Matérias » Segunda Guerra Mundial

A trágica história do veterano da Segunda Guerra, que teve seu cadáver colocado dentro de uma mala

Atuando de maneira suicida durante a guerra, Robert Brooks teve seu corpo ocultado em tentativa de fraude no seguro social

Fabio Previdelli Publicado em 02/09/2019, às 17h00

Foto de Robert D. Brooks
Foto de Robert D. Brooks - Reprodução

Apesar da distância, Jay Brooks conversava periodicamente com seu pai Robert Brooks, um veterano de guerra que insistia em viver isolado na região norte de Nova York. Apesar das constantes sugestões de seu filho para em morar em sua casa, Robert não gostava de mudanças e decidiu que lá era onde queria permanecer. E assim foi.

Em 11 de março de 2017, Jay recebeu um telefonema da polícia. Um fazendeiro no Arkansas havia descoberto uma mala entre algumas árvores em seu campo e dentro dela estava o corpo de um homem pequeno que a polícia acreditava ser seu pai - que completaria 90 anos no final de março.

Mas como a vida dele terminou de forma tão indigna a mais de dois mil quilômetros de distância da casa em que ele teimava em deixar?

Robert D. Brooks / Crédito: Reprodução


A vida de Robert Brooks

Robert D. Brooks era considerado um homem dedicado e atencioso, já seus vizinhos o viam como um sujeito carinhoso e prestativo. Adjetivos não faltavam para o veterano de guerra, uma pessoa simples, mas orgulhosa, que cultivava seus próprios vegetais e odiava os holofotes.

Ele se alistou no exército em 1944 e, apesar de não ser muito alto (algo em torno de 1,54m e 1,65), era visto como candidato perfeito para uma das tarefas mais perigosas entre os militares: atirador de torre de esferas – uma cabine esférica que era instalada na parte inferior em algumas aeronaves americanas durante a Segunda Guerra Mundial.

O trabalho foi considerado uma missão suicida, mas Brooks sobreviveu. Em 1946 recebeu alta com honras e voltou para o norte do estado de Nova York. Lá, se casou com Antoinette e teve um filho, Jay. Sua mulher foi diagnosticada com esclerose múltipla e a vida da família passou a girar em torno de seus cuidados. Aos 16 anos, Jay ingressou no Corpo de Fuzileiros Navais e, apesar da desaprovação do pai, seguiu seus passos.

Torres de esfera pela qual Robert foi atirador na Segunda Guerra Mundial / Crédito: wikimedia commons


A condição de sua esposa piorava a cada ano, até que ela precisou ser levada para uma casa de repouso. Isso não impediu que Robert estivesse lá todas as manhãs na semana e sempre que pudesse, a levara para casa aos sábados.

Em 2004, seu neto, Ryan Anthony Brooks, de 19 anos, faleceu em um acidente de carro. Jay ficou arrasado. Deve ser por isso que o pai manteve em segredo por alguns meses a morte de Antoinette. Desde então, as ligações se tornaram mais constantes. Em uma delas, seu pai disse que se tornou amigo de uma mulher que cuidava dele. Na semana seguinte, Jay não conseguiu mais contato com ele, a linha havia sido desconectada.

Somente uma década depois ele descobriu que Robert se mudou para Johnstow, na Pensilvânia. Foi morar com a mulher que cuidava dele há anos, Virginia Colvin. A permanência na cidade não durou muito, logo mudaram para o Arkansar, onde Virginia passou a viver em um apartamento com seu namorado, Michael Stivers. Foi neste imóvel que a polícia acredita que Robert tenha falecido de causas naturais – entre janeiro e fevereiro de 2017.

Michael Stivers e Virginia Colvin / Crédito: Reprodução


Ocultação do cadáver

Para as autoridades, o plano de Virginia e Michael era de enterrar o cadáver em uma cova não identificada. A ideia daria certo, senão fosse por alguns adolescentes curiosos. O caro do casal, um Toyota Tundra azul, estava estacionado na garagem, cheio de móveis e bugigangas que pretendiam vender. Algumas crianças avistaram uma mala preta e cinza na parte interna da caminhonete e quando abriram o zíper, sentiram um braço humano cair sobre suas mãos.

Um grito fez com que o casal partisse em fuga. Com as autoridades avisadas, logo o carro foi parado, mas nenhuma mala estava lá. Mesmo assim, Stivers foi detido por não pagar pensão alimentícia e Colvin foi multada por dirigir com a licença vencida. Ela acabou sendo liberada.

O xerife que parou a dupla pediu para um fazendeiro averiguar o local que eles passaram e, para sua surpresa, o roceiro encontrou a mala com o corpo de Robert. Dias depois, Virginia se juntava a Michel na prisão. Ambos foram condenados por abuso criminoso, ocultação de cadáver e tentativa de fraude no seguro social.

Após algumas semanas, um fundo de veteranos de guerra garantiu a cremação do corpo de Robert e uma carreata em homenagem a ele foi feita / Crédito: Reprodução


O descanso merecido de um militar

Após algumas semanas, um fundo de veteranos de guerra garantiu a cremação do corpo de Robert e uma carreata em homenagem a ele foi feita. A procissão acompanhou Brooks até a fronteira do Tennessee, passando pelo Mississippi, Alabama e Geórgia, em direção final ao Cemitério Nacional de Fort Jackson, na Carolina do Sul.

Lá, os restos mortais, uma bandeira americana e uma Bíblia assinada pelos capitães da Guarda Patriota foram entregues a Jay, que assim se despediu de maneira mais digna de seu pai.