Matérias » Personagem

Viúva negra do século 6: a fria e calculista Rosamund, Rainha dos Lombardos

Nascida em período de guerras, a princesa perdeu seu reino ainda jovem e teve de se casar com o assassino do próprio pai

Pamela Malva Publicado em 14/04/2020, às 20h00

Representação de Rosamund, a rainha dos lombardos
Representação de Rosamund, a rainha dos lombardos - Wikimedia Commons

Um palácio suntuoso, muitas riquezas e produtos da melhor qualidade. Essa é a vida perfeita de uma princesa de contos de fadas. Pouco parecidas eram as lógicas das antigas nobrezas, nas quais mulheres, por exemplo, eram apenas moedas de troca.

Foi nesse contexto que algumas das maiores princesas da história nasceram e foram criadas, bem como rainhas que dominaram centenas de terras. Fortes, astutas e, por vezes, impiedosas, essas mulheres se tornaram as protagonistas da própria história.

O mesmo aconteceu com Rosamund, a princesa dos gepids que, mais tarde, tornou-se a rainha dos lombardos. Desde seu nascimento, ela passou por diversos episódios que tentaram subjugá-la, mas nunca caiu do trono e, com certa frieza, manteve sua postura.

Representação da princesa Rosamund / Crédito: Wikimedia Commons

 

Infância entre guerras

Rosamund nasceu em meados de 540, quando seu povo, os gepids, estavam em guerra contra os lombardos. Ambos germânicos, os grupos lutavam por terras e, no meio da batalha, o avô e o tio da princesa foram mortos.

Cego de raiva, o pai de Rosamund, Rei Cunimund, deu início à guerra final entre os povos e tentou recuperar as terras perdidas para os lombardos. O conflito logo se intensificou e, ao contrário do que pensava, o reino gepid perdeu tudo na Batalha de Asfeld, em 567.

Por ser o líder da frente inimiga, o Rei Cunimund foi decapitado, enquanto Rosamund foi capturada e transformada em prisioneira. Seu destino, entretanto, foi ainda pior que o de seu pai e a princesa logo foi prometida ao rei dos lombardos, Alboin.

Dono de um reino vencedor, Alboin queria garantir um herdeiro homem e viu em Rosamund a chance para tal. Ele havia perdido sua esposa Clotsuinda, de Frankia, e, com esse infortúnio, poderia se casar novamente.

A corte de Alboin e Rosamund / Crédito: Wikimedia Commons

 

Palácio de sangue

A vida de Rosamund, do seu casamento em diante, foi marcada por diversos momentos de pura crueldade e abuso de poder. Durante um banquete real, segundo o escritor Paulus Diaconus, Alboin obrigou Rosamund a beber vinho do crânio do próprio pai.

Em 572, cansada dos abusos do rei, Rosamund passou planejar seu assassinato, ao lado de Helmichis, seu amante e portador de armas real. Com o plano perfeito em mente, o homem sugeriu que Rosamund pedisse ajuda para Peredeo, um dos guerreiros mais fortes do reino.

Leal ao seu mandante, Peredeo recusou a oferta. A rainha, entretanto, não queria deixar o plano morrer e, naquela noite, enquanto Peredeo dormia, ela se vestiu de criada. Ela entrou nos aposentos do guerreiro e, ludibriado pelo disfarce, ele dormiu com a rainha.

Ao acordar, o guerreiro percebeu seu adultério e concordou em participar da tentativa de assassinato contra o rei. Tudo por medo do que Alboin faria caso descobrisse sobre a relação extraconjugal que ele teve com a rainha.

Momento no qual Rosamund foi obrigada a beber no crânio do pai / Crédito: Wikimedia Commons

 

Uma noite fria

Quando as coisas já estavam resolvidas e o plano estava completo, Rosamund deu um belo banquete no palácio. Impressionado e iludido, Alboin logo ficou embriagado. Ao perceber o marido fora de si, a rainha pediu que ele fosse se deitar.

Enquanto isso, Rosamund ordenou aos criados que a espada de Alboin fosse amarrada na cabeceira da cama dele. Com isso, ela esperava, o rei ficaria indefeso caso acordasse em meio à tentativa de assassinato.

Dito e feito. Durante a noite, quando os traidores entraram nos aposentos do rei, ele acordou, apenas para descobrir que estava desarmado e sem defesas. Alboin tentou evitar o ataque com um banquinho, mas foi morto mesmo assim.

Não se sabe exatamente quais mãos tiraram a vida do rei, mas a culpa recaiu sobre Helmichis e Peredeo. Os dois foram considerados assassinos únicos e, por algum tempo, pouco se falou sobre a rainha.

A noite do assassinato de Alboin / Crédito: Wikimedia Commons

 

Casamento indesejado

A vida de Rosamund se complicou novamente quando Helmichis quis se casar com ela e, com isso, usurpar o trono. As máscaras caíram e todos os ducados do reino repugnaram o casal. Assim, Rosamund, Helmichis e Albsuinda, filha de Alboin, fugiram juntos para um forte romano no leste de Ravena.

Uma vez exilados, Rosamund e Helmichis realmente se casaram. Mas o homem logo provou da crueldade de sua amada quando ela começou a se relacionar com Longinus, que também ajudou a planejar o assassinato de Alboin.

Apaixonado pela antiga rainha, Longinus queria se casar e pediu que ela se livrasse de seu segundo marido. Rosamund, então, tentou envenenar Helmichis, mas foi assassinada pelo homem, que a forçou a beber o veneno e depois cometeu suicídio.


+Saiba mais sobre o tema através das obras abaixo, disponíveis na Amazon

El Sacro Imperio Romano-Germánico, de Barbara Stollberg-rilinger (2020) - https://amzn.to/2K2sert

História medieval, de Cibele Carvalho (2016) - https://amzn.to/3cb5X6O

a mitologia dos povos germânicos, de Maria Lucilia Meleiro (1994) - https://amzn.to/3cb64iK

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W