Matérias » Hollywood

Vício em sexo, polêmicas e crime brutal: A morte sem respostas de Bob Crane

Corpo do ator foi encontrado, em 1978, esparramado pela cama com dois cortes na cabeça e um fio elétrico amarrado no pescoço. Mas quem foi o responsável por sua morte?

Fabio Previdelli Publicado em 13/05/2020, às 19h00 - Atualizado às 20h00

Foto do ator Bob Crane
Foto do ator Bob Crane - Wikimedia Commons

O dia 29 de junho de 1978 provavelmente começou como quase todos os dias de verão em Scottsdale: com as temperaturas batendo os 30 graus ao meio-dia e com moradores se refugiando em suas casas com ar condicionado, o que deixava as largas ruas ainda mais vazias, como uma espécie de cidade fantasma do sudoeste americano. Mas o dia não acabou assim.

Respondendo a um chamado, os policias locais se depararam com uma cena não muito característica da cidade. Em um apartamento pouco iluminado do primeiro andar, eles encontraram o corpo de uma pessoa — sem camisa e que aparentava ter por volta de 49 anos — com marcas de agressão, que estava esparramado pela cama com dois cortes enormes acima da orelha esquerda e um fio elétrico amarrado no pescoço. Apesar dos cabelos grisalhos da vítima, ela aparentava ter uma boa forma física.

Naquele cenário de horror, ainda foi encontrado outros detalhes agoniantes, como marcas de sangue que estavam respingados pelas paredes e no teto, e um travesseiro que estava encharcado de vermelho.   

Bob Crane e a atriz Sigrid Valdis, com quem foi casado / Crédito: Wikimedia Commons

 

De imediato, não foi possível identificar o cadáver. Mas, posteriormente, descobriram que aquela pessoa desfigurada era Bob Crane, uma estrela de TV conhecida por milhões de pessoas como protagonista que dava nome ao seriado Hogan’s Heroes.

O terrível assassinato do artista, ainda que não tenha sido solucionado — apesar das mais de quatro décadas de questionamentos inconclusivos —, gerou uma série de fatos até então desconhecidos, como o vício do ator em sexo e pornografia.

Se bem que parte desse lado obscuro de sua vida não era um mistério tão sigiloso assim. Tudo porque, sua obsessão luxuriosa o prejudicou em diversos momentos de sua carreira, isso sem contar que foi provavelmente por isso que colocaram um ponto final em sua vida.

Os vícios sexuais de Bob Crane

Crane frequentemente filmava e fotografava suas próprias aventuras sexuais. Durante seus tempos gloriosos como ator, conheceu John Henry Carpenter, gerente regional de vendas da Sony Electronics. Os conhecimentos em aparelhos de vídeo de Carpenter, aliados com a boa relação que os dois cultivavam, foram fatores importantes no aumento do acervo audiovisual do artista, que sempre gravava seus encontros sexuais conjuntos. Crane era uma estrela e a fama lhe permitiu satisfazer seu apetite.

Crane atuando em Hogan’s Heroes / Crédito: Wikimedia Commons

 

Casado com a namorada do ensino médio Anne Terzian e com três filhos (Robert e suas irmãs, Deborah e Karen), o ator usou sua fama para conhecer mulheres e depois colecionou fotos nuas delas.

Apesar da polêmica, mais tarde, o filho de Bob garantiu que todas as mulheres estavam, cientes das sextapes.  "Não havia drogas, coerção, nada disso", explica Robert. “As mulheres apenas gostavam dele, ou o achavam bonito, ou o que quer que fosse”.

Quando Bob chegou a Phoenix, onde passou seus dias finais de vida, seu segundo casamento estava nas ruínas. Por lá ele decidiu tomar um novo rumo na vida. Assim, comprou os direitos de uma peça chamada Beginner's Luck — a qual ele já havia se apresentado em outros locais.

Meu pai me disse: “Estou fazendo mudanças. Estou me divorciando de Patti”, conta Robert. “Ele queria perder pessoas como John Carpenter, que havia se tornado uma dor no seu traseiro. Ele queria uma vida nova”. Mas isso nunca aconteceu.

Foto de John Henry Carpenter / Crédito: Divulgação

 

O filho acredita que, quando seu pai tentou se afastar de Carpenter, que o havia seguido até o Arizona, ele ficou furioso. "Eles tiveram um rompimento, de certa forma", diz Robert. “Carpenter perdeu. Ele estava sendo rejeitado, ele estava sendo desprezado como um amante. Há testemunhas oculares naquela noite em um clube de Scottsdale que disseram que tiveram uma discussão, John e meu pai”.

A cena brutal de um crime e as investigações

Algumas horas depois, Crane foi encontrado morto por sua colega Victoria Ann Berry, que entrou em seu apartamento depois que ele não compareceu a um almoço. O ator foi espancado por uma arma nunca identificada, embora os investigadores acreditassem que fosse um tripé de câmera.

Assim, naquele dia aparentemente calmo, o som das viaturas policias ganharam as ruas. Logo, Robert; o gerente de negócios de Crane, Lloyd Vaughn; e o advogado Bill Goldstein estavam presentes na cena do crime. O que, para o filho, foi fundamental para comprometer a caçada ao assassino de seu pai. "Nós adicionamos nossas impressões digitais, pegadas e amostras de cabelo a uma cena de assassinato já contaminada”.

Local onde Bob Crane foi sepultado / Crédito: Wikimedia Commons

 

Na época, não havia testes de DNA, mas todas os caminhos levavam a Carpenter. Os policias sabiam que os dois haviam discutido horas antes e que o apartamento não apresentava sinais de entrada forçada — o que sugeria que o agressor conhecia a vítima. O carro alugado pelo ex-amigo também apresentava marcas de sangue compatíveis com a do tipo sanguíneo do ator: tipo B.

Mas o que os policiais encontraram no Chrysler Cordoba de Carpenter não foi suficiente. Na ausência de uma arma do crime, os detetives não conseguiram convencer o advogado do condado a emitir um mandado de prisão.

Mas uma série de controversas e provas inconclusivas jamais impediram que o suspeito fosse preso. A única certeza que ficou é que Bob Crane foi enterrado no dia 5 de julho de 1978, na Igreja Católica St. Paul the apostle.


+ Saiba mais sobre Hollywood por meio de grandes obras disponíveis na Amazon:

Hollywood: 131, de Charles Bukowski (1998) - https://amzn.to/2UXDWKe

Cenas de uma revolução: o nascimento da nova Hollywood, de Mark Harris (2011) - https://amzn.to/3c6gqAr

O pacto entre Hollywood e o nazismo: Como o cinema americano colaborou com a Alemanha de Hitler, de Ben Urwand (2019) - https://amzn.to/2ViwOqO

Hollywood Babylon: The Legendary Underground Classic of Hollywood's Darkest and Best Kept Secrets (Edição Inglês), de Kenneth Anger (1981) - https://amzn.to/2RurMWU

O livro do cinema, de Vários autores (2017) - https://amzn.to/2VeOS52

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W