Matérias » Personagem

Há 27 anos, Diana fazia história ao usar seu 'vestido da vingança'

Em sua primeira aparição pública após Charles confirmar seu caso extraconjugal, em 1994, Lady Di estava bem diferente do que o mundo esperava

Daniela Bazi e Alana Sousa Publicado em 15/12/2019, às 08h00 - Atualizado em 30/06/2021, às 09h40

Lady Di no vestido que ficou conhecido como "vestido da vingança"
Lady Di no vestido que ficou conhecido como "vestido da vingança" - Getty Images

O casamento de Charles e Diana foi conturbado desde o início. Com a pressão de encontrar uma esposa por ser o herdeiro mais próximo ao trono, o príncipe de Gales escolheu a aristocrata inglesa, ainda que o amor não estivesse lá.

Após 15 anos desde quando selaram matrimônio em uma cerimônia grandiosa, o casal real se separou oficialmente. Desde a rivalidade no casamento e a dificuldade de Diana de se encaixar nas regras da monarquia, um dos fatores decisivos para o divórcio foi a infidelidade de Charles.

Dois anos antes dos documentos oficiais saírem, um episódio icônico marcou a virada na vida da princesa depois de divulgar para o mundo o lado obscuro do primogênito de Elizabeth II.

O vestido da Princesa de Gales foi feito pela estilista Christina Stambolian / Crédito: Getty Images

 

Vestido da vingança

No dia 29 de junho de 1994, Diana Spencer, a princesa de Gales, fez uma aparição que escandalizou o mundo. No evento anual da revista Vanity Fair, em Londres, Inglaterra, Lady Di chocou o público com um vestido marcante, que eternizou sua ‘vingança’ após a confirmação da traição de Charles.

Durante a mesma noite, o príncipe havia admitido em uma entrevista na televisão que havia traído sua esposa.

Diana apareceu com um vestido cocktail preto que deixava os ombros a mostra e impactou o público e os jornais da época. Era a primeira vez em que ela aparecia após os escândalos relacionados ao fim de seu casamento, e apresentava uma mulher independente da família real e, principalmente, de Charles — muito diferente do que a mídia tentava retratar após o polêmico episódio.

A roupa usada ficou conhecida como “vestido clássico da vingança”, e quase não foi utilizada para o evento. Diana não costumava andar com figurinos assim por considerar um pouco ousado demais para a realeza. Além de que existem muitos protocolos quando o assunto são as roupas e acessórios das mulheres da corte de Elizabeth II.

A ideia inicial era que a princesa usasse uma criação da marca Valentino, mas mudou de ideia após um comunicado sobre o visual do evento. Segundo sua ex-estilista Anna Harvey: "Ela queria parecer um milhão de dólares. E conseguiu". Desde então, Diana se estabeleceu como um ícone mundial da moda, sua roupa foi eternizada na cultura pop.

Foto icônica foi deixada no memorial de Lady Di em Buckingham após a sua morte / Crédito: Getty Images

 

Alex Longmore, jornalista e estilista britânico revelara em entrevista que o principal motivo para o sucesso do visual foi a própria princesa. "Era o caso clássico de uma mulher usando o vestido e não o contrário. Era exatamente o oposto do 'traje da princesa' que havia sido manchete nos anos 80. Um de seus estilistas favoritos, David Sassoon, lembrou que 'houve uma tremenda mudança na menininha tímida que eu vesti inicialmente para essa mulher abertamente glamorosa'”.

Longmore ainda completou que “o sorriso dela, sua confiança e seus ombros que tornam essas fotos tão memoráveis. Ela é radiante, feliz e no controle. Além de perder o título de HRH, ela se saiu muito bem depois de deixar a empresa. Naquela noite, Diana imortalizou um vestidinho preto e, uau, ela fez isso bem”.

A fotografia de Diana no evento circulou o mundo inteiro e enfim mostrou que ela estava satisfeita após ter quebrado o ciclo de sofrimento que era submetida na realeza. Seu legado humanitário juntou-se ao momento em que a princesa também ingressou nas revistas de moda.

 


+Saiba mais sobre a família real britânica por meio das obras disponíveis na Amazon

Diana. O Último Amor de Uma Princesa, de Kate Snell (2013) - https://amzn.to/2TgHgPO

The Queen: The Life and Times of Elizabeth II (Edição Inglês), de Catherine Ryan (2018) - https://amzn.to/2RhgNA7

God save the queen - O imaginário da realeza britânica na mídia, de Almeida Vieira e Silva Renato (2015) - https://amzn.to/2xTkiGd

Diana. O Último Amor de Uma Princesa, de Kate Snell (2013) - https://amzn.to/2TgHgPO

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp 

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7