Vitrine » Crimes

Cerco de Waco: a desastrosa operação que resultou na morte de 76 pessoas

O confronto entre o FBI e a seita do Ramo Davidiano durou 51 dias e marcou a história dos Estados Unidos

Victória Gearini Publicado em 06/06/2020, às 09h00 - Atualizado em 08/06/2020, às 09h00

Incêndio ocorrido durante o Cerco de Waco
Incêndio ocorrido durante o Cerco de Waco - Wikimedia Commons

O Cerco de Waco é conhecido como um dos episódios mais emblemáticos da história dos Estados Unidos. Iniciado no dia 28 de fevereiro de 1993, o caso aconteceu ao nordeste de Waco, no Texas, quando as autoridades foram acionadas para fazer uma busca na sede da seita Ramo Davidiano.

O Ramo Davidiano se originou a partir de um movimento reformista iniciado pela Igreja Adventista do Sétimo Dia, durante a década de 30. Ao longo dos anos este grupo se manteve discreto, até a chegada de David Koresh — nome que adotou após entrar para a seita — em 1981, depois ter sido expulso da Igreja Adventista de Tyler.

A bandeira do Ramo Davidiano / Crédito: Wikimedia Commons

 

Em 1983, Koresh passou a se autoproclamar como um profeta, acreditando ser o último messias enviado por Deus à Terra. Ele não aceitava os ensinamentos propostos pela seita e criticava, ainda, as práticas impostas pelos membros do ramo davidiano dos adventistas do sétimo dia. 

Mais tarde ele assumiu a liderança da organização, no entanto, com o passar do tempo, passou a ter vários comportamentos contraditórios. Koresh dizia que a monogamia seria a salvação dos fiéis, no entanto, o líder poderia ter várias esposas. Além disso, passou a incentivar o uso de bebidas alcoólicas e instalou armas de fogo na sede da instituição.

Operação Monte Carmelo

No dia 28 de fevereiro de 1993, o Departamento de Justiça norte-americano autorizou um mandado de busca na sede do rancho Monte Carmelo, localizado em Waco, no Texas. Ao chegar ao local, a polícia foi recebida com tiros, o que acabou resultando na morte de quatro agentes e seis membros da seita. 

David Koresh, líder da seita / Crédito: Wikimedia Commons

 

Logo depois do confronto, o FBI assumiu o controle do caso que foi chamado de Operação Monte Carmelo. As autoridades decidiram estabelecer um cerco em torno de sede da organização. O conflito durou cerca de 51 dias e envolveu, ainda, outros órgãos táticos da inteligência norte-americana como: a ATF, os Texas Rangers e as forças militares da Guarda Nacional dos Estados Unidos.  

Nos primeiros dias Koresh e seus seguidores concederam algumas entrevistas à imprensa, até que o FBI cortou a ligação da seita com o resto do mundo. Após dias incansáveis de negociações, as autoridades permitiram que Koresh desse uma declaração pública. Na ocasião, o líder revelou que Deus o havia mandado resistir ao cerco.  

Neste tempo, o complexo liberou 19 crianças, que mais tarde, revelaram terem sido vítimas de abusos físicos e sexuais dentro da seita. Conforme a situação piorava, as autoridades começaram a temer um possível suicídio em massa, o que levou ao FBI soltar bombas de gás lacrimogêneo dentro do rancho. O intuito era invadir e libertar os seguidores de Koresh que estavam sendo feitos de reféns. 

Incêndio ocorrido na sede da seita / Crédito: Wikimedia Commons

 

No entanto, o conflito terminou em um incêndio iniciado dentro da sede, ocasionando a morte de 76 pessoas, entre elas 20 crianças, duas grávidas e o próprio David Koresh. Acredita-se que apenas nove pessoas tenham conseguido escapar com vida. 

Desfecho da operação desastrosa

Duas semanas depois, a ATF desfez o complexo, permanecendo apenas uma pequena capela. Segundo o relatório Danforth, alguns membros não conseguiram fugir, enquanto outros se recusaram deixar a propriedade. O documento afirma, ainda, que Steve Schneider, o braço-direito de Koresh, atirou no líder logo após o incêndio ter sido iniciado, suicidando-se em seguida. 

Na época a perícia concluiu que diversos seguidores atiraram nas crianças e posteriormente se mataram. No entanto, de acordo com o documentário Waco: The Rules of Engagement (1997) os atiradores de elite do FBI mataram muitos membros da seita que conseguiram se salvar do incêndio, o que confirma os depoimentos dos sobreviventes.


+Saiba mais sobre o tema por meio de grandes obras disponíveis na Amazon: 

Report of the Department of the Treasury on the Bureau of Alcohol (Edição Inglês), de United States. Dept. of the Treasury. Bu (2018) - https://amzn.to/3gXX17V

Waco: A Survivor's Story (Edição Inglês), de David Thibodeau e Leon Whiteson (2018) - https://amzn.to/2BDxpx1

True Stories of Law & Order: Special Victims Unit: The Real Crimes Behind the Best Episodes of the Hit TV Show (Edição Inglês), de Kevin Dwyer e Jure Fiorillo (2007) - https://amzn.to/3gY3Nut

Box O Império das Seitas, de Walter Martin (2019) - https://amzn.to/2BCNZgx

Identificando Seitas, de Esmeraldo Storti (2018) - https://amzn.to/371NnwD

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp 

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W