Matérias » Hollywood

Violência, álcool e morte misteriosa em Hollywood: a vida conturbada do artista Gig Young

O artista chegou até mesmo a ganhar o Óscar de Melhor Ator Coadjuvante, mas foram os episódios negativos de sua vida pessoal que ganharam destaque

Nicoli Raveli Publicado em 12/05/2020, às 17h08

Ator americano Gig Young
Ator americano Gig Young - Divulgação

O artista Gig Young mostrou interesse pelo teatro logo na infância, quando frequentava a escola. Após o término do último ano escolar, o garoto passou a trabalhar como vendedor de carros, mas, nunca deixou de lado o seu grande sonho de se tornar ator.

Assim, passou a ter importantes de aulas de interpretação para atingir seu objetivo. Sua presença nos filmes, no entanto, ocorreu a partir de 1940, quando um amigo fez um incrível convite: o chamou para morar em Hollywood.

Em seu primeiro ano em meio à vida artística na terra do cinema, o homem pôde interpretar um papel no filme Misbehaving Husbands, e não demorou para que chamasse a atenção de diversos nomes importantes no mundo do cinema.

Carreira em ascensão

Durante uma de suas performances no cinema, Gig conheceu a atriz Sheila Stapler e eles se casaram em 1940. Na mesma época que ganhou o coração da estrela do cinema, também atraiu os olhares de um agente de talentos da Warner Brothers, que logo o ofereceu um contrato. Em poucos meses, seu primeiro papel relevante se deu no filme Sargento York, de 1941.

O ator Gig Young com um cigarro na mão / Crédito: Divulgação 

 

Suas interpretações eram elogiadas entre os chefões de Hollywood, o que abriu caminho para um desempenho ainda mais importante na vida de Young: as filmagens de The Gay Sisters, de 1942, produção que resultou no aumento de sua popularidade.

A ascensão de Young, no entanto, foi interrompida no mesmo ano pelos conflitos bélicos durante a Segunda Guerra Mundial. Isso porque ator havia sido convocado a juntar-se ao Exército no Pacífico. Lá, o artista serviu como ajudante médico em meio a zona de combate e, em 1947, pôde retornar a sua carreira na Warner Bros.

Ao voltar para casa, muita coisa havia mudado inclusive o sentimento por sua esposa. Dessa maneira, pediu o divórcio, que foi aceito pela mulher. Entretanto, o fim do sentimento não era a única coisa que perturbava o artista. 

Gig Young na premiação do Óscar por Mellhor Ator Coadjuvante pela participação em They Shoot Horses, Don't They? / Crédito: Divulgação 

 

Gig acreditava que não tinha uma renda que fosse equivalente a seu trabalho. Assim, optou por deixar a Warner em 1948 e foi contratado como freelancer na Metro-Goldwyn-Mayer. Foi na produtora americana que Yong pôde atuar pela primeira vez como protagonista, no filme Hunt the Man Down, de 1950. Também foi nesse período que conheceu Sophie Ronsenstein. Encantado, pediu a mulher em casamento rapidamente. Era um recomeço, mas não a volta de sua felicidade. 

Em 1952, o homem estrelou a obra cinematográfica Holiday For Sinners, que foi um enorme fracasso. Foi o suficiente para sua vida pessoal ser afetada. Young passou a viver em constante infelicidade; Nem a nova amada foi capaz de trazer o seu brilho nos olhos de volta. 

No mesmo ano, a nova esposa faleceu após enfrentar o câncer. Acredita-se que esse tenha sido um dos motivos para que Gig largasse seu contrato com a Metro-Goldwyn-Mayer. Isso porque, na mesma época, ele estaria insatisfeito com os papéis que a empresa o oferecia.

Filmagem de Kid Galahard, em 1962 / Crédito: Divulgação 

 

Sem muita esperança, Young realizou um teste na Broadway e, para sua surpresa, foi contratado. A partir de então, o artista passou a ser escalado somente em gêneros de comédia, como em Teacher's Pet, de 1958, e Kid Galahard, 1962, no qual atuou com Elvis Presley.

Devido ao grande sucesso das filmagens de Teacher's Pet, o artista foi indicado ao Oscar de melhor ator coadjuvante. No filme, Young interpretava um alcoólatra que tinha um grande coração. 

Por coincidência, sua vida pessoal também foi marcada pelo alcoolismo. Todavia, Gig não era gentil como o moço que havia interpretado no filme de 1958. Pelo contrário, a atriz Elizabeth Montgmery - com quem ele tinha se casado pela terceira vez – foi vítima dos atos violentos do ator e revelou que ele a espancava diariamente. 

Gig Young e Elizabth Montgmery / Crédito: Divulgação 

 

Em um dos episódios conturbados, Montgmery foi até mesmo proibida de sair de casa pelo próprio marido. O inferno da mulher só teria um fim quando seu pai, Robert, se sentiu obrigado a intervir no relacionamento e bateu em Young para que ele assinasse os documentos do divórcio.

Não convencido de que o ator aceitaria deixar a esposa, o pai da atriz ainda ofereceu uma quantia de dinheiro, o que resultou na separação definitiva do casal.

Mas, o violento Gig não ficou sozinho por muito tempo. No mesmo ano, o artista conheceu a milionária Elaine Williams, com quem ele teve uma filha. Ela também foi alvo dos ataques do cantor que em determinado momento passou a negar a paternidade da criança. 

Em meio à rotina violenta e alcoólica do marido, Williams pediu o divórcio. O episódio foi repleto de momentos turbulentos, incluindo a comprovação da paternidade de Jennifer Young. Após muitas brigas, foi realizado o teste de DNA.

O exame comprovou que a garota era filha de Gig - mesmo com as inúmeras negações do ator – em meio à decadência da carreira do ator no ano de 1974, quando foi demitido das filmagens de Banzé no Oeste, apenas quatro anos depois de ser premiado como Melhor Ator Coadjuvante pela participação em They Shoot Horses, Don't They?.

Foi o suficiente para Young perder a cabeça de vez. Após receber a notícia, ele foi para casa e teve um colapso devido à ingestão de grande quantidade de bebida alcoólica. Por sorte, não faleceu naquela noite. 

Quatro anos após o incidente, o famoso estrelou no filme Jogo da Morte, de 1978. Parecia ser um recomeço para o ator, que durante as filmagens conheceu Kim Schmidt,  sua quarta esposa. No entanto, era tarde demais para Yong. Eles se casaram e, vinte e um dias depois, os familiares receberam uma notícia trágica. 

Gig Young e Kim Schmidt / Crédito: Divulgação 

 

Ambos foram encontrados sem vida na casa do ator. Durante as investigações, as autoridades alegaram que foi um assassinato seguido de suicídio: Gig, de 64 anos, teria atirado na cabeça da esposa, de 31, e, posteriormente, se suicidado.

Não se sabe qual foi o motivo para o ato fatal, mas acredita-se que esse tenha sido apenas mais uma postura violenta do cineasta e que foi minimamente planejada: dias antes de sua morte, o homem alterou o seu testamento e proibiu que sua filha recebesse qualquer parte de sua herança.


+ Saiba mais sobre Hollywood por meio de grandes obras disponíveis na Amazon:

Hollywood: 131, de Charles Bukowski (1998) - https://amzn.to/2UXDWKe

Cenas de uma revolução: o nascimento da nova Hollywood, de Mark Harris (2011) - https://amzn.to/3c6gqAr

O pacto entre Hollywood e o nazismo: Como o cinema americano colaborou com a Alemanha de Hitler, de Ben Urwand (2019) - https://amzn.to/2ViwOqO

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W