Meteoro pode ter acabado com primeiros humanos da América

...e também mamutes e dentes-de-sabre; cientistas dizem que tiveram o mesmo destino dos dinossauros

Redação AH

Impacto de meteoro gigante | <i>Crédito: Shutterstock
Impacto de meteoro gigante | Crédito: Shutterstock

A Cultura Clóvis, da fronteira com os EUA e México, é o primeiro exemplo certeiro* da presença humana na América. Conhecidos por suas sofisticadas pontas de lança, eles não viveram muito tempo - entre 13.200 a 12.900 anos atrás. Em sua época, também viviam no continente animais como o mamute e o tigre dentes-de-sabre. E, como se do nada - pufe! - bichos e humanos sumiram do registro arqueológico. Que fim teriam levado?

Um grupo de arqueólogos da Universidade da Carolina do Sul fez uma análise química no solo de 11 locais no continente, em camadas datadas dessa época. O resultado foi publicado pelo journal Scientific Reports, da Nature. Encontraram uma "anomalia de platina", uma quantidade do metal muito maior que o normal, o que é visto em períodos anteriores ou posteriores.

"Platina é muito rara na crosta terrestre, mas comum em asteroides e cometas", afirma Christopher Moore, o autor do estudo, ao Archaeology News Network. "Os autores do estudo concluem que a fonte mais provável desse enriquecimento de plantina foi um impacto de um objeto extraterreno."

Um meteoro realmente grande, ao atingir a Terra, lança poeira na atmosfera. Isso bloqueia a luz do Sol e causa resfriamento de longo prazo. Essa é a hipótese mais aceita para o fim dos dinossauros, relacionado ao impacto que criou a cratera Chicxulub, no México, há 66 milhões de anos.

Já se sabia que o mesmo período corresponde a um sério resfriamento global, o chamado Dryas Recente, que durou 1300 anos e resfriou a temperatura média da Terra em até 5 graus - uma enormidade em termos geológicos. A equipe de Moore conclui que o resfriamento foi causado pelo impacto e é a provável causa do fim não só dos mamutes, dentes-de-sabre e 33 outras espécies da América, como de seus primeiros colonizadores humanos. 

A próxima fase é procurar por uma cratera gigante. É o que falta para confirmar a hipótese de que mamutes - e alguns humanos - sofreram o mesmo destino dos dinossauros. 


*Existem outros candidatos, inclusive aqui no Brasil, os achados em Pedra Furada, no Piauí; mas as datações mais aceitas os colocam como posteriores a Clóvis. 

VEJA MAIS:

Conecte-se

Revista Aventuras na História