Matérias » Mundo

'Verme do mar': Conheça os curiosos 'peixe-pênis'

Em 2019, norte-americanos ficaram surpresos ao encontrarem milhares dessas criaturas invertebradas em uma praia da Califórnia

Ingredi Brunato, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 19/05/2021, às 09h37

Fotografia de "peixe-pênis" encontrado na Califórnia
Fotografia de "peixe-pênis" encontrado na Califórnia - Divulgação/ Kate Montana/ iNaturalist Creative Commons

O oceano é repleto de criaturas de características singulares. Uma delas é o “peixe-pênis”, como é conhecido popularmente. O apelido, todavia, embora seja uma boa descrição de sua aparência excêntrica, pode induzir a um leve engano: isso pois o ser dos mares não é peixe coisa nenhuma, e sim um verme. 

"Ele é um anelídeo, ou seja, o parente mais próximo de uma minhoca", explicou o biólogo Marcelo Bezerra em entrevista ao NE10. O gênero científico do animal de formato indiscreto é Urechis, e ele é mais frequentemente encontrado na costa de países da Ásia, com a China, o Japão e as duas Coreias. 

Todavia, existe uma classe específica de “peixe-pênis” que vive nas praias da América do Norte: é o Urechis caupo. Uma das aparições mais memoráveis já feitas por ele foi em dezembro de 2019, quando a Drakes Beach, uma praia localizada no estado norte-americano da Califórnia, ficou lotada dessas criaturas exóticas, surpreendendo os moradores locais. 

O episódio aconteceu logo após uma intensa tempestade de inverno que produziu ondas imensas e revirou a areia do local. É possível entender por que motivo o fenômeno climático provocou a revelação de milhares de Urechis caupo quando se leva em conta que esses invertebrados costumam ficar enterrados sob o solo marítimo. 

Fotografia de Drakes Beach em 6 de dezembro de 2019 / Crédito: Divulgação/ David Ford/Bay Nature

 

Aspectos do “peixe-pênis”

Esses vermes marítimos costumam possuir entre 10 e 30 centímetros de comprimento, e vivem por até 25 anos. Eles se alimentam de detritos orgânicos que ficam depositados no fundo do mar, e não oferecem nenhum perigo para humanos. 

Outro fato interessante é que já foram encontradas evidências fósseis que indicam que Urechis já habitam o planeta há mais de 300 milhões de anos. 

Segundo repercutido pela Revista Galileu em uma matéria de 2020, o animal é considerado uma iguaria em alguns territórios asiáticos, e chega a ser comido cru na Coreia do Sul (onde é conhecido como “gaebul”) com direito a um tempero simples composto por sal, óleo de gergelim e pimenta. 

Existe ainda uma crença curiosa por trás do consumo do verme: por conta de seu formato semelhante ao do órgão sexual masculino, alguns acreditam que a carne dele contenha propriedades afrodisíacas, contudo, nunca fora comprovado. O veículo informou também que a criatura possui um gosto extravagante, que consegue ser salgado e doce ao mesmo tempo. 

Para os curiosos, existe uma Youtuber sul-coreana de nome Ssoyoung que fez um vídeo onde prepara o prato tradicional com vermes marinhos e o experimenta pela primeira vez na frente da câmera.

Durante o processo, a influencer dá sua opinião a respeito do gosto e da textura do "peixe-pênis", além de apontar quais os melhores acompanhamentos para a refeição exótica. É possível ativar legendas tanto em inglês quanto em espanhol, embora ainda não em português.

Confira o vídeo abaixo.