Matérias » Austrália

Tragédia na Austrália: Como ratos teriam feito uma família ficar sem teto para viver

Rebekah Ward, seu marido e três filhos são algumas das vítimas mais recentes da praga de roedores que tem assolado os campos australianos

Ingredi Brunato, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 29/05/2021, às 08h00

Trecho de entrevista à emissora local em que Rebekah Ward conta sobre o ocorrido junto de seus três filhos
Trecho de entrevista à emissora local em que Rebekah Ward conta sobre o ocorrido junto de seus três filhos - Divulgação / Canal 9News

Quando a australiana Rebekah Ward voltou do trabalho na sexta-feira retrasada, 21, ela se deparou com uma cena desoladora: sua casa estava pegando fogo. O triste caso foi repercutido pelo site News.com.au. 

Seus três filhos, John, Charlie e Oliver, que têm respectivamente 12, 9, e 7 anos de idade, estavam sendo levados para o treino de futebol pelo pai, James, quando o incêndio teve início, de forma que também só ficaram sabendo o que havia acontecido depois que as chamas perderam o controle. 

Inclusive, quando a matriarca voltou para casa - ou o que restava dela - as crianças estavam no jardim observando o caos de fogo e fumaça em que seu lar havia se transformado no período de algumas horas. 

Felizmente, os animais de estimação da família, uma gata chamada Lexie e uma cadela da raça pug conhecida como Little Miss, foram salvas por Mark Adams, um vizinho que viu o que estava acontecendo e entrou na residência antes do incêndio tomar proporções descontroladas. 

Os danos 

Apesar de todos terem saído ilesos do incidente, eles perderam tudo que tinham, como pontuou uma amiga próxima de Rebekah, Zoe Mabey, que divulgou a triste história em sua conta pessoal do Facebook. 

“Eles perderam absolutamente tudo. Seu mundo inteiro. Os brinquedos dos meninos, livros, roupas de toda a família, itens pessoais, roupa de cama, artigos de toalete, fotos, relíquias de família não substituíveis, móveis, memórias e a lista é infinita”, escreveu ela, segundo repercutido pelo News.com.au. Outro detalhe é que a casa sequer possuía seguro. 

Trecho de reportagem de emissora local mostrando o ocorrido / Crédito: Divulgação/ Canal 9News 

 

Mabey ainda criou uma página no GoFundMe, uma plataforma de arrecadação de fundos, para assim conseguir doações que ajudassem na situação da família.

“O principal é que os 5 estão vivos, mas literalmente só têm as roupas que vestem nas costas! Se você puder poupar qualquer coisa, até mesmo US $ 5, será muito apreciado e muito útil na reconstrução de suas vidas”, afirmou ela. 

O motivo 

As autoridades locais que atuaram diante do incêndio acreditam que a causa do tétrico episódio tenha sido a presença de ratos vivendo no telhado e dentro das paredes da residência. Os roedores possivelmente mastigaram os fios elétricos, assim provocando a tragédia. 

As evidências apontando para essa hipótese seriam a presença de ratos fugindo das chamas quando pessoas chegaram ao local, e outros mortos (por terem sido queimados) caídos próximo a casa. 

Além disso, a família de Rebekah vive em uma zona rural da Austrália, que tem sido atacada por enormes grupos de roedores nos últimos meses. A praga tem sido responsável por devastar plantações inteiras, além de invadir todo tipo de estabelecimento e provocar um cheiro terrível. 

“Os ratos têm dois cheiros: quando ainda estão vivos, é um cheiro estranho e sujo. Mas então você tem o cheiro de quando eles estão mortos e em decomposição, o que é ainda pior”, contou Lisa Minogue, de 48 anos, uma das moradoras da área afetada, em entrevista ao NCA NewsWire. 

Fotografia meramente ilustrativa mostrando rato / Crédito: Divulgação/ Pixabay 

 

Outra entrevista que coloca em perspectiva o tamanho do desafio que tem sido enfrentado pelos australianos vivendo no campo é a dada pelo fazendeiro Ben Storer ao The Daily Telegraph. Segundo estimou o homem, milhões de ratos teriam passado por sua propriedade, fazendo com que perdesse plantações do tamanho de campos de futebol. 

Para lidar com os animais indesejados, ele e outros que vivem no campo usam armadilhas que servem para atrair e então matar os roedores através de veneno. 

“Tivemos problemas com ratos uma vez na década de 1980 e tivemos surtos deles aqui e ali, mas nada tão ruim”, concluiu ele ainda.