Matérias » Brasil

Trocados na maternidade: a impressionante história dos bebês de São Paulo

O curioso caso ocorreu em 2004 no interior de São Paulo e foi parar na Justiça brasileira

Victória Gearini Publicado em 20/02/2021, às 10h00

Rita ao lado de suas filhos Giuliano e Vitor / Crédito: Divulgação / Youtube / SBT Jornalismo
Rita ao lado de suas filhos Giuliano e Vitor / Crédito: Divulgação / Youtube / SBT Jornalismo - Divulgação / Youtube / SBT Jornalismo

Imagina dar à luz e ter seu bebê trocado na maternidade? Esse foi o caso de Rita Ribeiro da Silva, uma ex-catadora de material reciclável, do interior de São Paulo. Em 2004, a mulher viu sua vida mudar por completo, após os profissionais da saúde trocarem o seu filho recém-nascido por outra criança.

A troca na maternidade 

No dia 19 de julho de 2004, Rita deu entrada no Hospital Municipal de Votorantim, onde nasceu seu filho Vitor. Logo após o parto, o médico apresentou um menino magro e moreno. No entanto, naquele mesmo dia, uma enfermeira levou outra criança, alegando ser o filho da mulher. 

Giuliano era um bebê branco e gordo, diferente do que ela tinha visto na sala de parto. Em seguida, ela percebeu que o nome do berço havia sido trocado e constava Luciana como a mãe. Contudo, a enfermeira garantiu que o nome Rita constava na pulseira do recém-nascido.

No mesmo dia, a ex-catadora de material reciclável encontrou Luciana pelos corredores e contou a confusão com a troca de berços. No entanto, a mulher afirmou que tinha certeza que a criança que estava com ela era o seu filho, pois o bebê tinha uma mancha na perna, igual o suposto pai. 

 Giuliano e Vitor quando pequenos / Crédito: Divulgação / Youtube / SBT Jornalismo

 

Em entrevista ao site Universa, em 2018, Rita disse que sabia que Giuliano não era seu filho, e que Vitor havia sido trocado na maternidade. 

“Algo me dizia que ele não era o meu filho biológico e que os bebês tinham sido trocados na maternidade. Desabafei com a minha mãe sobre isso, mas ela achou que eu estava com depressão pós-parto”, disse ela ao site Universa.

A verdade 

Ao ver a criança, Claudio, marido de Rita, teve certeza que Giuliano não era seu filho biológico. Contudo, o homem achou que estava diante de um caso de adultério. Em seguida ele abandonou a casa e a deixou sozinha cuidando do recém-nascido e das outras duas filhas do casal. 

Desempregada e na fase de puerpério, a moça se viu sozinha e desamparada com três crianças. Para sustentar a família, ela começou a fazer faxina e recolher material reciclável pelas ruas da cidade. 

Tempos depois, uma funcionária do hospital a procurou, pois a história havia se espalhado pelo hospital. No entanto, só souberam o resultado do teste de DNA quando os meninos já estavam com sete meses de vida. 

Rita ao lado de suas filhos Giuliano e Vitor / Crédito: Divulgação / Youtube / SBT Jornalismo

 

“O diretor confirmou o erro e disse que tínhamos de destrocar os bebês imediatamente. Eu disse que precisava de um tempo, eu amamentava o Giuliano e não podia tirá-lo do peito de uma hora para outra. Eu queria levar o Vitor comigo, mas também não queria deixar o Giuliano. Fui um pouco egoísta, mas estava preocupada que ele não fosse bem tratado”, disse Rita ao site Universa.

A adoção 

O juiz determinou que Luciana se mudasse para a casa da ex-catadora de material reciclável. O objetivo era que as crianças se acostumassem com suas respectivas mães de forma gradual. Entretanto, a mãe biológica de Giuliano não cuidou da criança. 

Ela não tinha se adaptado ao filho biológico, alegando que o menino não gostava dela. “Ela disse que se eu não devolvesse o Vitor, eu podia ficar com os dois porque ela não queria ficar com o Giuliano”, disse a mulher ao Universa.

Novamente, o caso foi parar na Justiça, mas desta vez, Rita ganhou a guarda de ambos garotos. Em seguida, Claudio voltou para casa e o casal teve outra filha. No entanto, em 2010, seu marido veio a óbito após um acidente de barco. 

Mais tarde, a mulher recebeu uma indenização por danos morais. A ex-catadora de material reciclável disse ao Universa, ainda, que seus filhos são tudo para ela e que a fazem se sentir completa.


+Saiba mais sobre a medicina por meio de grandes obras disponíveis na Amazon:

Medicina Macabra, de Morris Thomas (2020) - https://amzn.to/2RzES5S

Medicina Dos Horrores: A História De Joseph Lister, O Homem Que Revolucionou O Apavorante Mundo Das Cirurgias Do Século XIX, de Lindsey Fitzharris (2019) - https://amzn.to/2uEVDDw

Cambridge - História da Medicina, de Roy Porter (2008) - https://amzn.to/38ZeyHN

Doenças que mudaram a história, de Guido Carlos Levi (2018) - https://amzn.to/33woA1R

A grande mortandade, de John Kelly (2011) - https://amzn.to/2vsqnZa

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp 

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W