Vitrine » Cultura

Obra inédita analisa influências negra, europeia e indígena na música brasileira

Uma árvore da música brasileira, de Guga Stroeter e Elisa Mori apresenta as raízes culturais das canções nacionais

Victória Gearini Publicado em 17/08/2020, às 18h25

Imagem meramente ilustrativa
Imagem meramente ilustrativa - Divulgação / Pixabay

Lançada em 2020 pela Edições Sesc SP, a obra Uma árvore da música brasileira, do músico Guga Stroeter e da pesquisadora Elisa Mori, analisa de maneira detalhada a influência negra, europeia e indígena na produção da música brasileira. 

Por meio de uma pesquisa minuciosa que foge do caráter acadêmico, esta obra parte da ideia de uma árvore genealógica que cresce e se ramifica. Isto é, os organizadores do tema reuniram documentos que mostram a influência de diversas culturas que sucederam umas às outras e as conexões entre os artistas contemporâneos.

[Colocar ALT]
Obra Uma árvore da música brasileira, de Guga Stroeter e Elisa Mori (2020) / Crédito: Divulgação / Edições Sesc SP

A partir de uma apresentação dos diferentes estilos musicais brasileiros, a obra celebra a diversidade e a sofisticação do Brasil, indo desde o lundu, o maxixe, o choro, o samba, o baião, o caipira, o sertanejo, a bossa nova, passando por movimentos como a jovem guarda, a tropicália e o mangue beat, até chegar no rock, no hip hop e na música eletrônica.

“Os textos reúnem depoimentos de artistas e especialistas representativos dos principais estilos musicais brasileiros, com descrições de experiências profissionais e pessoais, análises de conceitos musicais e observações de contextos históricos”, explica Guga.

Ao todo, o livro reúne 23 artigos que apresentam importantes reflexões de diferentes profissionais da música, entre eles artistas, pesquisadores e produtores musicais. Além disso, os autores abordam o contexto histórico e social dos diferentes estilos musicais em cada época.

Dentre os escritores abordados na obra, estão: Fernando Faro, representando a música popular brasileira, “Caipira e sertanejo” por Paulo Freire, “Música instrumental” por Nelson Ayres, “Tropicália” por Júlio Medaglia e “Hip hop” por Xis.

Esta obra memorável acompanha um pôster que ilustra uma árvore e apresenta as diferentes ramificações da música nacional. O leitor encontrará, ainda, uma linha do tempo completa, contendo a evolução de cada gênero musical. 

“O pôster, que dá nome ao projeto, é uma síntese visual do nascimento, da consolidação e das transformações da música brasileira. Temos, então, as raízes indígenas, europeias e africanas que sustentam e alimentam o tronco com seus gêneros musicais estruturantes e, por fim, as ramificações e bifurcações constituídas pelas mais complexas combinações sonoras”, comenta Elisa.

Confira um trecho da obra Uma árvore da música brasileira (2020), disponível na Amazon: 

Em 1981, quando tinha acabado de completar 17 anos de idade, enquanto nossa música popular gestava uma década voltada especialmente para o rock, entrei num grupo teatral da cidade de São Paulo que se dedicava ao teatro popular e à prática de danças e folguedos do folclore brasileiro.
 
Era um grupo de performances e estudos, estabelecido como Abaçaí Cultura e Arte, até hoje liderado por Toninho Macedo, um estudioso da cultura, educador, cantor, dançarino e diretor teatral. Toninho era ligado ao Museu e Escola de Folclore, que ficava na oca do Parque do Ibirapuera. Lá, frequentávamos as aulas de Rossini Tavares de Lima, Julieta de Andrade e muitos outros folcloristas que utilizavam aquele espaço para compartilhar seus estudos de cultura popular brasileira. Para lá também convergiam grupos folclóricos de vários lugares do país, tanto os grupos “autênticos”, ligados a contextos rituais, quanto os de recriação dos elementos tradicionais, que eram entendidos por aqueles folcloristas como de “projeção estética do folclore”.
 
Nas leituras que fazíamos, conheci os textos de Mário de Andrade e, rapidamente, me identifiquei com suas ideias em relação à importância da musicalidade do folclore brasileiro como inspiração para as criações artísticas.

+Saiba mais sobre esta e outras obras relacionadas ao tema, disponíveis na Amazon: 

Uma árvore da música brasileira, de Guga Stroeter e Elisa Mori (2020) - https://amzn.to/3g6feib

Como Ouvir e Entender Música, de Aaron Copland (2017) - https://amzn.to/3c8V7ht

Falando de música, de Leandro Oliveira (2020) - https://amzn.to/2xkz6O5

Uma história da música popular brasileira: das Origens à Modernidade, de Jairo Severiano (2013) - https://amzn.to/34wM1sj

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W