Matérias » Personagem

Da fama à lama: A turbulenta vida de Judy Garland em 5 fatos

Começando muito cedo em Hollywood, a atriz desenvolveu traumas nos sets que se refletiram em sua vida pessoal

Isabela Barreiros Publicado em 17/11/2020, às 14h13

A atriz Judy Garland
A atriz Judy Garland - Wikimedia Commons

Conhecida por ser a adorável Dorothy no filme O Mágico de Oz (1939), Judy Garland foi uma das mais importantes atrizes da história. Até os dias de hoje, muitas produções são feitas sobre sua história, como Judy: Muito Além do Arco-Íris, lançado no ano passado, que conta os anos finais da artista.

Durante a Era de Ouro de Hollywood, as coisas não eram fáceis, no entanto. Para conseguir se tornar um ícone do cinema estadunidense, Judy sofreu na mão de muitos produtores, empresários e até mesmo da sua própria mãe. Fora dos estúdios de gravação, também vivia o inferno em seus relacionamentos e vida pessoal.

A AH separou 5 fatos sobre a turbulenta vida de Judy Garland. Confira!

1. Começou muito cedo

As Irmãs Gumm / Crédito: Getty Images

 

Inúmeros artistas começaram suas carreiras muito cedo, sendo colocados sob os holofotes de Hollywood ainda enquanto crianças. Judy contou em muitas entrevistas que sua mãe foi a principal responsável por transformá-la — junto com suas irmãs, as Irmãs Gumm — em uma estrela. 

O problema era que a mulher não parecia se importar com as condições degradantes nas quais a menina era colocada constantemente. Ela até obrigava a garota a ensaiar mesmo que estivesse muito cansada. Tudo começou quando Judy tinha apenas dois anos e meio de idade, mas, tempos depois, ela chegou até mesmo a chamar a mãe de "a verdadeira Bruxa Malvada do Oeste".


2. Bastidores de O Mágico de Oz

Judy Garland nas filmagens do filme O Mágico de Oz / Crédito: Divulgação 

 

Um dos períodos mais importantes da carreira de Judy foi também um dos mais humilhantes. No set do filme O Mágico de Oz, tudo de mais terrível aconteceu ao elenco no geral, mas especialmente para a protagonista da produção. Durante as gravações, ela simplesmente era proibida de comer, por exemplo.

A menina era sujeita a dietas cruéis, que envolviam apenas fumar cigarros nos bastidores. O controle sobre o seu corpo também envolvia o uso de espartilho para impedir seus peitos de crescerem, presente no seu vestido de Dorothy Gale. Para gravar tudo mais rápido, Judy também era obrigada a tomar muito café e usar drogas estimulantes e depressivas.


3. Abortos

A atriz foi Dorothy aos 17 anos de idade e, dois anos depois, aos 19, engravidou de seu primeiro marido, o compositor David Rose. Naquela época, ela estava sob o contrato da Metro-Goldwyn-Mayer, que, junto com a mãe da jovem, obrigou-a a realizar o procedimento do aborto. A justificativa era a de que uma gravidez poderia acabar com a sua carreira.

Essa não foi a única vez que a artista viu-se compelida a abortar. A segunda vez que isso aconteceu foi quando ela engravidou de seu amante, Sid Luft, que viria a se tornar seu terceiro marido. Quando ela contou a ele que estava grávida, o homem reagiu mal, dizendo que não queria um filho naquele momento.


4. Relacionamentos

Judy sofria dentro dos sets de filmagem e fora deles, com sua vida amorosa conturbada. Ao longo de sua vida, a mulher se casou cinco vezes, e todos os relacionamentos tiveram algum momento de complicação até serem terminados. O começo de tudo isso, a união com o compositor David Rose, já era uma tentativa de fugir de sua mãe abusiva.

Os dois ficaram apenas oito meses juntos e logo ela se casou com o cineasta Vincente Minnelli, que a traía com homens. Depois dele, veio Sid Luft, primeiro amante, depois marido alcoólatra viciado em apostas. O quarto, Mark Herron, a traiu com o marido de sua filha. O quinto e último, empresário Mickey Deans, ficou com a atriz apenas três meses, pois logo ela faleceu, em 1969.


5. Fim da vida

Liza Minnelli e Judy Garland / Crédito: Getty Images

 

Exposta logo cedo ao uso abusivo de drogas, a mulher desenvolveu um vício que perdurou por toda a sua vida. A atriz passava constantemente por episódios de quase overdose, e quem precisava lidar com essa situação era sempre sua filha, Liza Minnelli, ainda adolescente.

A carreira da atriz também já não estava a mesma coisa. Com seu sucesso caindo, seus problemas de saúde crescendo, ela acabou perdendo grande parte da sua fortuna e morreu com muito pouco dinheiro. No dia 22 de junho de 1969, aos 47 anos, Judy faleceu devido a uma overdose.


+Saiba mais sobre Hollywood por meio de grandes obras disponíveis na Amazon:

Hollywood: 131, de Charles Bukowski (1998) - https://amzn.to/2UXDWKe

Cenas de uma revolução: o nascimento da nova Hollywood, de Mark Harris (2011) - https://amzn.to/3c6gqAr

O pacto entre Hollywood e o nazismo: Como o cinema americano colaborou com a Alemanha de Hitler, de Ben Urwand (2019) - https://amzn.to/2ViwOqO

Hollywood Babylon: The Legendary Underground Classic of Hollywood's Darkest and Best Kept Secrets (Edição Inglês), de Kenneth Anger (1981) - https://amzn.to/2RurMWU

O livro do cinema, de Vários autores (2017) - https://amzn.to/2VeOS52

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W