenagens ao redor do Brasil, inclusive uma estátua localizada na Avenida Paulista, em São Paulo. 

Outro bandeirante que foi contemplado com um monumento foi o fundador do povoado de Nossa Senhora do Desterro, chamado Francisco Dias Velho. Ele chegou na região que hoje corresponde a Florianópolis, junto de padres jesuítas e em torno de 500 indígenas escravizados.

Outras figuras históricas controversas 

Não só os bandeirantes foram contemplados com monumentos ao redor do Brasil. Conforme a Revista Galileu, Joaquim Pereira Marinho possui uma estátua em frente ao Hospital Santa Izabel, que faz parte da entidade filantrópica privada Santa Casa de Misericórdia da Bahia.

Entre 1839 e 1850, o militar e político português traficou inúmeras pessoas. Segundo documentos de embarcações registradas em seu nome, naquele período ele foi responsável pela importação de diversos africanos para o Brasil. Contudo, naquela época, tal ação já era proíbida. 

De acordo com dados do Banco de Dados do Tráfico de Escravos Transatlântico, apurados pela Revista Galileu, estima-se que Joaquim Pereira Marinho tenha traficado em torno de 11.584 homens, mulheres e crianças para a Bahia. 

Estátua de Bartolomeu Bueno da Silva / Crédito: Adrian Michael, via Wikimedia Commons

 

Outro personagem histórico muito polêmico é Floriano Peixoto, o segundo presidente da República. Conhecido como o “Marechal de Ferro”, ele foi responsável por inúmeros ataques violentos contra catarinenses e estrangeiros. 

Acredita-se que ele tenha ordenado o fuzilamento de 185 pessoas, com o intuito de romper e desestabilizar a Revolução Federalista, ocorrida em 1893. Já em 1894, Florianópolis foi batizada em sua homenagem.

Atualmente, o polêmico segundo presidente da República possui uma estátua em sua homenagem localizada no Rio de Janeiro. Além disso, ao redor do país há diversas ruas, praças e avenidas que foram batizadas com o seu nome. 


+Saiba mais sobre a história do Brasil por meio de obras disponíveis na Amazon: 

A Formação da Elite Colonial no Brasil, de Rodrigo Ricupero (2020) - https://amzn.to/34zGamg

A conquista do Brasil, de Thales Guaracy (2015) - https://amzn.to/2VlkbLC

História do Brasil colônia, de Laima Mesgravis (2015) - https://amzn.to/2ww5AV7

Cidade febril: Cortiços e epidemias na corte imperial, de Sidney Chalhoub (2018) - https://amzn.to/2VSL7DW

Justiça Infame: Crime, Escravidão e Poder no Brasil Imperial, de Yuri Costa (2019) - https://amzn.to/2YoKpQv

História do Brasil República: Da queda da monarquia ao fim do estado novo, de Marcos Napolitano (2016) - https://amzn.to/2WGTl2b

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp 

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W