Vitrine » Literatura

O Mal-estar na Civilização: livro revela a origem da angústia humana

Obra de Sigmund Freud associa a agressividade do indivíduo com a opressão da sociedade

Victória Gearini Publicado em 03/06/2020, às 20h39

Sigmund Freud, médico neurologista e criador da psicanálise
Sigmund Freud, médico neurologista e criador da psicanálise - Wikimedia Commons

Recém-lançado pela Editora Edipro, o clássico O Mal-estar na Civilização, do médico neurologista e psiquiatra, Sigmund Freud,  foi escrito originalmente em 1930 e é considerado um marco para a construção da psicanálise.  

Esta obra-prima busca ensinar os impactos da sociedade sobre o indivíduo. Para Freud o mundo é feito de regras sociais, leis e privações, atreladas à vida a todos os seres. No entanto, segundo o psicanalista, é impossível os seres humanos viverem com tantas imposições.

[Colocar ALT]
Obra O Mal-estar na Civilização, de Sigmund Freud / Crédito: Divulgação / Amazon

Com a tradução do filósofo Saulo Krieger e prefácio do doutor em filosofia Guilherme Marconi Germer, esta obra apresenta um estudo completo da relação entre a sexualidade, a agressividade do indivíduo, e da opressão da sociedade, de modo que investiga as origens da infelicidade humana.

De acordo com Freud, as pessoas tendem a não cumprirem os paradigmas impostos pela sociedade, ao mesmo tempo que o indivíduo questiona e exige que o próximo cumpra as regras sociais. Para ele isso gera um ciclo de hipocrisia, que acaba sustentando as relações civilizatórias.

Para o fundador da psicanálise é impossível, ainda, que os seres humanos construam relações firmes e duradouras, a partir de regras e proibições impostas pela sociedade, pois isso gera laços omissos e mentirosos. Além disso, esta obra mostra como os discursos de ódio permitem atos cruéis, transformando guerras e obscuridades em leis. 

Disponível na Amazon, O Mal-estar na Civilização apresenta as consequências de reprimir a natureza e a cultura humana. Além disso, trata-se de um livro com um forte senso de crítica social, revelando a origem do sofrimento humano e explicando, ainda, a propagação deste sentimento para o resto da sociedade.

Confira um trecho da obra O Mal-estar na Civilização, de Sigmund Freud:

“O Mal-estar na Civilização (1930), talvez mais do que nenhuma outra obra de Sigmund Freud, atende com perfeição às condições do recebimento do aclamado Prêmio Goethe, condedio a Freud no ano de sua publicação. Conforme Thomas Plankers, esse prêmio é destinado a ‘reconhecidas personalidades, cujas realizações criadoras são dignas de honrar a memória de Goethe. Como Goethe não foi apenas um literato, mas também um pesquisador científico, Freud não teve esse impedimento para ser incluído no seleto grupo de intelectuais que simbolizam o legado espiritual do poeta. Mais do que isso, o próprio Freud contribuiu à honrosa aproximação por meio de sua escrita de alta qualidade — que também foi elogiada por Thomas Mann”. 


+Saiba mais sobre esta e outras obras de Sigmund Freud por meio da Amazon: 

O Mal-estar na Civilização, de Sigmund Freud e Guilherme Marconi Germer (2020) - https://amzn.to/2BpyGaM

O mal-estar na cultura e outros escritos de cultura, sociedade, religião, de Sigmund Freud (2020) - https://amzn.to/2zYwZRo

Freud (1900) A interpretação dos sonhos: Obras completas volume 4, de Sigmund Freud (2019) - https://amzn.to/3eF8PKq

Sobre a psicopatologia da vida cotidiana: Acerca de esquecimentos, lapsos de fala, enganos, superstições e erros, de Sigmund Freud (2018) - https://amzn.to/2MrSaOm

Amor, sexualidade, feminilidade, de Sigmund Freud (2018) - https://amzn.to/2yZA0Ak

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W