Matérias » Cuba

As trajetórias discrepantes dos filhos do revolucionário cubano Fidel Castro

Os herdeiros do socialista que governou Cuba por quase 50 anos seguiram carreiras diferentes do que era esperado para o legado de seu pai

Isabela Barreiros Publicado em 26/02/2020, às 17h06

O líder cubano Fidel Castro
O líder cubano Fidel Castro - Getty Images

Até hoje não se sabe exatamente quantos filhos o líder cubano Fidel Castro teve. De acordo com a pesquisa feita pela jornalista estadunidense Ann Louise Bardach para o seu livro Without Fidel (Sem Fidel, em tradução livre), o total é de 11 herdeiros, entre os assumidos por ele e os não reconhecidos.

Castro casou-se duas vezes, mas teve relacionamentos extraconjugais ao longo desses relacionamentos. Suas esposas foram Mirta Diaz-Balart, com quem teve seu primeiro filho, Fidel Ángel Castro Diaz-Balart; e Dalia Soto del Valle, com quem teve mais cinco herdeiros: Alexis, Alexander, Antonio, Alejandro e Ángel. Os outros foram fruto de relacionamentos não duradouros, como Alina Fernández, filha do comunista com sua amante Natalia Revuelta.

Fidelito, o primogênito

Fidelito em 2015 / Crédito: Wikimedia Commons

 

O primogênito nasceu em 1949, em Havana, capital de Cuba. Popularmente conhecido como Fidelito, — tanto por ser o mais velho dos filhos e também devido à semelhança física entre os dois —, Fidel cometeu suicídio no dia 1º de fevereiro de 2018.

Formou-se em Física Nuclear pelo Instituto Superior de Ciência e Tecnologias Nucleares da ex-União Soviética, sendo o primeiro cubano a obter o título de engenheiro nuclear. Entre 1980 e 1992, foi Secretário Executivo da Comissão de Energia Atômica de Cuba e também enviado diversas vezes como representante de delegações científicas e educacionais para congressos internacionais em vários países, como Cazaquistão e Rússia, por exemplo.

Alina, a revoltada

Crédito: Wikimedia Commons

 

O líder cubano teve inúmeros casos fora de seus casamentos, sendo um dos mais famosos a com Natalia Revuelta, que também era casada. Juntos, os dois tiveram Alina Fernández, que nasceu em 1956.

A relação entre Castro e Fernández nunca foi das melhores. Segundo a moça, ela considerava o pai como alguém que ocupava um cargo político, não um parente. Ela chegou até mesmo a fugir de Cuba em 1993, indo para os Estados Unidos, onde vive até os dias de hoje, permanecendo crítica ferrenha do regime cubano.

Alexis, Alexander, Antonio, Alejandro e Ángel

Os cinco filhos de Fidel, que levam a inicial A em homenagem a Alexandre Magno, seguiram caminhos diferentes do que era esperado para herdeiros de uma das personalidades de esquerda mais conhecidas no mundo.

Alexis é engenheiro de telecomunicações; Alexander é engenheiro, mas também operador de câmera na TV estatal cubana e chegou a ser fotógrafo para a imprensa oficial; Antonio é médico da seleção de beisebol de Cuba; Alejandro, programador de computadores e Ángel, o caçula, não é muito conhecido pela mídia, mantendo-se no anonimato.


+ Saiba mais sobre Fidel Castro por meio das obras a seguir:

Fidel Castro: biografia a duas vozes, Ignacio Ramonet (2006) - https://amzn.to/388IHnR

One Day in December: Celia Sánchez and the Cuban Revolution, Nancy Stout (e-book) - https://amzn.to/36ctMZS

Fidel. O Tirano Mais Amado do Mundo, Humberto Fontova (2012) - https://amzn.to/2MSE4GD

Cuba no Século XXI. Dilemas da Revolução, Santos Dos, Fabio Luis Barbosa (2018) - https://amzn.to/2pX1CRW

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, assinantes Amazon Prime recebem os produtos com mais rapidez e frete grátis, e a revista Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.