Notícias » Idade Média

Peça de xadrez medieval perdida por quase 200 anos vale agora 1 milhão de dólares

Parte de um conjunto de xadrez descoberto em 1831, ela foi perdida em um naufrágio e ficou esquecida em uma gaveta por 55 anos

Letícia Yazbek Publicado em 05/06/2019, às 11h00

None
Divulgação

Uma peça de xadrez medieval, uma das cinco que estão desaparecidas há 188 anos, foi encontrada em Edimburgo. A figura de um guarda rabugento, carregando uma espada, é representada no jogo moderno pela torre.

A descoberta faz parte de um grupo de quatro conjuntos de xadrez medievais descobertos em 1831 na Ilha de Lewis, localizada na parte oeste do arquipélago das Hébridas Exteriores da Escócia.

Acredita-se que as peças, feitas de marfim de morsa, tenham sido criadas entre os séculos 12 e 13, em Trondheim, na Noruega. Elas podem ter pertencido a um comerciante de peças de xadrez antes de terem sido perdidas num naufrágio.

Dos artefatos encontrados em Lewis — que incluem também peças de outros jogos e uma fivela de cinto —, 82 estão em exibição no Museu Britânico e 11 no Museu Nacional da Escócia. No entanto, um cavaleiro e quatro guardas — necessários para completar os conjuntos de xadrez — estavam desaparecidos.

Em 1964, um negociante de antiguidades comprou a peça do guardião por cinco libras, anotando a compra em seu livro de registros. O item ficou esquecido em uma gaveta por 55 anos — de acordo com a filha do vendedor, ela costumava admirá-lo por sua singularidade.

Recentemente, a família levou a peça à Sotheby’s Auction House, em Londres, onde foi avaliada em cerca de 1 milhão de libras — quase 5 milhões de reais. Ela será leiloada no próximo dia 2 de julho.