Notícias » Israel

Âncora egípcia de 3.400 anos é encontrada acidentalmente na costa de Israel

"Era como entrar em um templo egípcio no fundo do Mediterrâneo”, declarou o médico veterinário que fez a descoberta por acaso

Fabio Previdelli Publicado em 04/02/2020, às 08h00

Âncora de 3.400 anos encontrada na costa de Israel
Âncora de 3.400 anos encontrada na costa de Israel - Museu de Israel

Durante um mergulho matutino na costa norte de Israel — no mar Mediterrâneo —, um médico veterinário encontrou uma antiga âncora egípcia de pedra após tropeçar nela enquanto nadava. “Continuei nadando por alguns metros, depois percebi o que tinha visto e mergulhei para tocá-lo”, declarou Rafi Bahalul.

A descoberta se mostrou mais interessante ainda quando ele percebeu que o pedregulho era decorado com a imagem de uma deusa antiga, além de alguns hieróglifos. "Era como entrar em um templo egípcio no fundo do Mediterrâneo”, disse.

A âncora de pedra, de cerca de 3.400 anos de idade, tem a forma de um trapézio com os cantos arredondados e um buraco em uma das extremidades que servia para amarrar a corda / Crédito: Museu de Israel

 

Imediatamente, o veterinário chamou especialistas da Autoridade de Antiguidades de Israel — ou IAA na sigla em inglês — para examinar sua descoberta, realizada perto de Atlit, uma cidade cerca de Haifa.

"Este era um local conhecido de onde surgiram outros achados, mas não estávamos cavando lá no momento", disse Jacob Sharvit, chefe da unidade de arqueologia marítima da IAA. "Às vezes o mar faz o trabalho por nós e, felizmente, alguém viu e nos alertou."

A âncora de pedra, com aproximadamente 3.400 anos, tem a forma de um trapézio com os cantos arredondados e um buraco em uma das extremidades que servia para amarrar a corda. “Sua função é bastante mundana e facilmente identificável: era uma âncora típica usada por navios durante a Idade do Bronze”, explicou Shirly Ben-Dor Evian, curadora de arqueologia egípcia no Museu de Israel em Jerusalém, onde a peça está em exibição.


+Saiba mais sobre o tema por meio de grandes obras:

O Livro dos Mortos do Antigo Egito, de E. A. Wallis Budge (2019) - https://amzn.to/2vzXF8o

Egito Antigo, de Stewart Ross (2005) - https://amzn.to/2vzQa1b

Desvendando O Egito, de Sergio Pereira Couto (2008) - https://amzn.to/3aZcz8l

As Dinastias do Antigo Egito, de Charles River Editors (2019) - https://amzn.to/2u7EjXV

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, assinantes Amazon Prime recebem os produtos com mais rapidez e frete grátis, e a revista Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.