Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Vitrine / Cultura

Obra explora questões sociais e raciais do Modernismo Brasileiro

"Modernidade em preto e branco" é um retrato da situação política, econômica e racial de um dos momentos mais importantes da História da Arte brasileira

Rafaela Bertolini, sob a supervisão de Isabella Bisordi Publicado em 15/02/2022, às 16h45

Capa da obra "Modernidade em preto e branco: Arte e imagem, raça e identidade no Brasil, 1890-1945" (2022) - Crédito: Reprodução / Companhia das Letras
Capa da obra "Modernidade em preto e branco: Arte e imagem, raça e identidade no Brasil, 1890-1945" (2022) - Crédito: Reprodução / Companhia das Letras

Apesar de ser um dos movimentos artísticos mais importântes da História do Brasil, a Semana de Arte Moderna de 1922 é geralmente conhecida como um movimento de elite, associada a um grupo seleto de paulistanos. No entanto, o modernismo passou por diversas classes sociais, áreas geográficas e momentos importantes no país, incluindo a reinvenção do carnaval nas décadas 30 e 40 e o crescimento das novas mídias impressas e da fotografia.

Crédito: Reprodução / Companhia das Letras
Crédito: Reprodução / Companhia das Letras

Publicado originalmente em inglês pela Cambridge University Press, o livro "Modernidade em preto e branco: Arte e imagem, raça e identidade no Brasil, 1890-1945" chega traduzido ao Brasil pela Companhia das Letras em comemoração do centenário da Semana de 22. O autor Rafael Cardoso procura fazer uma releitura radical do movimento para mostrar que apesar dele ter se desenrolado em terras paulistas, o modernismo não está concentrado em apenas uma região do país. 

Cardoso procura investigar o início do Modernismo no Rio de Janeiro, onde iniciou-se uma vertente inovadora e pioneira na imprensa, nas artes gráficas e na música popular. Ele também procura explicar as tensões políticas, raciais e sociais por trás do modernismo brasileiro, levantando questões sobre a sociedade para repensar sobre raça e identidade, principalmente entre os anos 1890 e 1945. Assim, ele expõe uma face carioca de um movimento conhecido até então como predominantemente paulista, com uma face influente mas obscura do Modernismo, além de abrir uma janela para o leitor compreender a primeira metade do século XX no Brasil.

O livro foi lançado no dia 28 de janeiro de 2022 e já está disponível na Amazon para ser adquirido nas versões física e eBook Kindle.


+Saiba mais sobre "Modernidade em preto e branco" e outras obras relacionadas através da Amazon:

Modernidade em preto e branco: Arte e imagem, raça e identidade no Brasil, 1890-1945, de Rafael Cardoso (2022) - https://amzn.to/3Jpqvc8

Modernismos 1922-2022, de Vários Autores (2022) - https://amzn.to/3LMrENc

Semana de 22: Antes do começo, depois do fim, de José de Nicola e Lucas de Nicola (2021) - https://amzn.to/34VSqBF

Diário confessional, de Oswald de Andrade (2022) - https://amzn.to/3uPVWIP

Parque industrial, de Pagu (2022) - https://amzn.to/3GRc8M8

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime - https://amzn.to/2w5nJJp 

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis - https://amzn.to/2yiDA7W