Matérias » Família Real Britânica

Tragédia na montanha: o príncipe Charles já sobreviveu a uma avalanche

Episódio que terminou em tragédia — e que foi um dos fatores que contribuiu para o fim do apoio mútuo entre o herdeiro do trono britânico e Lady Di — foi retratado em nova temporada de The Crow

Fabio Previdelli Publicado em 30/12/2020, às 16h32

Príncipe Charles esquiando
Príncipe Charles esquiando - Divulgação/ YouTube/ Royal UK Story

The Crow é uma das principais séries do catálogo da Netflix. Dramatizando a vida da família real britânica, a produção chegou, recentemente, em sua quarta temporada, sendo marcada por polêmicas e controvérsias envolvendo membros da realeza e órgãos do governo.  

Porém, apesar disso tudo, a produção busca, ao máximo, se aprofundar na realidade, trazendo detalhes de eventos que realmente aconteceram e marcaram não só sociedade inglesa como o mundo todo. Um deles é retratado no nono episódio da quarta temporada, chamado “Avalanche”. 

O acontecimento em questão remete ao ano de 1988, quando uma tragédia em uma estação de esqui matou um amigo próximo a família real. Na vida real, o acidente aconteceu quando Charles e Diana viajaram até o luxuoso resort Klosters, na Suíça, junto a familiares e pessoas próximas.  

Imagem do centro de esqui de Klosters / Crédito: Divulgação/ Netflix/ The Crown

 

Embora Diana não estivesse presente no momento da catástrofe, Charles estava, mas milagrosamente escapou de ser engolido pelo deslizamento de neve, que feriu um membro de seu grupo e matou outro: o major Hugh Lindsay, ex-ajudante da Rainha Elizabeth

A tragédia

Segundo relatório de março de 1988, publicado pelo The Guardian, Diana e Sarah Ferguson, que era casada com o irmão de Charles, o príncipe Andrew, ficaram no chalé da montanha Gotschnagrat com dois membros do grupo, enquanto Charles e outros amigos foram esquiar. Porém, pouco depois, uma cascata de neve começou a descer a encosta íngreme do campo de esqui.  

Quase todos que estavam esquiando conseguiram escapar do caminho da avalanche, exceto HughPatricia Palmer-Tomkinson, que acabou quebrando as duas pernas no acidente. Depois que o deslizamento cessou, Charles e o resto do grupo começaram a desenterrar os esquiadores presos. 

Imagem do bondinho de Klosters / Crédito: Divulgação/ Netflix/ The Crown

 

Lindsay acabou sendo declarado morto na chegada a um hospital nas proximidades de Davos, depois de ter sido transportado de avião.

Quando Charles foi resgatado na encosta, por outra aeronave, ele estava “visivelmente angustiado” e “chorando”, segundo informaram algumas testemunhas, o que inclui o piloto do veículo aéreo.  

Segundo uma investigação publicada no Los Angeles Times, em junho daquele ano, uma averiguação subsequente descobriu que, embora o príncipe não pudesse ser acusado pela morte de Hugh e pelos ferimentos de Patricia, todo o grupo foi considerado culpado pelo acidente, já que um aviso de avalanche teria sido emitido naquele dia. 

Mesmo assim, eles preferiram seguir. Charles, que era um esquiador muito experiente, que preferiu seguir um trajeto por uma encosta muito desafiadora e não demarcada.  

E Diana?

Com a morte de Hugh, a realeza e o resto do grupo interromperam a viagem e voltaram para o Reino Unido. Segundo o biografo de Lady Di, Andrew Morton, ela ficou encarregada dos planos de volta, já que Charles ainda estava muito abalado com o acidente.  

Príncipe Charles e Lady Di no velório de Hugh Lindsay / Crédito: Divulgação/ YouTube/ Royal UK Story

 

Uma semana depois, o casal compareceu até o funeral de Lindsay acompanhado de Sarah Ferguson, do príncipe Andrew e da Rainha Elizabeth. Apesar do apoio mútuo dos dois, o acidente, supostamente, exacerbou uma tensão que já vinha crescendo na relação de Charles e Diana

Conforme explica a autora Tina Brown em “The Diana Chronicles”, Lady Di não só "culpou Charles por sua imprudência em escolher uma corrida tão arriscada", mas também escolheu passar as semanas subsequentes não com seu marido, mas ao lado da viúva de Lindsay, Sarah Horsley — um relacionamento próximo que continuaria por muitos anos.  

O herdeiro do trono, por sua vez, sentia-se profundamente culpado pela tragédia, supostamente escrevendo, mais tarde, em uma carta: "ainda acho difícil entender por que sobrevivi e ele não”.

Segundo o livro de Brown, a governanta do palácio, Wendy Berry, disse que “a tragédia afetou o resto de suas vidas de várias maneiras, uma vez que parecia significar o fim de qualquer apoio mútuo”. 

Representação do velório de Hugh Lindsay / Crédito: Divulgação/ Netflix/ The Crown

 

Apesar do triste episódio envolvendo a estação de esqui, a realeza continuou a frequentar Klosters nos anos seguintes à fatídica avalanche, com Charles trazendo seus filhos, os príncipes William e Harry, para aprender a esquiar nas encostas em várias oportunidades, entre os anos 1990 e início dos anos 2000. 

Harry, inclusive, depois de adulto, passou uma boa parte de seu ano sabático em Klosters. Já a primeira fotografia de William com Kate Middleton se refere a uma viagem que os dois fizeram até o centro de esqui, em 2004.


++Saiba mais sobre a família real britânica por meio de obras disponíveis na Amazon:

Diana. O Último Amor de Uma Princesa, de Kate Snell (2013) - https://amzn.to/2TgHgPO

The Queen: The Life and Times of Elizabeth II (Edição Inglês), de Catherine Ryan (2018) - https://amzn.to/2RhgNA7

God save the queen - O imaginário da realeza britânica na mídia, de Almeida Vieira e Silva Renato (2015) - https://amzn.to/2xTkiGd

O Amor Da Princesa Diana, de Anna Pasternack (2018) - https://amzn.to/2xOZ8c9

A história do século XX, de Martin Gilbert (2017) - https://amzn.to/2yFZMcv

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp 

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7