Matérias » Personagem

Vincenzo Peruggia, o homem que cometeu um dos crimes mais inacreditáveis do século 20

Em 1911, ele utilizou seu antigo uniforme para invadir o Museu do Louvre com um objetivo claro

Nicoli Raveli Publicado em 07/04/2020, às 08h00

Vincenzo Peruggia, o homem que roubou a obra Mona Lisa
Vincenzo Peruggia, o homem que roubou a obra Mona Lisa - Wikimedia Commons

Em 1503, Leonardo da Vinci deu vida a um dos quadros mais famosos do mundo. Após a queda de Napoleão em 1815, a obra intitulada Mona Lisa foi transferida para o maior museu do mundo, o Louvre, em Paris.

O local, que já recebeu mais de 80 milhões de visitantes e atrai turistas de todas as partes do mundo, parecia ser o território apropriado e seguro para a arte de um dos pintores mais famosos do movimento alto renascentista. Entretanto, no início do século 20, o museu passou por uma situação que ninguém esperava.

Vincenzo Peruggia, que trabalhou no Louvre em 1910, planejou por meses o roubo da arte. Ele mesmo havia colocado uma porta de vidro para a proteção da obra e, mais tarde, quando havia se desligado do local, utilizou seu uniforme para entrar no museu e tirar o quadro.

Mona Lisa no Museu do Louvre / Crédito: Wikimedia Commons

 

No dia 21 de agosto de 1911, seu plano foi colocado em prática. O museu estava fechado e contava com poucos guardas. Dessa maneira, o homem saiu do local com a obra em mãos. Por mais inacreditável que pareça, a ausência só foi notada no dia seguinte. Após uma semana, o acervo ficou fechado para que a polícia iniciasse a busca por pistas do ladrão.

As autoridades realizaram as buscas por mais dois anos e deteve diversos artistas como principais suspeitos pelo crime, como Guillaume Apollinaire, poeta vanguardista, e Pablo Picasso, pintor espanhol. Mais tarde, ambos foram inocentados e libertados.

A fama da obra

Entretanto, o que poucos sabem é que a obra tornou-se conhecida devido ao assalto. Devido a cobertura da mídia, a arte chamou atenção ao redor do mundo. "A imagem começou a aparecer em noticiários cinematográficos, caixas de chocolate, postais e anúncios publicitários. De repente, ela se transformou em uma celebridade como estrelas de cinema e cantores", disse o escritor Darian Leader, autor do livro Roubando a Mona Lisa: o que a arte não nos deixa ver.

Notícia sobre o desaparecimento da obra / Crédito: Divulgação

 

Além disso, muitos turistas iam ao Louvre somente para ver o espaço que a Mona Lisa costumava ocupar. Naquela época, o museu já reunia grandes obras artísticas, como a pintura Liberdade Guiando o Povo, de Eugène Delacroix e A balsa de Medusa, de Théodore Géricault. Porém, após o furto, o quadro de Leonardo da Vinci conquistou uma fama excepcional.

Recuperação do quadro

Após uma investigação cansativa, as autoridades recuperaram a obra em 1913, quando Peruggia entregava a arte ao vendedor de antiguidade Alfredo Geri. Ele foi condenado a um ano e quinze dias, mas uma medida fez com que sua sentença diminuísse para sete meses e nove dias. 

Em seu depoimento, o homem afirmou que a motivação do roubo era patriótica. Isso porque ele pensava que o imperador Napoleão a havia roubado da Itália. Porém, na verdade, o rei Francisco I comprou o quadro no século 16. Mesmo assim, Vincenzo pretendia vender a obra a um italiano, uma vez que obtinha uma lista com diversos nomes de colecionadores.

Após o retorno do quadro, diversos turistas foram até o museu para rever a arte de Leonardo. Entretanto, de acordo com o jornalista Jerome Coignard, poucos visitantes realmente conseguem apreciá-la. “O que importa é estar ali e poder dizer que a viram”, disse o escritor.

Espaço no Museu do Louvre reservado para a Mona Lisa / Crédito: Divulgação

 

Mesmo que o roubo tenha entrado para história, o feito de Peruggia foi cada vez mais esquecido devido ao início da Primeira Guerra Mundial, em 1914. "As pessoas pensam nele como alguém extravagante e adorável, que se apaixonou por uma obra de arte e que não a danificou", afirmou o historiador de arte Noah Charney.

Teoria sobre o roubo

Ainda existem rumores sobre o roubo da Mona Lisa, mas a real causa permanece um mistério. De acordo com os pesquisadores, Peruggia não era um amante de artes, muito menos entendia obre o assunto. Em todo esse tempo, a obra estava trancada num baú no apartamento de Vincenzo.

Vincenzo segurando o quadro / Crédito; Divulgação 

 

Para alguns estudiosos, o homem escolheu essa obra devido ao seu tamanho, já que o quadro mede 53 por 77 centímetros. Dessa maneira, seria mais fácil deixar o museu sem que ele fosse abordado.


+ Saiba mais sobre o tema por meio das obras disponíveis na Amazon:

Mona Lisa: A mulher por trás do quadro, Dianne Hales (2018) - https://amzn.to/37k4c5K

Salvando a Mona Lisa: A extraordinária batalha para proteger o Louvre e seus tesouros da invasão nazista, Gerri Chanel (2019) - https://amzn.to/2qj1IE2

A Matemática e a Mona Lisa. A Confluência da Arte com a Ciência, Bulent Atalay (2007) - https://amzn.to/35aXhK2

Detetive Intrínculis e o Roubo da Mona Lisa, Amaicha Depino (2013)  - https://amzn.to/2XvaTwZ

Roubaram a Mona Lisa!, R. A. Scotti (2009) - https://amzn.to/32ZPfSV

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W